Topo

Topo

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Campanha de Doações de donativos continua


A parceria da CDL Santa Cruz do Capibaribe, ASCAP e Moda Center com a Rota do Mar continua e se estende até o dia 10 de fevereiro.

A meta é arrecadar, até o final da campanha, 30 toneladas de alimentos para os desabrigados das chuvas no Sul e Sudeste, principalmente no Rio de Janeiro.

A campanha iniciou no dia 27 de fevereiro, na Praça do Estudante, com a presença do ator global, Bruno Gagliasso.

As entidades, o Moda Center e a Rota do Mar já se engajaram na campanha, agora é a sua vez. A meta das 30 toneladas de alimentos, só será possível se você fizer a sua parte enquanto agente social.

De acordo com a Cruz Vermelha do Rio de Janeiro, roupas e agasalhos doados já são suficientes para atender as vítimas. Doe alimentos não perecíveis, água e produtos de limpeza.

Pontos de arrecadação
Moda Center – nas gerências em todos os setores
CDL – Rua Júlia Aragão (mesma rua do CESAC)
ASCAP – Avenida 29 de Dezembro (em cima do prédio da Motorac)
Rota do Mar (em todas as lojas)



Confiança da indústria de transformação na economia diminui, aponta FGV

Fonte: Agência SEBRAE

Os empresários da indústria de transformação iniciaram o ano um pouco menos otimistas do que no final do ano passado, segundo a pesquisa Sondagem da Indústria de Transformação, realizada pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da Fundação Getulio Vargas (FGV). O Índice de Confiança da Indústria passou de 114,5 para 112,8 pontos, uma queda de 1,5%.

Esse resultado, no entanto, manteve-se acima da média histórica de 101,6 pontos e pelos critérios da pesquisa sempre que a medição ultrapassa os 100 pontos a avaliação é considerada boa. Nas consultas feitas em 1.192 empresas, 26,1% dos entrevistados classificaram como boa a situação atual dos negócios, percentual inferior ao apurado em dezembro (31,6%). Ao mesmo tempo aumentou de 4,7% para 6,1% o grupo que avaliou como fraca a situação atual.

Já na sondagem sobre as expectativas para os seis meses seguintes houve evolução favorável. Para mais da metade dos consultados (52,8%) haverá uma melhora. Em dezembro, 46,8% tinham essa previsão. Paralelamente, houve redução entre os que acreditam em piora dos negócios passando de 2,9% para 1,6%.

Quanto ao Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria (Nuci) ocorreu uma queda (de 84,9% para 84,7%), mas apenas 0,7 ponto percentual menor do que a maior marca de 2010, ano em que o setor demonstrou processo de recuperação da crise financeira internacional. Foi o quarto mês seguido em que o Nuci oscilou entre 84,8% e 85%.






Mercadorias doadas às vítimas do RJ estão isentas do ICMS

Fonte: CNDL

O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) publicou, na sexta-feira (28), uma medida que isenta o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria) das mercadorias doadas às cidades atingidas pelas chuvas na região serrana do Rio de Janeiro.

O benefício também se aplica aos serviços de transporte das mercadorias doadas para os municípios de Areal, Bom Jardim, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro, São José do Rio Preto e Teresópolis.

Estornar o crédito

A publicação também estabelece que o Rio de Janeiro está autorizado a não exigir o estorno do crédito relativo à entrada de mercadorias existentes em estoque que tenham sido furtadas, roubadas, extraviadas, perdidas, deterioradas ou destruídas pelas chuvas que atingiram estas cidades, em janeiro de 2011.

Para não ter de estornar o crédito gerado pelo ICMS, os empresários terão de apresentar a comprovação da ocorrência por meio de laudo pericial fornecido pela Polícia Civil, Corpo de Bombeiros ou órgão da Defesa Civil.

As empresas poderão utilizar estes benefícios até 31 de março de 2011.






Classe C ultrapassa classes A e B no consumo de produtos para o lar

Fonte: Agência Brasil

A classe C ultrapassou as classes A e B no consumo de produtos e serviços para a manutenção do lar em 2010. De acordo com pesquisa do instituto Data Popular, em 2002 as classes altas (A e B) eram responsáveis por 56,6% desse consumo, enquanto a classe C representava apenas 26,9%. Em 2010, a situação se inverteu: a classe média (C) assumiu 43,3% do consumo, e o topo da pirâmide 38,7%.

Em 2010, a classe C gastou em produtos e serviços para o lar R$ 242,9 bilhões, enquanto as classe A e B juntas, gastaram R$ 217,4 bilhões. As classe C, D e E somadas tiveram gastos de R$ 343,3 bilhões.

A pesquisa, divulgada na sexta-feira (28), mostra ainda que, em relação a 2002, a classe C teve, no último ano, um consumo de produtos e serviços para manutenção do lar 11,2 vezes maior. As classes D e E juntas consumiram cerca de oito vezes mais que há oito anos, e as classes A e B somadas aumentaram seu consumo em cinco vezes.




sábado, 29 de janeiro de 2011

Lei Complementar concede redução de multa incidente sobre débitos tributários do ICM e do ICMS

O Governo de Pernambuco, Eduardo Campos, sancionou no dia 17 de dezembro de 2010, a Lei Complementar nº 164/2010. A Lei contempla empresa com débitos tributários gerados até julho de 2010.

Desde a data da publicação, a lei entrou em vigor e especifica as seguintes condições:

Art. 1º Fica concedida redução de multa, no percentual de 70% (setenta por cento), incidente sobre débitos constituídos do ICM ou do ICMS, cujos fatos geradores tenham ocorrido até 31 de julho de 2010.

§ 1º O disposto no caput:
I - somente se aplica na hipótese de pagamento efetuado, de uma só vez, a partir da publicação desta Lei até 28 de fevereiro de 2011;

II - não se aplica a débito tributário que tenha sido objeto, pelo Ministério Público, de denúncia-crime perante o Poder Judiciário;

III - não implica restituição ou compensação de importâncias já recolhidas.
§ 2º Para efeito do disposto no caput, ficam dispensados os correspondentes honorários advocatícios, quando for o caso.

Art. 2º A utilização dos benefícios previstos nesta Lei implica a vedação do direito às reduções de multa constantes da Lei nº 10.654, de 27 de novembro de 1991, e alterações.
Art. 3º Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação.
Art. 4º Revogam-se as disposições em contrário.

LEI nº 165/2010


Outra lei aprovada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco e sancionada pelo Governador Eduardo Campos, diz respeito a autorização para remitir os créditos tributários e não tributários, além de respectivas multas e juros, inclusive de mora e demais acréscimos previstos na legislação estadual, com valor total ou inferior a R$ 10.000,00 (dez mil reais).

Para sancionar a Lei, o executivo de Pernambuco baseou-se nas seguintes alterações do legislativo:

Parágrafo único. Para apuração do valor objeto da concessão da remissão a que se refere o caput, deve ser considerado o valor por processo fiscal afeto ao contribuinte.

Art. 2º A remissão prevista nesta Lei Complementar aplica-se:
I - aos créditos tributários e não tributários inscritos em dívida ativa até 31 de dezembro de 2004, com valor de registro de inscrição em Dívida Ativa inferior ao limite previsto no art. 1º;
II - aos créditos tributários e não tributários inscritos em Dívida Ativa até 31 de dezembro de 2004, com parcelamento em curso e cujo saldo, na data do levantamento de que trata o art.
3º, inciso I, seja inferior ao limite previsto no art. 1º, desconsiderado, para tal fim, o acréscimo financeiro que incidiria nas parcelas vincendas, e sem prejuízo das reduções legais ou benefícios concedidos por ocasião de sua contratação;
III - ao saldo remanescente de créditos tributários, inclusive aqueles decorrentes exclusivamente da aplicação de penalidades pecuniárias por descumprimento de obrigações acessórias relativas ao recolhimento de ICM e ICMS, inscritos em Dívida Ativa até 31 de dezembro de 2004, cujo valor, na data do levantamento de que trata o art. 3º, inciso I, encontrar-se dentro do limite previsto no art. 1º.
§ 1º No que se refere aos créditos tributários relativos ao Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores . IPVA, a remissão pode alcançar os créditos tributários decorrentes de fatos geradores ocorridos no exercício de 2003 e anteriores, ainda que inscritos em dívida ativa após 31 de dezembro de 2004, observadas as demais condições previstas no art. 2º, caput, e incisos I, II e III.
§ 2º A remissão prevista no caput se aplica aos créditos tributários e não tributários em fase de cobrança judicial ou com exigibilidade suspensa, desde que observadas as condições previstas no art. 3º.

Art. 3º A remissão de que trata esta Lei Complementar deverá atender ainda às seguintes condições, prazo e forma:

I - será concedida de ofício, mediante implantação no sistema de débitos da Secretaria da Fazenda do Estado de Pernambuco, desde que preenchidos os requisitos e condições previstas nesta Lei Complementar, depois de efetuado o levantamento dos processos por ela contemplados e dos respectivos valores, no prazo de até 30 (trinta) dias a partir da entrada em vigor da presente Lei Complementar;
II - alcança os créditos fiscais objeto de litígio judicial ou administrativo, observadas cumulativamente as seguintes condições:
a) desistência, pelo contribuinte, da impugnação ou do recurso administrativo interposto, ou da ação judicial proposta;
b) renúncia, pelo contribuinte, a quaisquer alegações de fato e de direito sobre as quais se fundam os referidos processos administrativos e judiciais;
c) renúncia, pelo contribuinte, a eventual direito a verbas de sucumbência, compreendendo os honorários advocatícios, que deve ser formalizada pelo advogado titular da verba, bem como às custas e demais ônus processuais;
III - não autoriza a restituição ou compensação de importâncias já pagas até a data da implementação da remissão, nos termos do inciso I deste artigo;
IV - não autoriza levantamento de importância depositada em juízo, quando houver decisão favorável à Fazenda Pública Estadual transitada em julgado até a data da implementação da remissão, nos termos do inciso I deste artigo.

Art. 4º Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação.
Art. 5º Revogam-se as disposições em contrário.





sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

ASCAP, CDL, Moda Center e Rota do Mar na Rota da Solidariedade




A Rota da Solidariedade é um evento onde visa arrecadar alimentos não perecíveis para as vítimas das chuvas no Rio de Janeiro. O evento começa ontem (27), a partir das 14 horas na Praça do Estudante.

A campanha de arrecadação de alimentos irá acontecer até o dia 10 de fevereiro. Na abertura da campanha, o Ator Global, Bruno Gagliasso, estará presente.


O Objetivo arrecadar 30 toneladas de Alimentos não perecíveis, água mineral, material de Limpeza e Higiene pessoal para serem enviados aos estados Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina.


Confira os pontos de arrecadação:
ASCAP
CDL
MODA CENTER
Lojas da ROTA DO MAR.


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Centro Tecnológico do Agreste sedia duas oficinas regionalizadas para elaboração do Plano Estadual de Resíduos Sólidos



O Centro Tecnológico do Agreste, unidade da rede estadual de educação profissional gerida pelo Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), localizado na Rua Dalton Santos, nº 319, em Caruaru, sediará nos dias 2 e 3 de fevereiro, duas edições das Oficinas Regionalizadas para Elaboração do Plano Estadual de Resíduos Sólidos. Os serão de 8h e 30min até as 18 horas.

As oficinas vão integrar o “Estudo de Regionalização da Gestão Integrada de Resíduos Sólidos”, parte integrante do convênio entre a Sectma, Itep e Ministério do Meio Ambiente (MMA). As oficinas serão a primeira ação concreta prevista na Nova Política Estadual de Resíduos Sólidos (Lei Nº 14.236) sancionada no final de 2010.

Participarão das Oficinas de Regionalização no Centro Tecnológico do Agreste, representantes de 31prefeituras das regiões de desenvolvimento do Agreste Central e Agreste Setentrional, além de 26 representantes das prefeituras da Mata Norte, e Agreste Central.



02.02 - Caruaru


Municípios:


Bom Jardim, Cumaru, Frei Miguelinho, João Alfredo, Orobó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Vicente Ferrer, Surubim, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertentes, Agrestina, Altinho, Cachoeirinha, Cupira, Ibirajuba, Lagoa dos Gatos, Panelas, São Caetano, São Joaquim do Monte, Tacaimbó, Lajedo, Belo Jardim, Poção, Sanharó, Riacho das Almas, Sairé, Bezerros, Caruaru e Gravatá.


03.02 - Caruaru


Municípios:


Aliança, Buenos Aires, Camutanga, Chã de Alegria, Ferreiros, Glória do Goitá, Goiana, Itambé, Itaquitinga, Lagoa do Itaenga, Nazaré da Mata, Paudalho, Timbaúba, Tracunhaém, Vicência, Limoeiro, Passira, Casinhas, Vertente do Lério, Machados, Feira Nova, Carpina, Condado, Lagoa do Carro, Salgadinho e Macaparana.



Programação da Oficina de Regionalização:




8 h – Credenciamento dos Participantes

8h30 – Palestra: A Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Legislação Federal de

Saneamento Básico e de Consórcios Públicos e a Política Estadual de Resíduos Sólidos

no Estado de Pernambuco (Itep)

9h30 ‐ Debates

9h50 – Café

10h – Apresentação da Proposta Preliminar de Regionalização do Estado de Pernambuco (Itep)

11 h – Debates

11h30 – Apresentação da Metodologia e Formação dos Grupos de Trabalho

12hh – Almoço

14h – Trabalhos em Grupo

16 h – Café

16h10 – Plenária de Discussão da Proposta de Regionalização

18 h – Encerramento




Rota da Solidariedade


Ao acompanhar, através de meios de comunicação, as catástrofes provocadas por fortes chuvas no sudeste e sul do país, a Rota do Mar resolve mobilizar a sociedade organizada em uma ação social na cidade de Santa Cruz do Capibaribe.

Diante do exposto, Moda Center Santa Cruz (Parque de feiras), ASCAP (Associação Empresarial de Santa Cruz do Capibaribe), CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Santa Cruz do Capibaribe) se juntam a Rota do Mar para arrecadar donativos para desalojados e desabrigados dos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Santa Catarina.

EVENTO

No dia 27 de janeiro de 2011 haverá o lançamento do projeto ROTA DA SOLIDARIEDADE às 14h na Praça do Estudante, Avenida 29 de dezembro, Santa Cruz do Capibaribe. No local serão posicionados caminhões, tipo baú, e um sistema de som para convidar a população a doar. A ação se estenderá até as 19h.

O evento também contará com a presença do ator Bruno Gagliasso que, a convite da Rota do Mar, vai utilizar seu prestígio popular para alavancar donativos.

Voluntários das entidades envolvidas estarão recebendo e organizando as doações no local.

PERÍODO DO PROJETO: De 27 de janeiro a 10 de fevereiro de 2010

PONTOS DE COLETA: Lojas da Rota do Mar, Moda Center, CDL e ASCAP

META: 30 TONELADAS DE DONATIVOS: Alimentos não perecíveis, roupas, Água mineral e produtos de higiene pessoal.

ENTIDADE PARCEIRA NA DISTRIBUIÇÃO: Cruz Vermelha


Inadimplência de pessoa física é a menor desde junho de 2001

Fonte: Folha de São Paulo

O Banco Central verificou que a taxa de inadimplência da pessoa física caiu para 5,7% em dezembro, a menor desde junho de 2001, quando estava em 5,5%. Para as empresas, a taxa estabilizou-se em 3,6%. O nível de atrasos, considerando também empréstimos com subsídio, como os do BNDES, ficou em 3,2%, menor da série histórica.

A taxa média de juros do crédito ao consumidor subiu em dezembro de 39,1% para 40,6% ao ano, a maior desde maio do ano passado, segundo dados do Banco Central. Houve alta nas principais linhas, como crédito consignado (27,5%), crédito pessoal (44,1%), cheque especial (170,7%) e financiamento de veículos (25,2%).

Já no caso da pessoa jurídica, os juros caíram para 27,9% ao ano, a menor taxa desde junho. Com isso, a taxa média entre pessoa física e jurídica subiu para 35% ao ano.

CONCESSÃO

Houve queda de 1,6% nas concessões totais de novos empréstimos e de 14,4% na média diária em relação a novembro. A queda se deu em todas as linhas pesquisas pelo BC.

Mas no ano os valores continuam históricos. As operações de crédito para consumidores e empresas cresceram 20,5% em 2010, acima dos 15,2% verificados um ano antes, mas abaixo dos 31,1% registrados em 2008.

Com isso, o total de empréstimos chegou ao valor recorde de R$ 1,7 trilhão, o que corresponde a 46,6% do PIB (Produto Interno Bruto). Dois anos antes, estava em 40,5% do PIB.

Mais uma vez, o destaque foram as operações com juros subsidiados, que avançaram 27,5%. Os empréstimos do BNDES, por exemplo, cresceram 25,6%. O crédito habitacional com recursos do FGTS e poupança avançou 50,4%.

Já o crédito sem subsídio cresceu 17,1%, sendo 18,8% na pessoa física e 15,4% na jurídica.




quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Recife registra a maior prévia da inflação oficial de janeiro

Fonte: Agência Estado

A cidade de Recife apresentou a maior inflação dentre as 11 capitais pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), a prévia da inflação oficial. Segundo o IBGE, a capital pernambucana registrou taxa de 1,23%.

Quatro capitais registraram inflação mais alta que a média nacional de 0,76%: Belo Horizonte (0,87%), São Paulo (0,82%), Curitiba (0,79%) e Rio de Janeiro (0,78%). Já a menor inflação foi registrada em Goiânia: 0,46%.

As cidades que tiveram inflação abaixo da média foram Belém (0,48%), Salvador (0,54%), Porto Alegre (0,59%), Fortaleza (0,64%) e Brasília (0,69%).

Entre as classes de despesa, a maior inflação ficou com os alimentos (1,21%), seguidos por transportes (0,89%), vestuário (0,83%) e despesas pessoais (0,74%). As demais classes de despesas registraram os seguintes índices: habitação (0,60%), artigos de residência (0,58%), saúde e cuidados pessoais (0,35%), educação (0,27%) e comunicação (0,23%).




Formar conselhos de consumidores para discutir sua relação com a loja pode gerar novas ideias para administrar seu negócio

Fonte: CNDL

Unir a experiência direta dos consumidores com as teorias – nem sempre pragmáticas – da administração de varejo vem se impondo como uma tendência cada vez mais presente no mercado brasileiro. A disposição das empresas a ouvir o que seu público-alvo tem a dizer vai além das tradicionais pesquisas de opinião ou da antiquada "caixinha de sugestões". O caminho agora é convidar os clientes a participar de conselhos ou comitês para avaliar seu relacionamento com a loja e dar ideias valiosas para redirecionar seu posicionamentoestratégico.

Entre as empresas que já começam a adotar esta prática, as primeiras experiências demonstram que o Conselho de Clientes tem se mostrado uma ferramenta de gestão bastante eficaz, além de um diferencial competitivo. Ao mesmo tempo em que promove a fidelização, abre caminho para implementar estratégias corretas e evitar procedimentos que na prática se mostram equivocados. “É preciso enxergar o negócio com os olhos dos clientes e aproximar cada vez mais a marca de seu público”, assegura Marcello Macedo, presidente da Fototica, uma das maiores redes de varejo ótico do País e uma das pioneiras na prática de reunir clientes para discutir a gestão das lojas.

O novo direcionamento da rede teve início em agosto, com um reposicionamento da marca. “Isso marcou uma nova atitude da empresa em relação à participação direta dos clientes, que em última instância são os maiores interessados na qualidade dos nossos produtos e serviços“, diz Macedo. Para constituir o primeiro Comitê de Clientes, foram selecionados consumidores que se mostraram mais fiéis à Fototica e que apresentaram maior frequência nas lojas nos últimos anos. A partir de uma base de dados, foi selecionado um grupo para discutir temas relevantes à gestão da rede, como o planejamento de uma nova coleção de óculos ou a abertura de pontos de venda em outras praças.

