Topo

Topo

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Financiamento imobiliário cresce mais em PE do que no Brasil

Fonte: Mais AB Imóveis

O crescimento do financiamento imobiliário através da Caixa Econômica Federal em Pernambuco foi maior do que o do Brasil no acumulado do ano passado. Quando comparado o ano de 2011 com 2010, o desempenho do estado foi de 10,7 % de acréscimo, enquanto o País apresentou um índice de aumento de 5,5%. Esse valor, entretanto, não inclui as operações do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. Os números foram apresentados nesta quarta-feira (8) pela Superintendência Regional da Caixa no Recife.
Quando se coloca o Minha Casa Minha Vida nos números, o estado teve um recuo de aproximadamente 30%. A explicação para a redução das contratações se deve ao fato de, em 2010, o estado ter iniciado o processo de construção de casas para as vítimas das enchentes ocorridas na Mata Sul. Em 2011, como não houve catástrofes naturais da mesma proporção em Pernambuco, as unidades residenciais foram direcionadas a outros tipos de público. Desde o início do programa, em 2009, houve contratos para a construção de 58.324 unidades, dos quais aproximadamente 16 mil foram relacionados a enchentes. No total, mais de 13 mil já foram entregues para a população.
Na Região Metropolitana do Recife (RMR), algumas cidades se destacaram no crescimento de imóveis financiados dentro do Minha Casa Minha Vida. Segundo a Caixa, municípios como Abreu e Lima e Igarassu apresentaram maior número de unidades habitacionais, principalmente para a chamada “faixa 1”, que é composta por famílias com rendimento mensal de até R$ 1,6 mil. Áreas mais centrais, dentro do Recife ou próximo de áreas mais adensadas, apresentam carência na oferta de terrenos. O tipo de público que está buscando o financiamento também vem apresentando mudanças.
“A gente tem percebido a busca das pessoas, dentro do Minha Casa Minha Vida, por imóveis localizados em municípios da Região Metropolitana do Recife, que estão mais integrados com a capital. Há uma mudança também no perfil dos clientes. Além das pessoas das classes D e C, percebemos um crescimento de clientes das classes A e B, que estão buscando financiamento conosco, por conta das vantagens”, contou Paulo Nery, superintendente regional da Caixa no Recife.
O aumento no número de financiamentos imobiliários no estado em 2012 está previsto para 15%. Alguns dos empreendimentos previstos dentro do Minha Casa Minha Vida devem ficar localizados, principalmente, nas cidades do Grande Recife, como em áreas próximas à Cidade da Copa, em São Lourenço da Mata, e também em Jaboatão dos Guararapes. “A Caixa deve continuar buscando parcerias. Dentro desse crescimento pernambucano, é papel da Caixa buscar maior relação junto ao governo, mais tempestividade [dentro do prazo] no desenvolvimento dos negócios, mais fontes de recursos. É um trabalho em conjunto”, falou Paulo Nery.
Pernambuco também apontou números maiores do que o País em relação a pagamentos dos benefícios sociais. O crescimento no estado foi de 18%; no Brasil, 13,6%. No que se refere à quantidade de operações comerciais, que levam em consideração créditos destinados a pessoas físicas e jurídicas, o valor chegou R$ 2,8 bi no estado, crescimento 20% maior do que o brasileiro. Paulo Nery considera que os números do estado refletem o bom momento econômico. “Esse é um momento ímpar na economia pernambucana. Com o estado crescendo acima da média, as pessoas também começam a ganhar mais, com crescimento da renda. Por isso que as variáveis locais vêm se desenvolvendo”, concluiu.

Nenhum comentário: