Topo

Topo

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Vendas de Natal, em polos de confecções do Agreste, superam expectativa


Fonte: Portal Mais AB

As vendas durante o período de Natal superaram as expectativas do Parque das Feiras de Toritama, e do Moda Center Santa Cruz. Para os comerciantes, esse foi um ano de muito trabalho, mas também, de um fortecrescimento da renda no setor.

Santa Cruz do Capibaribe tem o maior crescimento econômico do estado de Pernambuco


Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste de Pernambuco tem o maior crescimento percentual do Produto Interno Bruto do Estado. O PIB representa a soma de valores de todos os bens e serviços produzidos numa determinada região em um período de tempo, seja no setor de comércio, indústria e serviços.

Segundo dados do órgão público, o IBGE, o crescimento do PIB de Santa Cruz relativo e consolidado de 2010 foi o maior do Estado entre as 30 maiores cidades de Pernambuco. O PIB de Santa Cruz do Capibaribe cresceu entre 2009 e 2010: 30,8%; em média duas vezes acima da estadual e ultrapassando todas as cidades da Região Metropolitana do Recife, de Ipojuca (destacado porto de Suape) e no interior como Petrolina, Caruaru e Garanhuns. Veja o gráfico abaixo dos maiores crescimentos entre as 30 maiores economias de Pernambuco.



O crescimento expressivo do PIB ocorre por algumas razões, uma delas é o aumento da própria população, são pessoas dentro da mesma cidade consumindo serviços e produtos, naturalmente o PIB vai aumentar só por este crescimento da população. Santa Cruz do Capibaribe teve um aumento da população de 33% entre 2000 e 2010 o que influencia neste tamanho crescimento percentual do PIB, o que também proporciona é o aumento da dinâmica da cidade, pois a cidade é uma coluna no polo de confecções do Agreste que atraí compradores e comerciantes de todo o país.

A força econômica de Santa Cruz do Capibaribe reflete na geração de empregos na cidade, com uma população economicamente ativa em 2010 de 49.026 e taxa de desemprego que estudiosos da economia local afirmam próximo a taxa natural. Prova de que vários setores estão em expansão como indústria, comércio e o setor imobiliário. As empresas tem aumentado o quadro de funcionários a cada ano para acompanhar o aumento da demanda. O valor nominal divulgado em dezembro de 2012 do PIB de Santa Cruz do Capibaribe consolidado em 2010 é de R$ 579.343.000,00.

Existem expectativas de mais crescimento com o aumento da formalidade das empresas, a necessidade de estimulo a saída da informalidade é cada vez mais necessária para o desenvolvimento da cidade se concretizar assim Santa Cruz do Capibaribe ficará oficialmente entre as 10 cidades geradoras de riqueza do estado. Estima-se também que até 2025 metade do consumo de Pernambuco se concentrará no interior e as cidades do polo de confecções (junto com Caruaru, Toritama e Surubim) e outros polos de desenvolvimento serão os dos carros chefes desse consumo.

Os desafios são grandes pois a cidade é carente em infraestrutura e alocação dos recursos, fatores primordiais para ao tal esperado desenvolvimento econômico. Em síntese, crescimento e desenvolvimento econômico são duas coisas ou situações distintas. O crescimento de uma economia é indicado pelo crescimento da força produtiva do trabalho, pela receita nacional poupada e investida e pelo grau de aperfeiçoamento tecnológico. Já o desenvolvimento econômico, pode-se conceituá-lo como sendo o crescimento econômico (aumento do PIB per capita), acompanhado pela melhoria da qualidade de vida da população e por alterações profundas na estrutura econômica.

Por Jandson Araújo
Participante do Grupo SEIO (Sistemas Econômicos e Organização Industrial), UFPE-CAA.

Agência do Trabalho de Santa Cruz do Capibaribe oferece 11 vagas nesta última sexta-feira do ano


Mesmo as vésperas de um réveillon, a última sexta-feira de 2012, Santa Cruz do Capibaribe demonstra seu franco crescimento através da oferta de vagas. Só hoje, são oferecidas 11 vagas para diversas vagas.

Confira as vagas de emprego oferecidas hoje pela Agência do Trabalho de Santa Cruz do Capibaribe:
  • Vendedor interno, 2º segundo completo, 3 vagas;
  • Cozinheiro, 1º grau incompleto, 1 vaga;
  • Atendente de Farmácia,2º Grau Completo, 3 vagas;
  • Agente de crédito, 2º grau completo, 2 vagas;
  • Operador de prensa, 1º grau incompleto, 1 vaga;
  • Técnico em Segurança do Trabalho, 2º grau completo, 1 vaga.
A Agência do Trabalho de Santa Cruz do Capibaribe fica localizada na Rua Capitão Pedrosa, Nº 306, bairro de São Cristóvão. Telefone: 3759-8235.