>>Leia mais...


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Rota da Solidariedade





O que é Empreendedor Individual?

O Empreendedor Individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. Para ser um empreendendor individual, é necessário faturar, no máximo, até R$ 36.000,00 por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular e ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria.

A Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008, criou condições especiais para que o trabalhador conhecido como informal, possa se tornar um Empreendedor Individual legalizado. Entre as vantagens oferecidas por essa lei, está o registro no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais.

Além disso, a lei possibilita que o Empreendedor Individual seja enquadrado no Simples Nacional e fique isento dos impostos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). O custo máximo de formalização é de R$ 62,10 por mês: R$ 56,10 (11% sobre o salário mínimo) para a Previdência Social, R$ 1,00 de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços) para o Estado e R$ 5,00 de ISS (Imposto sobre Serviços) para o município. Para indústria e comércio, a contribuição é de R$ 56,10 mais R$ 1,00 do ICMS. O prestador de serviço pagará R$ 56,10 mais R$ 5,00 do ISS.

Por fim, vale ressaltar que o Empreendedor Individual enquadrado na Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008 terá acesso a benefícios como auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria, entre outros.

Quem é considerado Empreendedor Individual?

O Empreendedor Individual é o empresário que exerce atividades de comércio, indústria e serviços de natureza não intelectual/sem regulamentação legal.

Exemplos: ambulante, camelô, lavanderia, salão de beleza, artesão, costureira, lava-jato, reparação, manutenção, instalação, autoescolas, chaveiros, organização de festas, encanadores, borracheiros, digitação, usinagem, solda, transporte municipal de passageiros, agências de viagem, escritórios de serviços contábeis, etc.

Como e onde se formalizar?

A formalização é feita pela internet no endereço no endereço
www.portaldoempreendedor.gov.br.


Há um considerável número de empresas contábeis espalhadas pelo Brasil que poderão realizar esse trabalho de graça. Para saber quem são essas empresas consulte a relação dos endereços no portal do empreendedor na Internet (endereço citado acima). Lembre-se de que toda atividade a ser exercida, mesmo na residência, necessita de autorização prévia da Prefeitura (nesse caso, será também de graça). O Sebrae é outro parceiro que oferecerá orientação de graça sobre a formalização.

É possível se formalizar a qualquer tempo?

Para o empreendedor que obtiver o CNPJ novo, a partir de primeiro de julho de 2009, a opção será simultânea e vale para o ano todo de forma irretratável. No caso de empreendedores que já possuem CNPJ a opção somente poderá ser feita durante o mês de janeiro de cada ano.

Qual o custo da formalização?

O ato de formalização está isento de todas as tarifas. Para a formalização e para a primeira declaração anual existe uma rede de empresas de contabilidade que são optantes pelo Simples Nacional que irão realizar essas tarefas sem cobrar nada no primeiro ano. Após a formalização o empreendedor terá o seguinte custo:
- Para a Previdência: R$ 56,10 por mês (representa 11% do salário mínimo que é reajustado no início de cada ano);

- Para o Estado: R$ 1,00 fixo por mês se a atividade for comércio ou indústria;

- Para o Município: R$ 5,00 fixos por mês se a atividade for prestação de serviço.
O contribuinte que se enquadrar no regime aqui previsto, recolherá mensalmente, no máximo, R$ 62,10. Isso se for contribuinte de ambos os impostos (ISS e ICMS).




Costureira incrementa atividade com formalização

Fonte: SEBRAE PE

A costureira Mariângela França decidiu dar um passo a mais para o crescimento da própria carreira: registrar-se como Empreendedor Individual. “Com o passar dos anos e a vivência do meu ofício, ampliei meus contatos e hoje posso levar meus conhecimentos a pessoas em cidades como Caruaru, Natal e Maceió. É um trabalho bastante prazeroso de ser realizado”, revela. A nova condição já estimula a costureira a incrementar os negócios. Até 11 de fevereiro, ela promove um curso de férias, no qual ensina técnicas da profissão.

“Apesar de contar com boa clientela, sempre senti falta da segurança proporcionada pela lei. A palestra do Sebrae sobre Empreendedor Individual me ajudou a esclarecer dúvidas e a ter mais confiança de que essa medida poderia realmente ajudar meus negócios”, conta. A nova categoria jurídica foi criada em 2007 para facilitar o acesso aos benefícios da formalização a milhares de empresários.

Com o registro na mão, a costureira revela planos de contratar uma auxiliar e buscar novas possibilidades para demonstrar seu talento. “No período de final de ano, tive muitas encomendas. Em 2011, pretendo expandir meu atendimento e me capacitar para melhorar o nível das aulas. Desejo crescer ainda mais”, afirma.

Quando era criança, Mariângela França esperava a mãe sair de perto da máquina de costura para mexer nos tecidos e nas peças feitas com todo cuidado e atenção para o grande número de clientes. Foi de traquinagem em traquinagem que ela pôde descobrir que o ofício seria sua fonte de renda até os dias atuais. Aos 50 anos, viaja o Nordeste a pedido de donas de casa para ensinar a arte da costura e do tricô – passatempo que considera verdadeira terapia para pessoas de todas as idades.




Lei Geral está regulamentada em quase 50% dos municípios

Fonte: SEBRAE

Em 2010, o Sebrae estabeleceu como meta realizar ações que possibilitassem a implementação da Lei Complementar 123, conhecida como a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, em 30% dos municípios brasileiros. No entanto, o número ficou acima do esperado: 2.773 das 5.565 cidades adotaram a lei, o que representa quase 50% dos municípios. Os estados de Mato Grosso e Espírito Santo já atingiram 100%. Clique aqui para acessar a planilha dos municípios por estado que já aprovaram a legislação.

Segundo o gerente da Unidade de Desenvolvimento Territorial (UDT) do Sebrae, Juarez de Paula, a municipalização da Lei Geral traz uma série de benefícios não apenas para os pequenos empreendimentos mas também para a própria economia do município.

“Engana-se quem acha que a redução de impostos diminui a arrecadação, pelo contrário. Muitos donos de pequenas empresas que estão na irregularidade não querem permanecer assim. Essa lei facilita a regularização, já que esses empreendedores vão poder honrar seus compromissos fiscais”, disse Juarez de Paula.

De acordo com dados do Sebrae, foram realizados, no primeiro semestre do ano passado, 17 encontros de mobilização com lideranças públicas municipais em oito estados, envolvendo aproximadamente 425 municípios.

Convênio firmado entre a instituição e a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) possibilitou a realização de 19 eventos de sensibilização, com a presença de representantes de 353 municípios. Mais de 330 consultores foram capacitados para ministrar cursos e oficinas para os gestores públicos.

Em vigor desde 2006, a Lei Geral traz uma série de facilidades tributárias e de negócios para os pequenos empreendimentos, como simplificação de abertura de empresas e tratamento diferenciado em licitações públicas. Para mais informações, acesse o site www.leigeral.com.br.




Governo admite corrigir tabela do Imposto de Renda

Fonte: Agência Estado

O governo vai acenar com a possibilidade de corrigir a tabela de recolhimentos do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) ainda em 2011, na reunião com as centrais sindicais marcada para amanhã. A presidente Dilma Rousseff encomendou ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, simulações sobre o custo dessa medida. Pediu também para calcular o impacto nas contas públicas de um novo aumento no salário mínimo, apesar de haver sacramentado, na reunião ministerial há duas semanas, que o valor ficaria mesmo em R$ 545.

Dilma quer ouvir as centrais para então formular uma proposta, segundo informou o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, por intermédio de sua assessoria. Ele será o interlocutor dos sindicalistas. A tabela do IR não foi corrigida de 2010 para 2011 e as centrais defendem um reajuste de 6,46% nos valores. Essa reivindicação será apresentada com a elevação do mínimo para R$ 580 e o reajuste das aposentadorias acima do mínimo em 10%. “É um absurdo não corrigir a tabela, porque a maioria das categorias teve aumento real que vai ser comido pela Receita Federal”, disse o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique da Silva Santos. “Para mim, isso é apropriação indébita.”

Se a tabela for corrigida, a Receita deixará de arrecadar cerca de R$ 5,75 bilhões, segundo informou o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, deputado pelo PDT paulista. A conta foi feita pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Já a elevação do mínimo a R$ 580 geraria um gasto extra de aproximadamente R$ 12 bilhões.


Ou seja, os dois itens elevariam o esforço fiscal em R$ 17,75 bilhões e tornariam ainda mais difícil o desafio de equilibrar as contas públicas este ano. Para bancar essa despesa extra, seria necessário aprofundar os cortes no Orçamento de 2011 que, segundo estimativas de economistas do mercado, precisariam ser da ordem de R$ 60 bilhões, sem considerar o novo mínimo e a correção da tabela. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.





Mundo sai da crise, mas emprego continua em baixa, afirma OIT


Fonte: CNDL

A OIT (Organização Internacional do Trabalho) destacou nesta segunda-feira que a recuperação mundial não teve impacto no mercado de trabalho, que registrou recorde de 205 milhões de desempregados, com exceção de alguns países emergentes como o Brasil.

"Apesar de uma forte recuperação do crescimento econômico em muitos países, o número oficial de desempregados continuou em 205 milhões em 2010, essencialmente igual ao de 2009, com um aumento de 27,6 milhões com relação ao início da crise econômica mundial de 2007", destacou a OIT em um relatório publicado em Genebra.

Muitos países superaram a crise, mas as variações nos números da desocupação são insignificantes, em termos absolutos e relativos: o índice de desemprego foi de 6,3% em 2009, de 6,2% em 2010 e "em 2011 será de 6,1%, o equivalente a 203,3 milhões de desempregados", prosseguiu o documento.

Este será, provavelmente, o terceiro ano consecutivo com mais de 200 milhões de pessoas em busca de trabalho em todo o mundo.

Os mais afetados são os países industrializados, onde vivem mais da metade das pessoas que perderam seus empregos desde 2007, apesar de representarem apenas 15% da mão-de-obra de todo o planeta.

Por outro lado, em alguns países emergentes ou em desenvolvimento, como Brasil, Cazaquistão e Tailândia, o índice de desemprego caiu a níveis anteriores à crise, ressaltou a OIT.

Mas isto não é suficiente para reduzir os números globais.

"Apesar da forte diferenciação da recuperação dos mercados de trabalho no mundo, os enormes custos humanos da recessão continuam presentes", disse o diretor-geral da OIT, o chileno Juan Somavía.

A crise também fez estancar a possibilidade de se conseguir um emprego estável. Segundo a OIT, há no mundo todo 1,53 bilhão de pessoas com "emprego vulnerável", como por exemplo, o trabalho temporário.

"A incidência do emprego vulnerável permaneceu em geral igual a 2008, em contraste com a gradativa e significativa redução deste índice nos anos anteriores à crise", destacou a entidade.

O desemprego juvenil, que este ano foi o elemendo desencadeador de distúrbios sociais na Grécia e na Tunísia, tem uma evolução igualmente desanimadora: no ano passado havia 77,7 milhões de desocupados de 15 a 24 anos, menos que em 2009 (79,6 milhões), mas ainda são muitos mais que os 73,5 milhões registrados em 2007.

"O emprego juvenil é uma prioridade mundial", afirmou Somavía.

No entanto, cada vez mais pessoas abandonam as tentativas de procurar trabalho e na maioria dos países deixam, por este motivo, de aparecer nas estatísticas. Em 56 países onde estes cálculos são feitos, 1,7 milhão de jovens saíram dos registros de pessoas que procuram emprego em um ano.

A impossibilidade de encontrar um trabalho decente "reforça a incapacidade da economia mundial de assegurar um futuro a todos os jovens" e "isto mina as famílias, a coesão social e a credibilidade das políticas" públicas, alertou a OIT.



segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A hora da gestão profissional

Fonte: JC Online
Caderno Agreste

Para atrair mais recursos e empresas e aproveitar a onda de crescimento do Estado, as prefeituras, segundo especialistas em economia, têm a difícil missão de mudar a gestão, tornando-a cada vez mais profissional. “Infelizmente, o processo de administração de muitas cidades ainda é amadora. Não possuem pessoas competitivas para melhorar a gestão do governo municipal”, constatou o economista Jorge Jatobá.

Um dos indicadores básicos que apontam o grau de profissionalização da gestão é o quadro de funcionários. “As prefeituras têm que possuir quadros técnicos e administrativos que possam direcionar um certo desenvolvimento autônomo dos municípios e traçar uma política de desenvolvimento regional”, afirma o economista Romilson Cabral.

Outra questão mapeada como um problema é a alta rotatividade, proporcionada pelo elevado números de cargos de confiança e temporários. “O menor o número de concursados em relação aos cargos de confiança mostra gestores menos profissionalizados”, ressaltou Jatobá.

Com os investimentos que chegam aos Estados e os programas de distribuição de renda, como o Bolsa Família (que incrementam a receita familiar de muitos municípios do interior, gerando mais consumo e maior arrecadação de impostos), algumas secretarias ficam sobrecarregadas e desafiadas a trabalhar com maior eficiência. “As áreas responsáveis pelo planejamento, administração, fiscal e finanças, o núcleo duro das decisões municipais, são aquelas que têm que trabalhar mais nesse momento. São secretarias que teriam que ter jornadas de trabalho mais longas ou ainda operar com mais eficiência no seu horário de funcionamento”, diz Jatobá.

Para o economista Romilson Cabral, quando esse núcleo da gestão municipal não funciona, o desenvolvimento das cidades fica à mercê das decisões governamentais ou ainda federais, que nem sempre são as mais adequadas para os arranjos locais. “Quando não há a discussão das políticas públicas regionalizadas, as cidades ficam a reboque do governo estadual ou governo federal. As regras terminam sendo definidas em Brasília e depois dos prejuízos a população reclama para desfazer o mal feito.” Para Cabral, as vítimas do planejamento mal direcionado, que são as cidades, deveriam participar efetivamente da concepção dos projetos de desenvolvimento, não só de avaliação dos resultados.







O ano de 2011 começa com novidades para a Feira De Mulheres Produtoras – FEMUP


A Feira De Mulheres Produtoras – FEMUP começa 2011 com muitas novidades para as artesãs de Santa Cruz do Capibaribe. Novas vagas foram abertas e alguns cursos de aperfeiçoamento serão ministrados no decorrer do ano.

Quem estiver interessado em fazer parte da FEMUP precisa fazer uma inscrição no Centro de Referência da Mulher Casa Josefa Mendes De Barros, que funciona na Rua José Manoel da Silva, nº 230, (atrás da escola PE. Zuzinha), das 08 às 13 horas.

A feira estará recomeçando suas atividades no próximo final de semana, com várias novidades organizadas pela associação de mulheres produtoras. a coordenadora, Verônica Valadares, disse que este ano a FEMUP terá muitas novidades. “Teremos uma apresentação do grupo de pagode de Didi Catanha no sábado (29/01) uma oficina de máscaras visando a proximidade do período carnavalesco, no dia 30/01”, afirmou.

A coordenadoria da Mulher, numa parceria com o SENAR-PE está abrindo vagas para os seguintes cursos:

-Fabricação artesanal de bolos e tortas;
-Artesanto em retalho e fuxico;
-Artesanato com material reciclável;
-Customização de tecidos.



Franquia a partir de R$ 2 mil


matéria de Mirella falcão
do Diário de Pernambuco

O sonho de se tornar um empresário de sucesso pode estar mais próximo do que se imagina. Aquele dinheirinho guardado na poupança, a rescisão do trabalho ou mesmo a venda do carro podem ser usados na abertura de uma empresa, que já começa com um mercado consolidado nacionalmente e com todo o acompanhamento necessário nos primeiros passos do negócio. A partir das microfranquias, empreender ficou mais fácil e acessível. Basta R$ 2 mil e já se pode desfrutar das vantagens do sistema de franchising. Há no Brasil mais de 50 marcas de microfranquias, que totalizam 2,5 mil franqueados, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF). O Diario selecionou dez opções de negócio que custam menos de R$ 20 mil.

O sistema de franquias é sempre visto como um investimento mais seguro, pelo fato de já se iniciar um negócio que conquistou know how e mercado consumidor. Os números só reafirmam: enquanto 80% dos micronegócios fecham após cinco anos de funcionamento, no sistema de franquias essa taxa é de apenas 15%, segundo dados do Sebrae. Mas, apesar das linhas de financiamentos existentes, adquirir uma franquia era para poucos, devido aos altos custos. As franquias de alimentação, por exemplo, demandam um investimento entre R$ 400 mil e R$ 1,5 milhão.

Já uma escola de idiomas custa em média entre R$ 70 mil e R$ 300 mil. A economista Gedália Paes Barreto, 46 anos, quase desistiu do projeto do ensino de línguas. ´Eu sempre quis ter o meu próprio negócio. Há três anos, minha filha Mirella, que tem 21 anos, estava voltando do intercâmbio e achei que seria o momento de investir em uma escola de idiomas. Procurei várias franquias, mas era tudo muito caro`, conta ela. Até que conheceu a Learning Fun, franchising voltada para o ensino de línguas para crianças. ´O investimento inicial era de apenas R$ 15 mil`, lembra.

O baixo custo se deve ao formato home-based (baseado em casa), pois não há necessidade de um ponto comercial. No caso da Learning Fun, são os professores que se dirigema escolas e condomínios para ensinar. ´Nas microfranquias, o empreendedor pode administrar dentro própria residência e com baixa complexidade operacional`, diz a analista do Sebrae-PE, Cristina Rabêlo. No início, é preciso apenas um funcionário, que pode ser o próprio dono. A equipe cresce no ritmo do negócio. Hoje, a Learning Fun de Recife tem doze professores atuando em dez escolas, somando mais de 500 alunos. ´E devemos fechar contrato com mais quatro escolas neste ano`, relata.

A maioria das microfranquias é voltada à prestação de serviços como reformas, manutenção de computadores, tratamento de beleza e cuidado de idosos, crianças e animais. ´Como o investimento é menor, não é preciso tomar financiamento para abrir a empresa`, reforça a consultora em franchising, Cláudia Bittencourt. O processo de abertura é bem rapido. Em 30 dias, o negócio está pronto para funcionar. Para Bittencourt, a microfranquia é uma tendência no franchising do Brasil. ´O brasileiro gosta de empreender e a microfranquia proporciona a entrada de pequenos negócios no mercado formal, de maneira mais preparada, por causa da experiência do franqueador. Há menos riscos da pessoa perder todas as economias investidas, do que se fosse empreender sozinho`, diz ela.


sábado, 22 de janeiro de 2011

Entidades representativas e Rota do Mar apostam no conhecimento


A Biblioteca Indústria do Conhecimento é um projeto do Serviço Social da Indústria (SESI), e chega a Santa Cruz do Capibaribe por meio de uma parceria entre o SESI e a Rota do Mar. O empresário Arnaldo Xavier, estendeu a parceria às entidades representativas da cidade, CDL e Associação Empresarial (Ascap). A biblioteca é parte do projeto que tem por objetivo implantar 350 unidades em todo Brasil até 2015.

Em Pernambuco, 20 cidades serão contempladas. Santa Cruz do Capibaribe foi o décimo quinto município a receber a Indústria do Conhecimento, Biblioteca esta, que tão bem representa a cultura da cidade. A terra das Confecções impulsiona outras cidades com sua pujança industrial, na produtividade de vestuários.

A parceria da vinda do projeto para a cidade aconteceu da seguinte forma: A Rota do Mar doou o terreno e o SESI realizou a construção da obra. A CDL e a Associação Empresarial (Ascap) entram como parceiras no pagamento dos custos com os monitores e segurança do local. A manutenção da Biblioteca ficará a cargo da Rota do Mar, com 50% e da CDL e Ascap, com 25% para cada uma das entidades.