Salário mínimo de R$ 678 causará impacto de R$ 1,88 bilhão nos municípios, estima CNM

Fonte: Agência Brasil


aumento de R$ 56 no salário mínimo, a partir de 1º de janeiro, vai provocar impacto de R$ 1,88 bilhão nas contas das prefeituras no ano que vem. O cálculo é da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego.
O salário mínimo atual, de R$ 622, passará para R$ 678, como determina o Decreto 7.872 publicado ontem (26) no Diário Oficial da União. O aumento leva em consideração a inflação de 2012 mais o crescimento da atividade econômica do ano anterior, como forma de recuperar o poder de compra do salário mínimo.
Essa política, de acordo com o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, tem sido “bastante salutar para a população”, mas ele adverte que um acréscimo de 9% no salário mínimo “pode causar problemas de caixa às prefeituras, porque pressiona fortemente as folhas de pagamento dos municípios que têm baixa arrecadação”.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Comunicado CDL

A CDL Santa Cruz do Capibaribe comunica a todos que entrará em recesso no (sábado) dia 29  de dezembro de 2012, e voltará a funcionar normalmente no dia 02 de janeiro de 2013, em função do feriado de Emancipação Política da cidade e do reveillon. A entidade aproveita o ensejo para desejar um Ano Novo cheio de expectativas e realizações!

Comitê reduz valor mínimo da parcela do Simples Nacional

Fonte: Agência Estado


O Comitê Gestor do Simples Nacional aprovou uma resolução alterando o valor mínimo a ser pago nos parcelamentos solicitados à Receita Federal ou à Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), de R$ 500,00 para R$ 300,00.

A Receita informou que nos próximos dias divulgará os procedimentos a serem adotados pelo contribuinte para pagamento da parcela mínima.

Parabéns





Hoje quem faz idade nova é o diretor de capacitação e expansão da CDL Jovem de Santa Cruz do Capibaribe, César Teles. A ele nossos cumprimentos e felicitações pelo aniversário. Receba os parabéns de todos que fazem a CDL da Capital das Confecções. Saúde e muita paz para você!

Empresas devem se planejar para pagar taxas e tributos

Fonte: Agência SEBRAE de Notícias


Em todo início de ano, a cena se repete: papéis, planilhas e calculadoras tomam conta da mesa dos donos de micro e pequenas empresas. E o bom empreendedor sabe quem se planeja com antecedência sai na frente e consegue pagar tributos na data correta para evitar cobranças, além de traçar diferentes cenários de tributação, e escolher o melhor.
Os pequenos negócios podem optar, por exemplo, pelo Simples Nacional. O sistema de tributação diferenciado criado para os micro e pequenos empreendimentos reúne em uma única guia o recolhimento de seis tributos federais (IRPJ, IPI, CSLL, Cofins, PIS/Pasep e CPP), um estadual (ICMS) e um municipal (ISS).
As empresas que quiserem se submeter às regras do Simples têm dois prazos à disposição. O primeiro é para o agendamento de adesão ao sistema. Ele deve ser feito entre o primeiro dia útil de novembro (neste ano foi dia 1º) até o penúltimo dia útil de dezembro – em 2012, no dia 28. Vale lembrar que esse agendamento não garante a inscrição no Simples. Ele é muito útil para a empresa descobrir com antecedência se há alguma pendência jurídica ou fiscal para fazer a opção. Se não existir nenhum impedimento, ele automaticamente será inscrito no ano subsequente.
Caso o proprietário não faça o agendamento, mas queira se inscrever no Simples, também é possível. O prazo será o mesmo em todos os anos: no mês de janeiro até o último dia útil. Em 2013, será dia 31. Para o Microempreendedor Individual (MEI) não há uma data limite para a inscrição. A obrigatoriedade é pagar a contribuição devida mensalmente até o dia 20. Para indústria e comércio, o valor é R$ 32,10 (R$ 31,10 para a Previdência e R$ 1 para o estado). Para serviços, o MEI paga mensalmente R$ 36,10 (R$ 31,10 para a Previdência e R$ 5 para o município). O carnê de pagamento é gerado pela internet e pode ser pago em qualquer agência bancária ou lotérica.
Caso o MEI tenha um empregado, ele terá mais uma data para cumprir. O empreendedor pode ter um empregado ganhando até um salário mínimo ou o piso salarial da profissão. Ele deve preencher a Guia do FGTS e Informação à Previdência Social (GFIP), que é entregue até o dia 7 de cada mês, por meio de um sistema chamado Conectividade Social da Caixa Econômica Federal. Ao preencher e entregar a GFIP, o microempreendedor individual deve depositar o FGTS, calculado à base de 8% sobre o salário do empregado. Além disso, deverá recolher 3% desse salário para a Previdência Social.
Todas as contas necessárias para esses cálculos são feitas automaticamente pelo sistema GFIP. Em resumo, o custo total do empregado para o Microempreendedor Individual é de 11% do respectivo salário, ou R$ 59,95, se o empregado ganhar o salário mínimo. O cálculo é sempre feito pelo valor do salário multiplicado por 3% (parte do empregador) e por 8% (parte do empregado).
Fique por dentro
O Simples Nacional abarca os seguintes impostos:  Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ); Imposto sobre Produtos Industrializados, exceto o incidente na importação (IPI); Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL); Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, exceto a incidente na importação (Cofins); Contribuição para o Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público, exceto a incidente na importação (PIS/PASEP); Contribuição para a Seguridade Social, a cargo da pessoa jurídica (patronal), exceto as receitas dos Anexos IV e V (INSS); Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação (ICMS); Imposto sobre serviços de qualquer natureza (ISS).