Arnaldo Xavier revelou em seu discurso que estava muito emocionado. “Hoje eu estou muito feliz em poder está contribuindo com a cidade na qual está inserida a Rota do Mar. Nós não podemos crescer sozinho, ficar ilhados. Precisamos nos envolver mais com a parte social da cidade”. Arnaldo disse que a parceria surgiu a partir de um convite do superintendente do SESI, Ernane Aguiar, quando a Rota do Mar recebeu o prêmio Qualidade no Trabalho, em 2008.

O presidente da FIEPE, Jorge Côrte Real, disse que a grande filosofia dessas bibliotecas é fortalecer o conhecimento, no sentido de que toda população tenha condições de captar melhor o aprendizado.

“Nós chegamos a conclusão que só a capacitação e o conhecimento fará com que esse país mude de patamar e cresça de uma maneira sustentável. Então, essas bibliotecas são a colaboração do sistema indústria, da FIEPE, para que todas as regiões tenham condições de melhorar o conhecimento de suas populações”, concluiu.

A Biblioteca está equipada com 10 computadores, mais de mil livros, além de Gibiteca, e DVDteca. Para fazer uso do espaço, basta apenas se cadastrar e ficar a vontade.

O serviço é totalmente gratuito para toda população. Cada usuário poderá utilizar os computadores por 1 hora.




sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Indústria do Conhecimento


Logo mais às 16 horas, a Rota do Mar em parceria com o SESI, CDL e a ASCAP estará inaugurando a Biblioteca Indústria do Conhecimento, no Bairro da Palestina, a empresa e as entidades parceiras convidam toda comunidade para este evento de grande importância para Santa Cruz do Capibaribe.


Centrais sindicais se reúnem com Governo para debater aumento do mínimo

Fonte: Agência Brasil

Centrais sindicais vão discutir o aumento do salário mínimo e a correção da tabela do imposto de renda com o secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, na próxima quarta-feira (26). A assessoria da secretaria-geral confirmou a data da reunião, mas o horário ainda não está definido.

As centrais reivindicam um mínimo de R$ 580 e pedem que a tabela do imposto de renda seja corrigida em 6,47%, valor da inflação de 2010 medido pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

De acordo com o secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Quintino Severo, essa será a primeira conversa dos representantes dos trabalhadores com o novo governo. O intuito é tentar negociar um aumento maior do que o valor já anunciado de R$ 545.

“Esperamos que essa reunião trate da pauta que apresentamos. A pauta da recuperação real do salário mínimo, da correção do imposto de renda e da correção do salário dos aposentados que ganham acima do mínimo. Nossa expectativa é de que esse processo comece de fato e que possamos ter nos próximos dias um desfecho favorável.”

Quintino disse que o governo ainda não fez sinalização oficial às centrais sobre a correção da tabela do imposto de renda. As centrais pedem a correção esse ano para que os trabalhadores não percam o aumento real de salário que tiveram em 2010.

“A correção significa mais dinheiro para os trabalhadores. Eles vão deixar de desembolsar dinheiro com a Receita Federal e ficará mais dinheiro para o consumo, para estimular a economia.”

Outro ponto que será tratado na reunião é o aumento do valor dos benefícios da Previdência Social para aqueles que recebem benefícios acima do salário mínimo.




quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Mercado de trabalho cresceu 25,7% em 2010, diz pesquisa


Fonte: CNDL

O mercado de trabalho fechou 2010 com crescimento de 25,66%, na comparação com 2009. Segundo um estudo realizado pela Ricardo Xavier Recursos Humanos, no ano passado, foram contabilizadas 27.073 vagas, contra 21.543 em 2009.

Somente em dezembro, foram criados 1.457 postos de trabalho, o que representa alta de 9,79%, na comparação com o último mês do ano anterior. Já no confronto com novembro, houve queda de 32,67%.

“A diminuição na abertura de vagas para executivos em dezembro [em relação a novembro] é algo natural. O aumento do número total de vagas para executivos em dezembro em relação a 2009 foi muito positivo e já sinaliza que 2011 deve ser ainda mais aquecido, com a abertura de oportunidades nos mais variados setores”, explica o presidente da Ricardo Xavier, Hélio Terra.

Áreas que mais contrataram
Em relação às áreas que mais contrataram em dezembro, o destaque foi a comercial, responsável por 10,3% do total de posições. Em seguida, aparecem engenharia, com 9,8%, e recursos humanos (7,1%). Os outros segmentos que também se destacaram foram industrial (6,9%), de tecnologia da informação (5,1%) e administrativo (4,8%).




Eles só votam no que interessam a eles...

Que os parlamentares brasileiros só votam o que interessam a eles, isso não é novidade. Todo mundo sabe. O que todo mundo não sabe e precisa saber é que desde o ano de 2001, tramita no Congresso Nacional o de Lei N.º 5476/2001 que cancela o recebimento da taxa telefônica de R$ 40,37 (residencial) e R$ 56,08 (comercial). Isso é de fato de interesse público, pena que não é divulgado.

Esse tipo de assunto NÃO é veiculado na TV ou no rádio, porque eles não têm interesse e não estão preocupados com isso. Então nós é que temos de correr atrás, afinal quem paga somos nós!

O projeto acima citado está tramitando na COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR, na Câmara, e precisa do seu apoio para ser votado com rapidez. Pois, depois de votado, aprovado e sancionado, você só pagará pelas ligações efetuadas, acabando com a taxa cobrada da assinatura mensal.

Ligue e vote: O telefone a ser discado é o 0800-61 96 19, seguido da sequencia de 111. Você pode votar de segunda à sexta-feira das 08h às 20h. A chamada é direcionada para a Câmara dos Deputados Federais.




Concorrência favorável: Ritmo de queda das taxas para o setor de cartões vem surpreendendo analistas

Fonte: CNDL

Com o aumento da concorrência no setor de cartões, os lojistas estão conseguindo renegociar com as empresas e as taxas cobradas por transação realizada pelos consumidores com este meio de pagamento estão caindo. A queda está surpreendendo analistas, que já preveem redução das receitas e dos lucros da Cielo e da Redecard, as duas maiores credenciadoras de estabelecimentos comerciais.

Algumas grandes redes conseguiram redução de até 40% nas taxas, como é o caso da Pague Menos, uma das maiores redes de drogarias do Brasil. Para a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), as taxas devem continuar recuando, conforme a competição aumente e novas empresas passem a operar no mercado.

O presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Júnior, destaca que, desde a abertura do mercado de credenciamento, em julho de 2010, alguns lojistas estão conseguindo isenção na locação das máquinas e redução de até 35% na taxa por transação. Segundo ele, essa taxa média, que variava de 3% a 5% antes do fim da exclusividade da Cielo e Redecard, está, atualmente, entre 2,5% e 4,5%. Essa variação ocorre de acordo com a característica dos estabelecimentos comerciais. A expectativa de Pellizzaro Júnior é de que a taxa média recue para o intervalo de 1,5% a 2,5%.

As renegociações das taxas se intensificaram no quarto trimestre de 2010, puxadas pelas grandes redes varejistas. Os resultados efetivos só devem ser conhecidos a partir de fevereiro, quando a Redecard e a Cielo divulgam seus resultados financeiros. Em uma reunião com analistas de mercado em dezembro, o presidente da Cielo, Rômulo de Mello Dias, já antecipou que os resultados da empresa viriam piores no quatro trimestre por conta das renegociações dos contratos com grandes varejistas. Procuradas, Cielo e Redecard não se pronunciaram sobre o assunto, por estarem em período de silêncio.

Exclusividade

Segundo fontes, a drogaria Pague Menos obteve redução de até 40% nas despesas com os serviços de cartão de crédito – taxas de desconto, antecipação de recebíveis e aluguel de equipamentos – após fechar um contrato de exclusividade com uma grande credenciadora. Em 2009, a Pague Menos foi a varejista com o maior faturamento do ramo farmacêutico do País e a segunda em número de pontos de venda. Procurada, a empresa preferiu não se pronunciar sobre este assunto.

Os analistas do Goldman Sachs Carlos Macedo, Jason Mollin e Wesley Okada esperavam que as taxas cobradas dos lojistas fossem caindo lentamente. Mas a redução veio acima do esperado, por conta da renegociação com grandes varejistas.

Após se reunirem com executivos do setor e das duas empresas credenciadoras, os analistas do Goldman preveem nova rodada de baixas nas taxas, até porque o movimento ainda não ocorreu com força em redes menores.

A redução das taxas é "uma briga histórica" dos supermercados com as credenciadoras, afirma o vice-presidente e diretor de comunicação da Associação Paulista de Supermercados (Apas), Orlando Morando.

Segundo ele, os porcentuais cobrados chegaram a equivaler a 4,5% dos valores transacionados, sobretudo nos pequenos comércios. "Isso era maior que o resultado líquido das nossas operações, que fica na faixa dos 3%", diz Morando, acrescentando que as taxas, atualmente, situam-se na média dos 3%, considerando a média entre os associados da Apas. No entanto, entre os pequenos comércios podem variar ainda entre 3,5% a 4%.







quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Quer ser um empresário vencedor? Venha para o time do SPC da CDL Santa Cruz do Capibaribe


Procure uma das consultoras da CDL, vá até a sede, ou nos ligue que iremos até você. O que não pode é você ficar de fora desta entidade que a anos está do seu lado viabilizando cada vez mais segurança para o seu negócio.

Além dos serviços do SPC, você associado tem possibilidade de treinar os seus colaboradores a preço de custo, pois a CDL semanalmente promove cursos voltados para o movimento lojista.

Mais informações:
81-3731-2850




Ypiranga vence primeira partida no Pernambucano 2011


Em uma partida difícil e muito disputada, o Ypiranga venceu sua primeira disputa no Campeonato Pernambucano 2011, na noite desta terça-feira (18). O jogo teve um primeiro tempo sem grandes lances, mas um duelo bem acirrado entre o Ypiranga e a equipe do Araripina.

Ainda no primeiro tempo, Everton desviou a bola com o peito e entregou para Nino Guerreiro abrir o placar para o alviazulino. No segundo tempo, o Bode entrou com tudo e atacava mais que a máquina. Mesmo assim, não conseguiu marcar.