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Banda Musical Novo Século realizou Concerto de Natal


Uma noite diferenciada, com boa música para um público razoável que compareceu ao Teatro Municipal na noite do último domingo (23). A Banda Musical Novo Século, regida pelo maestro Wellington Araújo, tocou clássicos como: Dobrado, Chorinho, Piratas do Caribe, Tim Maia e para homenagear o ritmo pernambucano, o Frevo, que neste ano tornou-se Patrimônio Imaterial da humanidade.

O presidente da Novo Século, Adeilson Bezerra, agradeceu a todos pela presença e se disse muito satisfeito em concluir seu mandato, de modo que ajudou a cultura musical de Santa Cruz do Capibaribe.

A Sociedade Musical Novo Século, existe há 112 anos na cidade, abriu o Concerto apresentando os alunos que serão os futuros músicos, com uma cantata natalina. De acordo com o Maestro Wellington Araújo, serão abertas a partir do dia 7 de janeiro, novas vagas.

Quem tiver interesse, deve procurar a sede da Banda Musical Novo Século, na Avenida Padre Zuzinha, no Centro da cidade.

Parabéns




Os parabéns de hoje vão para o Diretor de Eventos, Comunicação e Marketing da CDL Jovem de Santa Cruz do Capibaribe, Kléber Colino. A ele, todos os aplausos de toda a diretoria da CDL da Capital das Confecções.

Salário mínimo será R$ 678 a partir de Janeiro

Fonte: Agência Brasil

O valor do salário mínimo será R$ 678 a partir do dia 1° de janeiro de 2013. O anúncio foi feito na segunda-feira (24) e o decreto será publicado no Diário Oficial da União de hoje (26). Atualmente, o salário mínimo é R$ 622.

De acordo com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que fez o anúncio a pedido da presidenta Dilma Rousseff, o reajuste, de cerca de 9%, considerou “a variação real do crescimento” e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

“Ela [Dilma] fez questão de que isso ocorresse hoje, na véspera do Natal”, disse a ministra. A proposta da Lei Orçamentária de 2013 previa o mínimo em R$ 674,96 a partir de janeiro.

Além do reajuste do salário mínimo, o governo anunciou hoje a isenção de imposto de renda sobre a participação nos lucros e resultados de até R$ 6 mil e escalonamento de alíquotas para benefícios acima desse valor.

SPC Brasil deseja um 2013 de muito sucesso para todos


O SPC Brasil deseja um ano novo repleto de conquistas e estará com você lado a lado para conquistar cada vez mais clientes, contribuindo para a construção de uma história de sucesso de sua Entidade.

Confiança da indústria avança 1,1% em dezembro

Fonte: Fernanda Cruz
Da Agência Brasil


O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas cresceu 1,1% em dezembro, passando de 105,2 pontos no mês anterior para 106,4 pontos. O índice manteve-se acima da média histórica recente pelo terceiro mês consecutivo.
De acordo com a FGV, a alta apurada em dezembro foi influenciada principalmente pela melhora das perspectivas em relação aos meses seguintes.
O Índice de Expectativas (IE) subiu 1,9%, para 106,2 pontos, o maior patamar desde junho de 2011, quando havia atingido 106,5. O indicador de produção prevista foi determinante para o crescimento do IE, já que o índice de emprego previsto manteve-se estável, em patamar inferior à média, e o de tendência futura dos negócios acomodou-se após alta nos meses anteriores. A proporção de empresas que esperam uma produção menor diminuiu de 15,5% em novembro para 4,1% em dezembro, enquanto a parcela das que preveem maior produção, passou de 42,4% para 39,4%.
O Índice da Situação Atual (ISA) alcançou 106,5 pontos, alta de 0,3% em relação a novembro, igualando-se à média histórica recente. O indicador de nível de demanda (especialmente a externa) foi o que mais contribuiu para o aumento do ISA. Houve, em dezembro, alta de 1% em relação a novembro, passando para 104,6 pontos, patamar ainda inferior à média histórica recente, de 106,5. A parcela de empresas que consideram a demanda fraca caiu de 13,5% para 10,1% e a proporção das que a avaliam como forte diminuiu de 17,1% para 14,7%.
O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) passou de 84% em novembro para 84,1% em dezembro.