O jogo até parecia que ia acabar em 1X0 para o Ypiranga, mas aos 42 minutos do segundo tempo, Dinho Souza recebeu a bola e em uma magestosa arrancada, marcou o segundo gol e decretou a vitória por 2X0 para o time da Capital da Moda. Na quarta rodada, o Ypiranga enfrenta o Sport na Ilha do Retiro, na próxima quinta-feira (20).




Indústria do Conhecimento chega a Santa Cruz do Capibaribe


A biblioteca do Projeto Indústria do Conhecimento, desenvolvido em todo Brasil pelo Serviço Social da Indústria (SESI), consiste em um centro multimeio composto por biblioteca, DVDteca, CDteca, gibiteca e Internet, onde possibilita o acesso da comunidade a informação e ao conhecimento. O objetivo desses centros é estimular os usuários a praticar mais a leitura, lazer e promoção da cidadania.

O SESI com este projeto Indústria do Conhecimento faz parte da iniciativa da indústria e foi lançada em 2006. Até 2015, o intuito do SESI é abrir 350 unidades em cidades com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Em Santa Cruz do Capibaribe, o Centro da Indústria do Conhecimento chegou através de uma parceria entre a Rota do Mar, Associação Empresarial (Ascap) e da CDL. A inauguração vai acontecer na tarde desta sexta-feira (21), na Rua Prefeito Teófanes Filho, Bairro Palestina, às 16 horas.




terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Carnaval 2011: Santa Cruz do Capibaribe terá seu primeiro Baile de Máscara


A Capital da Moda vai cair no passo vestida a fantasia. O primeiro Baile de Máscara de Santa Cruz do Capibaribe vai acontecer no dia 11 de fevereiro.

O evento acontecerá na AABB e promete resgatar a cultura carnavalesca da cidade.

Será um baile familiar, onde a sociedade santa-cruzense vai se encontrar e diverti-se ao som de muita música com integrantes da Escola de Samba Patusco, de Recife.

A realização é da empresa, Tintas Quimilson e da Real Produções.

Serviço
Evento:
Baile de máscaras de Santa Cruz do Capibaribe
Local: AABB
Data: 11 de fevereiro
Investimento: R$ 150 reais para 4 pessoas
Contato: Fabiana Moraes – Tintas Quimilson





CDL Santa Cruz do Capibaribe trará a JUCEPE para o município


A CDL da Capital da Moda está com tudo pronto para a instalação da Junta Comercial do Estado de Pernambuco – JUCEPE, na cidade. Com isso, os empreendedores de Santa Cruz do Capibaribe terão mais acessibilidade para a formalização das suas empresas. A JUCEPE vai funcionar no mesmo prédio da CDL, que fica na Rua Júlia Aragão, 249, Bairro Novo. (mesma rua do CESAC).



Indústrias já contratam para a Páscoa

Fonte: JC on line

O ano mal começou e as fábricas de chocolate já iniciaram a contratação de temporários para a Páscoa. No Estado, há pelo menos 400 oportunidades disponíveis. A Páscoa só perde para o Natal e o Dia das Mães no ranking das contratações temporárias para o comércio e a indústria.

A Kraft – responsável pela marca Lacta – está com 800 vagas abertas, em todo o Nordeste, para quem deseja trabalhar como promotor de vendas. Destas, 250 estão destinadas para Pernambuco. O salário é de R$ 600 e a empresa ainda prevê premiações para os destaques. Para participar do processo seletivo, é preciso ter o ensino médio completo. Não é exigido experiência, mas trabalhos anteriores podem contar pontos.

A pernambucana Companhia do Cacau está com seleção marcada para a próxima semana. São 50 vagas no total: 25 de promotores de vendas e 25 de embaladores. Para o primeiro cargo, está sendo exigido certificado de nível médio e, para o segundo, ensino fundamental completo. Também não é preciso ter experiência. Os promotores terão salário de R$ 600 mais comissão e os embaladores, de R$ 550 a R$ 600 – dependendo da função. Mas o diretor de recursos humanos da empresa, Cláudio Maciel, lembra que “todos os temporários podem receber bonificação”.


Na hora de criticar ou ser criticado, importante é ser profissional

Fonte: Portal do Administrador

Receber críticas ou criticar alguém no trabalho são momentos que exigem postura profissional dos envolvidos. Segundo especialistas, é um erro se exaltar ou agir de forma grosseira, sendo que, sobretudo para quem recebe o comentário, é importante encarar o momento como uma chance de aprimoramento.

"Quem recebe a crítica não deve se sentir por baixo, pois, se o líder criticou, é porque ainda acredita que a pessoa tem potencial, caso contrário, partiria logo para a demissão (...) Já quem critica deve agir com cautela, pois uma crítica pode fazer com que o líder perca ou ganhe o profissional", explica a consultora em RH (Recursos Humanos) do Grupo Soma Desenvolvimento Corporativo, Jane Souza.

Quem critica

É importante ressaltar que, ao contrário do que muitos pensam, não é só o líder que está apto a criticar alguém no trabalho.

Na opinião do diretor executivo da Ricardo Xavier Recursos Humanos, Marshal Raffa, independentemente se a observação parte do líder, quem critica deve fazer o comentário de forma profissional e detalhada, apontando caminhos para que a pessoa possa melhorar.

Além disso, diz Jane, antes de criticar, é importante analisar com cuidado os fatos, para ter certeza de que a crítica é realmente pertinente e poder explicar os motivos que o estão levando a discordar de alguma posição.

No mais, dizem os especialistas, ao criticar alguém, a pessoa deve ser hábil ao abordar, não gritar e não fazer comentários na frente de outros profissionais.

Quem recebe

Já quem recebe a crítica deve ser humilde e ouvir atentamente o interlocutor. Para Raffa, tal postura é essencial, porque pode dar pistas para a pessoa avaliar se a crítica é pertinente ou não.

Assim como ocorre com quem faz um comentário, quem recebe uma crítica também deve agir de forma profissional, com respeito, e evitar demonstrar insatisfação. Depois, é preciso fazer uma autoavaliação para saber o que deve ser considerado ou não.

"Quem recebe a crítica deve pensar criticamente, verificando o lado construtivo daquilo para o seu trabalho (...) fazer uma autoavaliação e verificar até que ponto isso é importante, como trabalhar esses pontos e colocar em prática. Depois disso, após um tempo, é necessário ir até quem criticou, para ver se houve melhoras", diz Raffa.





segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Receita exclui 31 mil empresas do Simples Nacional

Fonte: Agência SEBRAE

A Receita Federal do Brasil excluiu 31 mil empresas do Simples Nacional por problemas de débitos com o Fisco. Conforme a Receita, as exclusões ocorreram em 1º de janeiro de 2011. Elas estavam num lote de 35 mil empresas consideradas as maiores devedoras do sistema e que foram notificadas a partir de setembro do ano passado. Dessas, apenas 4 mil regularizaram a situação.As empresas notificadas faziam parte de um conjunto de 560 mil devedoras do fisco. A Receita prevê novas notificações ainda para esse primeiro semestre de 2011.

As empresas excluídas ainda podem quitar seus débitos, que precisa ser feito à vista, e fazer nova opção pelo Simples Nacional até o dia 31 de janeiro, quando termina o prazo anual de adesão ao sistema. Como o processo de exclusão e de opção ocorre no mês de janeiro, a permanência da empresa no sistema não é interrompida até o final do período.

Dificuldades

Para o gerente de políticas públicas do Sebrae, Bruno Quick, o fato de haver mais de 500 mil empresas do Simples em situação de débito tributário mostra as dificuldades enfrentadas pelas micro e pequenas empresas, agravadas por problemas como a recente crise financeira mundial, a valorização do real e a conseqüente exposição à concorrência de produtos importados.

Soma-se a isso, segundo Quick, o fato de que há cerca de 5 anos o teto do Simples Nacional permanece o mesmo – R$ 2,4 milhões, sem qualquer ajuste. Assim, por exemplo, mais de três mil empresas estão na última faixa e em vias de estourar esse teto e sair prematuramente do sistema de tributação diferenciada. O gerente explica que a saída do sistema altera substancialmente a carga tributária e a estrutura de custo da empresa e pode levar à sua saída do mercado ou empurrá-la para a informalidade, o que entende, contraria os objetivos da política pública instituída pela Lei Geral de incentivo à formalização, ao desenvolvimento e à geração de emprego e renda.

“As empresas estão fragilizadas e precisam de apoio”, diz Bruno Quick. Ele lembra que os débitos do Simples Nacional sequer podem ser parcelados e alerta para a necessidade de mudanças, conforme previa o Projeto de Lei Complementar 591 que tramitava na Câmara dos Deputados em 2010. “Alguns empresários têm a esperança de que esse projeto seja votado ainda em fevereiro deste ano, conforme prometeu o líder do governo no final do ano passado e que, entre as mudanças, seja incluido o parcelamento de débitos das empresas”.





Inadimplência registra queda de 4,49% em dezembro

Fonte: CNDL

A taxa de inadimplência apresentou queda de 4,49% em dezembro do ano passado em comparação ao mês de novembro, com expansão de 4,59%. Esta baixa vem após dois meses consecutivos de alta. Entre os fatores que determinaram este índice estão a liberação da segunda parcela do 13° e a injeção recursos na economia via crédito, o que fez com que grande parte dos inadimplentes aproveitasse este mês para quitar seus débitos junto ao SPC, podendo assim voltar ao mercado de consumo.

Na comparação com dezembro de 2009, a inadimplência subiu 2,73%. Segundo o economista do SPC Brasil, Fernando Sasso, o cenário econômico positivo aumentou a confiança do consumidor, o que o faz gastar mais e ficar mais otimista. “Ao mesmo tempo, o consumidor aumentou suas dívidas, quando sua confiança é maior do que sua capacidade de honrar seus compromissos, avaliou.

2010

Já durante todo o ano de 2010, a taxa de inadimplência registrou queda de 1,85% quando comparado ao ano de 2009. Esta queda se deve ao aumento no rendimento da população em conjunto com o aumento da massa salarial no período.