Empresas devem se planejar para pagar taxas e tributos

Fonte: Agência SEBRAE de Notícias


Em todo início de ano, a cena se repete: papéis, planilhas e calculadoras tomam conta da mesa dos donos de micro e pequenas empresas. E o bom empreendedor sabe quem se planeja com antecedência sai na frente e consegue pagar tributos na data correta para evitar cobranças, além de traçar diferentes cenários de tributação, e escolher o melhor.
Os pequenos negócios podem optar, por exemplo, pelo Simples Nacional. O sistema de tributação diferenciado criado para os micro e pequenos empreendimentos reúne em uma única guia o recolhimento de seis tributos federais (IRPJ, IPI, CSLL, Cofins, PIS/Pasep e CPP), um estadual (ICMS) e um municipal (ISS).
As empresas que quiserem se submeter às regras do Simples têm dois prazos à disposição. O primeiro é para o agendamento de adesão ao sistema. Ele deve ser feito entre o primeiro dia útil de novembro (neste ano foi dia 1º) até o penúltimo dia útil de dezembro – em 2012, no dia 28. Vale lembrar que esse agendamento não garante a inscrição no Simples. Ele é muito útil para a empresa descobrir com antecedência se há alguma pendência jurídica ou fiscal para fazer a opção. Se não existir nenhum impedimento, ele automaticamente será inscrito no ano subsequente.
Caso o proprietário não faça o agendamento, mas queira se inscrever no Simples, também é possível. O prazo será o mesmo em todos os anos: no mês de janeiro até o último dia útil. Em 2013, será dia 31. Para o Microempreendedor Individual (MEI) não há uma data limite para a inscrição. A obrigatoriedade é pagar a contribuição devida mensalmente até o dia 20. Para indústria e comércio, o valor é R$ 32,10 (R$ 31,10 para a Previdência e R$ 1 para o estado). Para serviços, o MEI paga mensalmente R$ 36,10 (R$ 31,10 para a Previdência e R$ 5 para o município). O carnê de pagamento é gerado pela internet e pode ser pago em qualquer agência bancária ou lotérica.
Caso o MEI tenha um empregado, ele terá mais uma data para cumprir. O empreendedor pode ter um empregado ganhando até um salário mínimo ou o piso salarial da profissão. Ele deve preencher a Guia do FGTS e Informação à Previdência Social (GFIP), que é entregue até o dia 7 de cada mês, por meio de um sistema chamado Conectividade Social da Caixa Econômica Federal. Ao preencher e entregar a GFIP, o microempreendedor individual deve depositar o FGTS, calculado à base de 8% sobre o salário do empregado. Além disso, deverá recolher 3% desse salário para a Previdência Social.
Todas as contas necessárias para esses cálculos são feitas automaticamente pelo sistema GFIP. Em resumo, o custo total do empregado para o Microempreendedor Individual é de 11% do respectivo salário, ou R$ 59,95, se o empregado ganhar o salário mínimo. O cálculo é sempre feito pelo valor do salário multiplicado por 3% (parte do empregador) e por 8% (parte do empregado).
Fique por dentro
O Simples Nacional abarca os seguintes impostos:  Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ); Imposto sobre Produtos Industrializados, exceto o incidente na importação (IPI); Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL); Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social, exceto a incidente na importação (Cofins); Contribuição para o Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público, exceto a incidente na importação (PIS/PASEP); Contribuição para a Seguridade Social, a cargo da pessoa jurídica (patronal), exceto as receitas dos Anexos IV e V (INSS); Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação (ICMS); Imposto sobre serviços de qualquer natureza (ISS).

Comunicado CDL



A CDL Santa Cruz do Capibaribe comunica a todos que entrará em recesso no (sábado) dia 29  de dezembro de 2012, e voltará a funcionar normalmente no dia 02 de janeiro de 2013, em função do feriado de Emancipação Política da cidade e do reveillon. A entidade aproveita o ensejo para desejar um Natal de paz e um Ano Novo cheio de expectativas e realizações!

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012


Banco do Brasil e CNDL incrementam parceria

Fonte: CNDL

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e o Banco do Brasil incrementaram parceria firmada nesta quarta-feira, 19 de dezembro. Com o objetivo de disponibilizar às Micros e Pequenas Empresas uma linha de crédito atrativa para atender às necessidades de caixa das empresas, em especial para o pagamento de tributos, o GIRO MPE TRIBUTOS terá como período de vigência de 02 de janeiro a 31 de março de 2013.


O público-alvo do GIRO MPE TRIBUTOS são empresários individuais e micro e pequenas empresas com faturamento bruto anual (FBA) de R$ 3,6 milhões, clientes do Banco do Brasil, com cadastro e limite de crédito vigentes.

Participaram da reunião o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior; o diretor do Banco do Brasil, Adilson do Nascimento Anísio; a gerente executiva do Banco do Brasil, Rosemar Casagrande Faust; a gerente de divisão do Banco do Brasil, Vera Lúcia Carregaro Basílio; a assessora do Banco do Brasil, Fernanda Maria Gaetano Alencar; além do superintendente da CNDL, Dr. André Luiz; e os gerentes da CNDL Luiz Santana e Kleber Silva. 

Linha de crédito: BB Capital de Giro Mix Pasep.
Recursos disponíveis: R$ 1 bilhão.
Taxa de juros: a partir de TR + 0,96% ao mês.
Prazo de pagamento: até 24 meses.
Carência: até três meses, podendo chegar até 149 dias para o pagamento da primeira parcela de capital, dependendo da data base escolhida.
Vantagens para a empresa: possibilidade de utilização do Fundo de Garantia de Operações (FGO) como garantia; economia de 50% do valor de IOF, tendo em vista que a linha conta com mix de recursos e o imposto não incide sobre a parcela do Pasep; encargos diferenciados em função do relacionamento do cliente com o Banco.
Vigência: de 02/01/2013 até 31/03/2013 (ou até acabarem os recursos).

Mais informações: qualquer agência do Banco do Brasil ou acesse: www.bb.com.br/mpe


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012



Empregos com carteira assinada continuam crescendo, mas em ritmo menor, diz IBGE

Fonte: Agência Brasil


Os empregos com carteira assinada tiveram aumento de 2,5% em novembro deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o ritmo de crescimento em 2012 ficou em torno de 3%, bem inferior à média de 6% a 8% dos dois anos anteriores.
“É um ponto para termos atenção. Está claro que, apesar do crescimento do contingente de trabalhadores com carteira assinada, há uma desaceleração nesse crescimento”, disse o coordenador da pesquisa, Cimar Azeredo.
A pesquisa do IBGE constatou ainda que, em novembro, o crescimento de empregos sem carteira de trabalho assinada chegou a 2,9%, maior, portanto, do que o de postos de trabalho com carteira assinada:
De acordo com o IBGE, novembro registrou ainda uma taxa de ocupação (razão entre as pessoas empregadas e a população acima de 10 anos de idade) recorde de 55,3%. Cerca de 23,5 milhões de pessoas estavam trabalhando nas seis regiões metropolitanas pesquisadas pelo IBGE no mês passado.
Outra constatação positiva da Pesquisa Mensal de Emprego de novembro foi o rendimento médio real habitual dos trabalhadores, que alcançou o valor recorde de R$ 1.809,60. O valor é 0,8% maior do que o observado em outubro deste ano e 5,3% superior ao de novembro do ano passado.

Indústria comemora 2012 e cobra ações do Governo para driblar a crise em 2013

Fonte: Ascom FIEPE


A indústria de Pernambuco comemora os resultados de 2012. A economia deve crescer entre 3% e 3,5% em 2012, impulsionada pelo setor - principalmente o da construção civil, mas também já com impacto positivo do setor eletrometalmecânico, fortemente beneficiado com empreendimentos como o estaleiro e a refinaria.

Este crescimento, entretanto, ficará abaixo do que se esperava, mas o clima do empresariado, para 2013, é de otimismo. "O futuro próximo em Pernambuco está marcado por expectativas muito favoráveis, em virtude da implantação de novas cadeias produtivas no Estado que surgem com as chegada dos polos naval, de petróleo e gás e automotivo", diz o presidente da FIEPE, Jorge Côrte Real. Ele destaca, ainda, a expectativa quanto ao aumento da interiorização do parque industrial, já iniciada com a chegada de empresas como a Sadia e a Perdigão. 

Côrte Real alerta, porém, que em um ambiente globalizado - em que ronda o temor da crise internacional - o Brasil precisa garantir competitividade às suas empresas. Nesse sentido, aponta como fundamentais reformas da legislação trabalhista, a fiscal, e investimentos maciços em educação, qualificação e inovação.

"O Sistema FIEPE tem atuado nesses frentes, capacitando trabalhadores, preparando as indústrias locais para esse novo momento e implementando projetos de inovação, mas o Governo precisa fazer a sua parte", completa o presidente da FIEPE.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Proposta que altera Simples começa a tramitar na Câmara

Fonte: Agência SEBRAE


A Lei Geral da Micro e Pequena Empresa poderá passar por novas alterações. O presidente da Frente Parlamentar Mista da Micro e Pequena Empresa, deputado Pedro Eugênio (PT/PE), protocolou nesta quarta-feira (19), na Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei Complementar nº 237/12. Entre os novos benefícios propostos está a inclusão do setor de serviços no Simples Nacional, regime simplificado de tributação.
O presidente do Sebrae, Luiz Barretto, afirma que a nova proposta irá aumentar o número de empresas que poderão usufruir de um sistema tributário unificado e, consequentemente, passarão a ter uma contribuição mais simples e rápida. “Com a inclusão de todo o setor de serviços no Supersimples, o único critério que passa a existir para as empresas optarem por esse sistema é o de faturamento. Não importa mais a natureza da atividade. Esse é um grande avanço do novo projeto”, explica. Atualmente, podem se inscrever no Simples empresas com faturamento de até R$ 3,6 milhões por ano.
Para Barretto, os donos dos pequenos negócios precisam cada vez mais ter agilidade e facilidade na gestão das suas empresas. “Temos que diminuir a burocracia, acabar com as dificuldades. O Simples é uma grande ferramenta na redução de custos e tempo. A ampliação dos setores que podem participar desse sistema ajuda a alcançar esses objetivos”.
Também estão sendo propostas novas regras para o ICMS. De acordo com o PL, os bens e serviços adquiridos, tomados, produzidos, revendidos ou prestados pela micro e pequena empresa no Simples Nacional não estarão sujeitos ao regime de substituição tributária ou ao regime de antecipação do recolhimento do imposto com encerramento de tributação. Exceto em relação a combustíveis, cigarros, águas, refrigerantes e cervejas.“Essa iniciativa pode ser uma das soluções para diminuir as despesas dos micro e pequenos empreendimentos”, afirma o presidente Luiz Barretto.
Caso seja aprovada pelo Congresso Nacional, essa será a quinta revisão da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, aprovada em 2006.  Além da inclusão de novas categorias no Simples e do fim da substituição tributária, o projeto ainda prevê a redução de custos para abertura de cadastros e o estímulo às exportações e às compras governamentais.
Os microempreendedores individuais (MEI) também são foco de melhorias na legislação. Entre elas, estão previstas a vedação de cobrança de taxas indevidas, o aumento do teto no que se refere às exportações, a redução nos custos de abertura e funcionamento, as restrições à imposição de serviços privados, o cancelamento de inscrição do MEI, a emissão de alvarás de funcionamento provisório em áreas sem habite-se, a classificação de imóvel e a vedação à mudança de imóvel residencial em comercial.