Consultas

Os números apresentam aumento de consultas ao SPC Brasil no Natal de 2010. Comparado com 2009, houve um crescimento de 10,56% no volume de consultas. "O consumidor chegou ao Natal de 2010 em melhores condições do que as verificadas na mesma data de 2009", informou o economista.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 13, na sede da CNDL em Brasília.





Santa-cruzense fatura prêmio no Domingão do Faustão


O garoto de apenas 17 anos participou do Domingão do Faustão, no quadro Se vira nos 30, e ganhou R$ 15 mil reais.

Eddye Beat Box participou do programa global na tarde deste domingo (16), e chamou a atenção de Faustão, devido ao som que ele consegue fazer com a boca.

Eddye foi atração do programa durante quase cinco minutos e levou o nome de Santa Cruz do Capibaribe para uma das atrações de maior audiência nas tardes de domingos.

O jovem rapaz foi chamado de caixa humana de som, e trouxe para a Capital da Moda o prêmio. Ele é um dos integrantes do Grupo Facção Hip Hop, Grupo apoiado pelo Cel. Varêda, quando esteve a frente da Polícia Militar de Santa Cruz do Capibaribe.



sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

SPC divulga dados de vendas e inadimplência no País

O Indicador CNDL/SPC Brasil de Vendas e Inadimplência é apurado com base na média de consultas ao banco de dados em todos os Estados do País e no Distrito Federal. Atualmente, o cadastro de consumidores conta com aproximadamente 150 milhões de CPFs (Cadastro de Pessoas Físicas), dentre os quais existem pessoas com débitos e também aquelas que apenas foram consultadas, mas que se encontram em dia com os seus compromissos financeiros.

O Indicador CNDL/SPC Brasil de Vendas e Inadimplência tem como principal objetivo medir a variação do volume de consultas, tanto de vendas, quanto de recuperação de crédito, em períodos pré-determinados. O público-alvo desta pesquisa é amplo. Abrange não apenas os comerciantes, mas empresários de todos os setores da economia, interessados em auferir com segurança a situação das vendas, recuperação e/ou agravamento da crise econômica, risco de crédito, aumento da inadimplência, elevação do número de consultas e arrefecimento da poupança.





SPC realiza manutenção em seu sistema



Taxa de inadimplência diminui 1,83% no comércio em 2010, diz CNDL

Fonte: Diário de Pernambuco

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) registrou em 2010 queda de 1,85% na inadimplência, em relação a 2009. Na comparação com novembro, o mês de dezembro teve queda de 4,49% na inclusão de devedores no cadastro. No entanto, em relação a dezembro de 2009, houve alta de 2,73%. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (13/1) pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).
De acordo com a entidade, em dezembro, houve crescimento de 34% nas consultas ao SPC, na comparação com novembro, e de 10,59%, em relação ao mesmo período de 2009. No ano, houve um aumento das consultas de 8,25%.

Os registros do SPC também mostram que, em dezembro, houve um aumento de 23,81% no cancelamento de registros na comparação com novembro de 2010. Isso se deve, entre outros fatores, segundo a CNDL, aos recursos do décimo terceiro salário. Na comparação com dezembro de 2009, o cancelamento de registros aumentou 3,54%. No ano, a alta foi de 5,68%.

Em dezembro do ano passado, foi registrado o maior percentual de inadimplentes nas faixas abaixo de R$ 250: 75,17%.



quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Ouça o primeiro programa CDL em ação da CDL Santa Cruz do Capibaribe

Programa CDL em Ação estreia hoje na Comunidade FM

A CDL Santa Cruz do Capibaribe inova na Comunicação e lança programa radiofônico nesta quinta-feira (13). Agora, além das suas publicações impressas e na Internet, a entidade também estará presente nas ondas do rádio.

Com apresentação e produção do jornalista Elinaldo Ventura, juntamente com o também jornalista Betto Aragão, o programa irá ao ar pela Comunidade FM, às 11 horas, quinzenalmente, às quintas-feiras.

Com duração de 10 minutos, a atração contará com entrevistas e quadros, todos com assuntos relacionados ao mundo empresarial.

Para ouvir o programa, quem estiver em Santa Cruz pode ligar o rádio no horário em 87,9 FM. Também será possível ouvir pela Internet. Além disso o programa ficará disponível no blog da CDL Santa Cruz do Capibaribe.



Calendário de Feriados em 2011


O dia 24 de junho, como aparece no calendário como ponto facultativo trata-se de um erro de digitação, na verdade a data é feriado mesmo instituído pelo município em alusão as festas junina.

Veja os feriados municipais:

Feriado Civil:
Dia 29 de dezembro, em comemoração a Emancipação política de nosso município.
Feriados religiosos:
Dia 05 de Outubro, em registro ao falecimento do padre José Pereira de Assunção – Padre Zuzinha;
Dia 29 de setembro, em comemoração às festividades dos padroeiros de nosso município;
Dia 24 de junho, em comemoração às festividades Juninas;
Sexta- feira da paixão – Sexta – feira Santa.

Alta do salário mínimo pode custar R$ 2,8 bi ao seguro desemprego

Fonte: Portal dos Administradores

O aumento no valor salário mínimo pretendido pelas centrais sindicais - dos atuais R$ 540 para R$ 580 - elevaria os gastos com pagamento do seguro desemprego e o abono salarial em cerca de R$ 2,8 bilhões em um ano. De acordo com o presidente do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), Luigi Nese, cada R$ 10 de aumento no salário mínimo representa um desembolso extra de R$ 700 milhões para o pagamento desses benefícios.

Por lei, o seguro desemprego e o abono salarial são vinculados ao valor do mínimo. O pagamento desses benefícios é financiado pelo FAT, cuja principal fonte de recursos são as contribuições das empresas para o Programa de Integração Social (PIS) e para o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP).

"Se o aumento dos gastos não for proporcional ao crescimento das receitas, haverá desequilíbrio operacional nas contas do fundo. O conselho sempre está atento a isso", diz Nese.

Segundo ele, a receita do FAT em 2010, até novembro, foi de R$ 29,231 bilhões, 20% a mais do em igual período do ano anterior. Os gastos com o pagamento do abono salarial subiram 18% e com o seguro desemprego, só 2,27%, somando R$ 29,731 bilhões. "Praticamente, houve equilíbrio", frisa o presidente do Codefat.

Caso as despesas cresçam mais que as receitas este ano, a diferença será coberta com recursos financeiros do fundo. No ano passado, essas receitas somavam R$ 10,2 bilhões até novembro, o que representa variação de 1,32% em relação a igual período de 2009. "Mas acreditamos que haverá diminuição significativa nas despesas com seguro desemprego e, portanto, pode haver superávit", afirma Nese.





Vendas do comércio têm 7ª alta consecutiva, aponta IBGE

Fonte: CNDL

As vendas no comércio varejista cresceram pelo sétimo mês consecutivo. Em novembro, houve alta de 1,1% na comparação com o mês anterior, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). É a sétima alta consecutiva no indicador e o melhor resultado desde agosto, quando subiu 1,7%.

Em relação a novembro de 2009, houve alta de 9,9%. No acumulado do ano, verifica-se avanço de 11% na comparação com igual intervalo no ano passado. No acumulado dos últimos 12 meses até novembro, as vendas cresceram 10,8%.

Em relação a novembro de 2009, houve alta de 9,9%. No acumulado do ano, verifica-se avanço de 11% na comparação com igual intervalo no ano passado. No acumulado dos últimos 12 meses até novembro, as vendas cresceram 10,8%.

A receita nominal de vendas no comércio teve expansão de 1,2%, na comparação com o mês anterior. Em relação a novembro de 2009, a receita do comércio aumentou 14,8%, com destaque para o setor de livros, jornais, revistas e papelaria (27,5%).

As vendas no comércio varejista ampliado --que inclui ainda o desempenho das vendas de veículos e motos, partes e peças e material de construção apenas no varejo-- subiram 1,4% frente a outubro. Na comparação com novembro de 2009, houve alta de 17%.

As vendas de veículos e motos, partes e peças subiram 0,2% na comparação com outubro, e 30,4% ante o mesmo mês do ano passado.

Já as vendas de material de construção no varejo registraram alta de 0,8% sobre outubro, e de 15,8% ante novembro de 2009.

Na comparação com outubro, seis das oito atividades pesquisadas registraram crescimento no volume de vendas, com destaque para equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (10,5%).

Por outro lado, houve retração nas vendas de tecidos, vestuário e calçados (-3,6%) e combustíveis e lubrificantes (-0,3%).

Em relação a novembro de 2009, todas as oito áreas avaliadas apresentaram expansão, principalmente os setores de livros, jornais, revistas e papelaria (23,2%) e móveis e eletrodomésticos (20,5%).






quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

CDL estreia programa de rádio

A CDL Santa Cruz do Capibaribe estreia amanhã (13), o programa CDL em ação, que vai ao ar às 11 horas pela Rádio Comunidade FM. Fique ligado e ouça as ações que a CDL realiza para fortalecer o comércio lojista da Capital da Moda. A apresentação é do Jornalista Elinaldo Ventura.

Mais de 50% dos nosrdestinos não têm conta bancária

Textos de Juliana Cavalcanti
do Diário de Pernambuco

O Nordeste é a região com menor número de pessoas com contas bancárias do país. O dado foi revelado pelo Sistema de Indicadores de Percepção Social (Sips) do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado ontem. O levantamento ouviu 2.770 pessoas nas cinco regiões brasileiras e apontou que 39,5% dos brasileiros não possuem conta bancária. O percentual cresce bastante nas regiões Nordeste e Norte, onde 52,6% e 50% das pessoas, respectivamente, estão fora do sistema bancário.

"Isso é um indicador de subdesenvolvimento. Quanto mais desenvolvido um país, mais o sistema bancário é capilarizado. Outra questão constatada é que existe um equívoco na maneira de entender a função dos bancos no Brasil. Um percentual pequeno associa aos bancos a função primeira de oferecer crédito", analisa Milko Matijascic, chefe da Assessoria Técnica do Ipea.