ONU cria grupo para definir metas sustentáveis

Fonte: JC Online


A Organização das Nações Unidas (ONU) vai divulgar nesta sexta-feira (21) os 30 integrantes do grupo de trabalho que deve definir os chamados Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) até 2015, como ficou acordado na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, realizada em junho no Rio de Janeiro. O representante do Brasil na lista será o embaixador André Corrêa do Lago, diretor do Departamento de Meio Ambiente do Ministério das Relações Exteriores.

A informação foi confirmada nesta quarta-feira (19) por Corrêa do Lago - negociador do Brasil na Rio+20 e nas últimas conferências do clima - durante o seminário O Brasil e a Agenda da Sustentabilidade, promovido pelo Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri) e pela Fundação Konrad Adenauer (KAS), em parceria com o jornal O Estado de S. Paulo.

O anúncio será feito pelo presidente da Assembleia-geral da ONU em Nova York. A primeira reunião do grupo deverá ocorrer em janeiro e os 30 integrantes terão até 2015 para definir os ODS. A intenção é que os objetivos sejam usados como instrumento para mudar padrões de produção e consumo no mundo, mas há restrições de países em desenvolvimento.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Volume de cheques sem fundos cai pela primeira vez em 21 meses

Fonte: Unicred Empresarial


O volume de cheques devolvidos no país apresentou redução de 0,23 ponto percentual em novembro na comparação com o de igual período do ano passado (2,19%), segundo levantamento divulgado nesta terça-feira (18) pela empresa de consultoria Serasa Experian. A taxa ficou em 1,96% no penúltimo mês do ano, o que representou a primeira queda na variação anual em 21 meses.

O último decréscimo na comparação em 12 meses havia sido registrado em fevereiro de 2011, quando o percentual de cheques sem fundos ficou em 1,83% ante 1,85% de fevereiro de 2010. Para os economistas da Serasa, esse resultado sinaliza uma tendência para o próximo ano de normalização gradual dos níveis de inadimplência com cheques.

No acumulado de janeiro a novembro deste ano, o índice apresenta alta de 2,01%. A taxa é levemente maior do que a do mesmo período de 2011, quando o percentual ficou em 1,95%. Em relação a outubro deste ano, o número de cheques devolvidos por falta de fundos também é ligeiramente superior, com taxa de 1,94%.

Na comparação entre estados, Roraima apresentou o com maior percentual de cheques devolvidos (11,73%) no acumulado de janeiro a novembro. Em seguida aparecem o Amapá (10,36%) e o Acre (10,10%). Os estados com menor percentual de devolução foram São Paulo (1,47%), o Rio de Janeiro (1,55%) e o Amazonas (1,59%).

Entre regiões, o índice do Norte (4,43%) é mais do que o dobro da média brasileira (2,01%). O Nordeste aparece em seguida com 3,74%. O percentual de cheques não compensados no Centro-Oeste é 2,84%. As regiões Sul (1,95%) e Sudeste (1,58%) registram taxas menores do que a média do país.

Abertura de empresas poderá ser feita em até 48h

Fonte: Agência SEBRAE


O novo Portal do Empreendedor já está no ar e traz uma novidade importante para quem quer montar um negócio. A abertura de empresas poderá ser feita agora on line e em tempo reduzido. Os empreendedores de Brasília e Taguatinga, no Distrito Federal, que se enquadram na denominação Ltda e são de baixo risco – não operam com produtos químicos, gás ou fogos de artifício, por exemplo -, podem abrir a sua empresa em até 48 horas. Já existem projetos-piloto nesse sentido em alguns estados como Sergipe, Paraná e Minas Gerais. A ideia é que esse sistema esteja implantado em todo o país até 2014.
Além disso, o novo portal passa a permitir que os microempreendedores individuais (MEI) possam alterar o tipo de contrato, endereço e encerrar as atividades de seu negócio sem ter que comparecer à Junta Comercial de sua cidade.

O anúncio das mudanças foi feito durante o 1º Simpósio Brasileiro de Políticas Públicas para Comércio e Serviços (Simbracs), em Brasília. O evento é promovido pelo Sebrae, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) e pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e tem como foco unir o poder público e a iniciativa privada para discutir melhorias na competitividade e produtividade dos setores de Comércio e Serviços.

O presidente do Sebrae, Luiz Barretto, disse que as modificações no Portal vão permitir um avanço na desburocratização e facilitar a vida dos empreendedores brasileiros. “Com essa iniciativa, vamos diminuir o tempo que os empresários gastam com burocracia e vamos dar a eles mais facilidade e tempo para se preocuparem com o negócio deles”.

As novidades do Portal do Empreendedor já estão no ar e podem ser acessadas no endereço:http://www.portaldoempreendedor.gov.br.


MPEs representam 99% das empresas e apenas 25% do PIB

Fonte: CNDL

Apesar de 99% das empresas brasileiras serem de pequeno porte - microempreendedores individuais, microempresas e pequenas empresas -, elas são responsáveis por apenas 25% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, um percentual muito pequeno, se comparado a outras nações, e que demonstra que ainda há muito espaço para o crescimento dessas empresas.


“A maior parte dos países concentra no segmento de pequeno porte as suas empresas. No número de empregos, as variações também não são tão grandes. Entretanto, o desafio brasileiro está na participação no PIB, que pode e deve crescer nos próximos anos”, disse Luiz Barretto, diretor-presidente do Sebrae Nacional (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

Segundo ele, os produtos da empresas brasileiras ainda têm baixo valor agregado. "O aumento da produtividade e da competitividade das empresas e a inovação são fundamentais para um país que caminha para ser a quinta economia mundial. Já estamos enfrentando os problemas de logística, infraestrutura e mobilidade urbana", completou o presidente.

Para Barretto, há também espaço para que as empresas de pequeno porte brasileiras aumentem suas exportações, pois somente 1,24% das vendas externas do país são oriundas destas empresas. “Apenas 11,5 mil são exportadoras, movimentando US$ 2,2 bilhões. Isso significa que são empresas voltadas para o mercado interno”, afirmou. De acordo com ele, o lado bom deste perfil de atuação é que as empresas, portanto, não sofreram tanto com a crise econômica mundial.

O executivo mostrou-se satisfeito com a crescente formalização dos empresários brasileiros. Em 2006, ano em que foi aprovada a Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas, haviam dois milhões de empresas deste porte, e hoje já são sete milhões. Barretto diz que a criação, em 2009, do microempreendedor individual — empresário pequeno que fatura até R$ 5 mil no mês — , também contribuiu para o aumento da formalização. “Em menos de três anos, formalizamos três milhões de empresas”, declarou, mencionando que 55% dos novos empresários são oriundos da nova classe C.

“Há um fenômeno de inclusão produtiva por meio do empreendedorismo. Na Europa, de 70% a 80% das empresas têm origem nas classes A e B. No Brasil, apenas 37%. Nossa expectativa é chegar a 2022 com mais de 12 milhões de micro e pequenas empresas formalizadas.”


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Parabéns


A CDL Santa Cruz do Capibaribe parabeniza a Coordenadora da Câmara Setorial Varejista de Vestuário e Acessórios da Moda, Madellon Leite. Ela que ao longo desses dois anos vem desenvolvendo um bom trabalho a frente dessa Câmara Setorial, trabalhando o associativismo entre as empresárias do segmento de moda.

A Madellon Leite, nossos sinceros desejos de muita paz, saúde e muito sucesso. São o que desejam todos os colaboradores e diretores da CDL Santa Cruz do Capibaribe.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012


Diretores da CDL Santa Cruz do Capibaribe assumirão pastas no novo governo da cidade



A nova gestão de Santa Cruz do Capibaribe, a começar a partir de janeiro de 2013, terá em seu secretariado um dos diretores da CDL do município. Trata-se do Diretor de Desenvolvimento e Empreendedorismo, Bruno Bezerra, ele que atua na diretoria da entidade desde 2008 e vem desenvolvendo um bom trabalho.

A indicação de Bruno Bezerra se deu de forma conjunta entre as entidades, CDL, ASCAP, ASCONT, Sindicato Patronal e Moda Center e foi fruto de um termo de compromisso assinado pelo prefeito eleito, Edson Vieira, quando ainda candidato.


Outros diretores da CDL, também farão parte do governo de Santa Cruz do Capibaribe. José Rivaldo Mestre (Zé Cueca), é membro do Conselho Fiscal da CDL e no Governo vai assumir a Secretaria de Mobilidade Urbana. Uma pasta que tem como objetivo promover ações para um trânsito melhor e seguro e os direitos a acessibilidade, dentre outros assuntos. E o outro diretor é Marcelo Deógenes, ele que atua como Diretor Jurídico da CDL e vai assumir a Procuradoria da Prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe em janeiro de 2013. 



A CDL deseja aos seus diretores, Bruno Bezerra, MArcelo Deógenes e José Rivaldo Mestre,  um trabalho magnífico frente dessas Secretarias.


Receita deposita hoje restituição de imposto de renda

Matéria de Julia Wiltgen, da Exame.com


A Receita Federal deposita nesta segunda-feira a restituição de imposto de renda dos contribuintes cujas declarações só foram liberadas no sétimo e último lote do ano. Serão depositados 362.365.471,16 reais para 120.524 contribuintes, referentes ao exercício de 2012 (ano-calendário de 2011) e aos lotes residuais dos exercícios de 2011, 2010, 2009 e 2008.
Apenas para o exercício de 2012 serão depositados 308.658.340,15 reais, já acrescidos da taxa Selic de 5,45% referente ao período compreendido entre maio e dezembro de 2012, para 101.924 contribuintes. Para as restituições referentes aos demais exercícios também haverá correção pela Selic, conforme a tabela abaixo:
Ano de exercícioAno calendárioSelic do período
201220115,45%
2011201016,20%
2010200926,35%
2009200834,81%
2008200746,88%