Segundo a pesquisa realizada pelo instituto, apenas 4,5% das pessoas entendem como função das instituições financeiras ´emprestar dinheiro`. Para a maioria (62,1%), os bancos servem para ´movimentar e guardar dinheiro`, enquanto para 29,5% funcionam para ´oferecer produtos/serviços e pagar contas`. Esse entendimento independe da faixa de renda dos entrevistados.

Leia mais...






Produção industrial cresce em metade das regiões pesquisadas

Fonte: Agência Brasil

A produção industrial brasileira cresceu em metade das 14 regiões pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em novembro de 2010, em relação ao mês anterior. O maior crescimento foi registrado no estado do Paraná, cuja produção aumentou 11,5%.

Também registraram crescimento na produção industrial os estados do Amazonas (8,8%), Rio Grande do Sul (8,3%), Rio de Janeiro (5,5%), Pará (5,1%), de Santa Catarina (2,3%) e São Paulo (1,4%).

Já a Bahia foi o estado que teve a maior perda no período, com uma queda de 8,1% na produção. Também registraram redução a Região Nordeste (-5,8%) e os estados do Espírito Santo (-3,1%), de Goiás (-2,8%), Minas Gerais (-2,5%), Pernambuco (-2,2%) e do Ceará (-0,1%).

Na comparação de novembro de 2010 com o mesmo período de 2009, 11 regiões tiveram crescimento, com destaque para o Pará (15,1%) e o Paraná (13,6%). Já nos acumulados do ano de 2010 e de 12 meses, todas as regiões pesquisadas registraram aumento na produção industrial. O destaque nesses dois tipos de comparação foi o Espírito Santo, que cresceu, respectivamente, 24,9% e 25,9%.





terça-feira, 11 de janeiro de 2011

CDL Santa Cruz do Capibaribe entrega moto ao ganhador da Bahia


A CDL Santa Cruz do Capibaribe entregou na manhã desta terça-feira (11), a última moto do sorteio da Campanha Natal Show de Prêmios. O ganhador foi o Valdenor José dos Santos, ele que reside na cidade de Poções na Bahia e realiza compras aqui na cidade.

A loja na qual o sorteado fez compras foi a Gugu Confecções que fica estabelecida no Moda Center Santa Cruz. A entrega foi feita pelo colaborador da CDL, Eliomar Ramoile.

Pernambuco ganha centro de referência de moda

A partir deste ano, a Estação Cultural Senador José Erm írio de Moraes equipamento cultural da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco - Fundarpe, em Jaboatão dos Guararapes abrigará um projeto pioneiro no Brasil no segmento da moda.
Trata-se do Centro de Referência da Moda Pernambucana, fruto de um convênio firmado entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado - SDEC e a Petroquímica Suape. O projeto tem o objetivo de agregar valor à confecção e produção têxtil do Estado com ações nas áreas de design, adaptação de tecnologia e capacitação cultural.

O evento contou com a participação de representantes do Governo de Pernambuco, Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes, instituições de ensino superior e técnico na área de moda e sindicatos da indústria têxtil do Estado.
O Centro funcionará – com suporte financeiro da Petroquímica Suape, uma das maiores indústrias de fiação têxtil do Brasil como um espaço incubador de empresas na área de moda e promoverá oficinas de capacitação, rodadas de negócios, showroom, feiras, desfiles, eventos temáticos e exposições de artistas gráficos e estilistas. Por ano, o projeto pretende receber seis empresas incubadas.

Para participar, os grupos (pessoa física ou jurídica) deverão inscrever seus projetos, na área de moda, em um edital que terá lançamento anual. Pernambuco é o segundo maior produtor de vestuário do Brasil, entretanto não é referência em moda.

Nós queremos nivelar essa referência, aumentar a autoestima do setor têxtil, agregando valor à nossa produção com design e cultura. A ideia é que o projeto seja mesmo uma referência e se expanda, como um exemplo, para outras cidades e regiões do País. Esta é apenas a ponta de um iceberg de toda uma cadeia produtiva, disse a estilista Magna Coeli, coordenadora do Centro e consultora da Fundarpe e do Sinditêxtil - PE, que enfatiza a importância da união do Governo com a iniciativa privada para que projetos como este ganhem vida e sejam tocados.

A Estação Cultural Senador José Ermírio de Moraes, que desde 2009 vem promovendo exposições, shows e oficinas culturais, continua com suas atividades normais. A diferença é que agora o espaço também agregará o Centro de Referência da Moda Pernambucana, como uma forma de colocar a moda para dialogar com outras expressões culturais. Para receber o projeto, a Estação, que possui 650m2 de área construída (uma casa da década de 70 e um prédio anexo da década de 80), passará por uma readequação arquitetônica, que respeitar á a estrutura original do edifício.

O espaço localizado à beira-mar de Piedade e que por anos foi a casa do industrial e senador José Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim - foi doado ao Governo de Pernambuco pela Votorantim com o intuito de que a área servisse de espaço cultural para o povo pernambucano.

Chuva deixa Santa Cruz do Capibaribe totalmente alagada


A primeira chuva de 2011 deixou Santa Cruz do Capibaribe alagada, na tarde desta segunda-feira (10). Vários pontos do Centro da cidade se confundiam com riachos.

Os bueiros e córregos não suportaram a intensidade das águas e acabaram transbordando.

Os lojistas da feira de artesanato tiveram que empurrar a água com rodos e vassouras, na tentativa de não deixar alagar as lojas.

A chuva demorou cerca de 1 hora e foi o suficiente para causar o transtorno. Novidade para os confeccionistas da Capital da Moda, que mesmo diante dos alagamentos veem na primeira chuva do ano, prenúncios de boa produtividade para o homem do campo e, consequentemente, para a economia em geral.



Salário mínimo do Brasil é um dos piores do continente

Fonte: CNDL

Apesar dos sucessivos aumentos acima da inflação até o ano passado, o poder de compra do salário mínimo no Brasil ainda é um dos piores da América Latina, segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

Os dados se referem a 2009 e consideram 24 países latino-americanos. Segundo a organização, o mínimo no Brasil é o 16º na lista (com poder de compra equivalente a US$ 286, o que corresponderia ontem a R$ 483).

O valor é inferior, por exemplo, ao dos mínimos de Honduras, Paraguai e El Salvador.

A paridade do poder de compra (ou PPC) é um medidor do custo de vida de um país que busca relativizar as diferenças de ganhos.

Por exemplo, o salário mínimo no Brasil hoje é superior ao peruano (R$ 360), mas, no país vizinho, os bens e serviços são geralmente mais baratos, o que torna o seu poder superior ao brasileiro (US$ 334 a US$ 286).

No ranking anterior divulgado pela OIT, com números de 2007, o Brasil ocupava o 11º lugar entre 14 países latino-americanos.

Hélio Zylberstajn, presidente do Instituto Brasileiro de Relações de Emprego e Trabalho, diz que a valorização do real afeta o indicador.

"O salário mínimo, quando convertido em dólares, aparentemente compra muito mais. Mas esse é um indicador enganoso neste momento porque nossa moeda está sobrevalorizada", diz.

Zylberstajn destaca que, se o Congresso mantiver o salário mínimo em R$ 540, o ciclo recente de aumento do poder de compra do rendimento-base será interrompido.

Neste ano, a variação no salário mínimo foi de 5,9% -de R$ 510 para R$ 540. A taxa é menor que o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) no ano, de 6,46%. O INPC é o indicador usado para calcular os reajustes do rendimento.

EFETIVIDADE

O professor da PUC-RJ José Márcio Camargo diz que a comparação do salário mínimo brasileiro com o de outros países da região também deve considerar a efetividade da base de remuneração.

"O salário mínimo no Paraguai pode ser muito alto, mas não vale nada", afirma.

Segundo ele, em muitos países onde o poder de compra do mínimo supera o do Brasil no ranking da OIT, grande parte da população ganha o equivalente ao valor ou até menos que a base.

DESIGUALDADE

De 2006 a 2009, enquanto o salário médio brasileiro em dólares cresceu 14,5%, descontada a inflação, o mínimo avançou 29,5% -a quinta maior alta na região.

Claudio Salm, economista da UFRJ, destaca que esses números diferem dos registrados na época do milagre econômico brasileiro, na década de 1970.

Na época, os salários médios -determinados pelo mercado- cresciam mais que o salário mínimo, reflexo de política pública.

Mas Salm argumenta que o fato de o Brasil ainda estar atrás de outros países do continente em termos de salário mínimo mostra que o valor do rendimento pago no país ainda é relativamente baixo.




Indústria brasileira perde R$ 17,3 bi em 9 meses

Fonte: Agência Estado

Pressionada pelas importações, a indústria brasileira de transformação perdeu R$ 17,3 bilhões de produção e deixou de gerar 46 mil postos de trabalho em apenas nove meses de 2010. A informação é de um estudo inédito da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) que mediu o impacto que o processo de perda relativa do setor na formação do Produto Interno Bruto (PIB) apresenta na economia brasileira.

Em dois anos, o chamado coeficiente de importação, que mede o porcentual da demanda interna suprido por produtos vindos do exterior, subiu quase dois pontos. Passou de 19,6%, no acumulado de janeiro a setembro de 2008 (pré-crise), para 21,2%, no mesmo período de 2010. Se o setor não tivesse perdido participação para os produtos estrangeiros, as importações do setor cairiam de R$ 232,4 bilhões para R$ 215,1 bilhões, segundo a Fiesp. Ao mesmo tempo, a produção doméstica subiria de R$ 1,055 trilhão para R$ 1,072 trilhão. Esse crescimento da produção, de 1,6%, geraria aumento de 0,58% do emprego industrial.

“O País não pode se dar ao luxo de abrir mão de sua indústria na sua estratégia de desenvolvimento”, afirma o presidente da Fiesp Paulo Skaf. No fim dos anos 1980, a indústria de transformação representava 27% do PIB brasileiro. Hoje, baixou para 16%, calcula a Fiesp com base na nova metodologia do Instituto Brasileiro de Geografia Estatísticas (IBGE), adotada a partir de 2007. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.