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não resgatá-la neste prazo, será necessário requerê-la pela internet, por meio do Formulário Eletrônico –Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no Centro Virtual de Atendimento (e-CAC), no serviço Declaração IRPF.
A Receita liberou a consulta ao sétimo lote na última segunda-feira. Para saber se sua declaração foi liberada, acesse a página da Receita Federal na internet ou ligue para o Receitafone 146. A Receita disponibiliza ainda aplicativos para tablets e smartphones para os sistemas operacionais Android e iOS, que facilitam a consulta a declarações e situação cadastral no CPF.
Por meio desses aplicativos é possível consultar o resultado da restituição das declarações entregues desde 1999, verificar a situação cadastral da inscrição CPF na base da Receita e consultar o serviço de orientações sobre restituição de IR. Para baixar o aplicativo para o sistema Android clique aqui, e para fazer o download do aplicativo para o sistema iOS, clique aqui.
Se a sua declaração tiver sido liberada, mas o valor não for creditado nesta segunda-feira, você poderá comparecer a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento do banco por meio do telefone 4004-0001 (capitais),  0800-729-0001(demais localidades) ou  0800-729-0088 (deficientes auditivos), para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança em seu nome em qualquer banco.
Malha fina
Se sua declaração não foi liberada neste último lote, significa que ela caiu na malha fina. De acordo com a Receita, neste ano 616.569 declarações ficaram retidas, contra o total de 569.671 no ano passado. O principal motivo foi a omissão de rendimentos, que acometeu 69,12% dessas declarações. O segundo maior motivo foram os problemas ao declarar as despesas médicas, com 11,56%. Quem tiver caído na malha fina deverá fazer a retificação da declaração.

Artigo


Causas e consequências da informalidade
Por: Antônio Sérgio*

Podemos observar com este artigo que as causas da informalidade nas micro e pequenas empresas no Brasil, apesar dos avanços da formalização, o pólo de confecções de Agreste pernambucano ainda mantém um grande número de empresas informas. Como causas podemos destacar a alta carga tributária brasileira, que torna as empresas menos competitiva, falta de informações por parte do empresário, bem como a burocracia brasileira que é um entrave no mundo prático e dinâmico que é o mundo dos negócios.

Através deste artigo, pretende-se contribuir para que os empresários conheçam as informações geradas pela contabilidade. Espera-se que diminua alto índice de informalidade, em função de um melhor controle e planejamento dessas empresas, através das Informações Contábeis. Vimos que a questão tributária é uma das mais preocupantes por parte dessas empresas, principalmente no aspecto da sonegação fiscal. A partir do momento em que elas passarem a evidenciar as informações contábeis, poderam ter outra visão.

A informalidade tem conseqüências diversas, entre elas a perda de arrecadação para o Estado, a falta de informações contábeis que dificultam e tornam ineficaz a tomada de decisões por parte do micro e pequeno empresário, o fato de não existir de direito limita a empresa a acesso a recursos financeiros, tecnologia e compra direto da fábrica, elevando os custos e diminuindo a competitividade da empresa bem como o acesso a novos mercados, que exigem notas fiscais de saída para geração de crédito tributário. Mas, sob a ótica econômica, o impacto mais negativo da informalidade é a perda de produtividade. No Brasil, empresários informais empregam um menor número de trabalhadores e investem menos em seus negócios quando comparados com empreendedores formais, mesmo se levarmos em conta características do empresário e do setor em que operam. A crescente informatização da nossa economia nos empobreceu e deprime a taxa de crescimento do Brasil. Além da perda de eficiência, os empresários informais pagam propinas para policiais e fiscais. Não conheço estimativas para o Brasil, mas sondagens do Banco Mundial estimam que, nas economias em transição, as firmas informais gastam cerca de 20% do seu faturamento em suborno.

Empresários escolhem o setor informal e pagam os custos associados, porque o preço de ser formal é ainda mais elevado. Os altos impostos são, sem dúvida, um problema sério, o que faz urgente uma reforma tributária que diminua e racionalize o nosso sistema de impostos.

Podemos observar os benefícios com a formalização, passa a existir diante do estado, começa a ter acesso a recursos financeiros com juros menores, diminuindo o custo financeiro, começa a ter mais informações sobre seu negócio como: rotatividade do estoque, contas a pagar e receber, entrada e saída de dinheiro, e como conseqüência começa a saber o patrimônio real da empresa e pode calcular os índices financeiros que possibilitou uma melhor acompanhamento da rentabilidade da empresa.

 A contabilidade é fundamental para que qualquer empresa tenha informações financeiras, econômicas e patrimoniais, e mensurar periodicamente sua viabilidade sobre estes três aspectos.

Podemos concluir que a contabilidade na micro e pequena empresa não tem a necessidade de ser tão complexa, uma vez que seus processos são mais simplificados em relação às grandes empresas, entretanto é necessário compreender como a estrutura da empresa se comporta financeiramente. O importante é ter informações básicas para melhor tomada de decisões para que se possa gerar resultados com segurança.

A contabilidade tem um papel fundamental nas micro e pequenas empresas, possui um papel intrínseco na geração das informações necessárias às tomadas de decisões, nos mais variados modelos de gestão e com as mais diversas ferramentas gerenciais. O controle dos dados, a geração das informações e o domínio das técnicas contábeis favorecem o gerenciamento empresarial, permitindo um melhor acompanhamento das operações da empresa e de seus resultados, em todos os níveis e mercados.

Dentro desse contexto, e de acordo com as modalidades criadas pela denominada “Nova Economia”, nas era digital e na velocidade em que se desenvolvem os programas empresariais, as novas necessidades dos clientes, a alta competitividade, o conhecimentos de tais fatores e da relevância do contexto contábil para a administração da micro e pequena empresa representa a esfera de maior profundidade nos estudos relacionados ao tema, interferindo diretamente nos aspectos de gestão.

*Antônio Sérgio é formado em Administração e mestre em economia, Professor universitário e Consultor de empresas. Organiza várias Rodadas de Negócios em parceria com as representações da cidade e do Polo de Confecções do Agreste.