Topo

Topo

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Evento no Parque Florestal encerra Semana da Pessoa com Deficiência em Santa Cruz do Capibaribe

Encerrando a Semana Estadual da Pessoa com Deficiência, em Santa Cruz do Capibaribe, foi realizada na manhã de hoje (29), um evento no Parque Florestal da cidade. Com o tema “Educação, Família e Sociedade: unidos no processo de inclusão”, a programação vem sendo desenvolvida desde o último sábado (23), onde aconteceu uma palestra e uma capacitação com os professores da rede municipal de ensino.

No decorrer da semana, foram realizadas palestras, mostra de cinema, apresentações de teatro, dentre outras atividades, com o intuito de levar ao conhecimento da sociedade os direitos da pessoa com deficiência, para que eles sejam reconhecidos e respeitados.

O ponto máximo desse importante evento aconteceu hoje com a apresentação de várias temáticas no Parque Florestal. De acordo com a executiva da CDL, Katyane Amaral, é de extrema importância a realização de eventos desse tipo na cidade. “Este encontro é de grande valia, pois orientar e conscientizar a classe empresarial de Santa Cruz sobre a necessidade em dar oportunidades aos deficientes, todos têm capacidade para desenvolverem diversas atividades dentro das empresas”, explicou Katyane.









Mercado de moda de Pernambuco precisa ser mais ousado, diz especialista‏

O Polo de Confecções do Agreste registra um posicionamento mercadológico muito importante hoje em dia para o estado. Relatório apresentado ano passado, o novo Estudo Econômico do Arranjo Produtivo Local do Polo de Confecções do Agreste de Pernambuco-2012, revelou um novo mapeamento em que se destaca a existência de mais de 18 mil unidades produtivas em que são produzidas no Polo de Confecções cerca de 842,5 milhões de peças/ano. Apesar do expressivo volume, é necessário focar nas potencialidades da região de forma estratégica para obter a visibilidade nacional que lhe é merecido, aponta a especialista pernambucana Larissa Maçães da Adatto Fashion Business/ TNVG.

Especialmente diante da tendência da moda sustentável que tem conquistado muitos criadores fashions brasileiros, como as paulistas Vanessa Montoro e Flávia Aranha e a baiana Márcia Ganem. “É preciso lembrar que não se faz nada sustentável sem ter uma visão de negócio. Moda é uma expressão do povo de uma época, mas como modelo de negócio ele tem que se desenvolver, especialmente em Pernambuco, em que há tantos diferenciais para ser conferido e comprado pelo mundo. Não se tem desenvolvimento, modelagem nas fábricas que acabam ficando limitadas no que já está lançado no mercado. Não há como finalizar uma coleção própria com sua identidade”, destaca a consultora, que é a única brasileira com expertise em estilo e imagem pelo instituto britânico ColourMe.

Este novo conceito que permeia em muito a proposta desses estilistas que andam se projetando no cenário nacional e local não são uma investida à toa, afinal, estamos falando de uma tendência pautada por uma geração mais consciente pela necessidade do país em preservar sua biodiversidade. E por isto, este moderno movimento anda ocupando as passarelas e as ruas, mostrando que isto é antes de tudo uma questão de comportamento e reflexo de personalidade. Mas, no que diz respeito à negócio para o mercado fashion, é preciso avançar em alguns quesitos segundo a especialista pernambucana, radicada em São Paulo há mais de 10 anos.


Para ela, Marigá em Londrina, por exemplo, é o principal de jeans produzindo e vendendo 250 mil calças jeans por ano, pois trabalha com o desenvolvimento de produtos seguindo o caminho mais certo para se manter no mercado. Antes de chegar em São Pão, a moda passa por Arcoverde, mas falta colocar marca e essência na produção local, assim como o valor agregado ao produto quando ele sai daqui de Pernambuco. “É preciso pensar o que será dos próximos 5 anos para desenvolvimento do negócio, planejar-se para lá. O governo pode e tem que ajudar sim no processo, mas também precisa-se que os empreendedores façam sua parte. Eu fico esperando que o governo faça, pego o dinheiro para investir agora, e não tenho uma cobertura por que não fiz um planejamento a longo e médio prazo”, ressalta a especialista em Varejo de moda, que já atuou na Riachuelo.

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Inscrições só até hoje


Novas cartilhas orientam empreendedores

Fonte: Portal dos Administradores

O Sebrae lançou nesta quarta-feira (27) duas novas cartilhas elaboradas para auxiliar empreendedores que têm ou planejam abrir uma loja de comércio eletrônico. Os dois documentos já estão disponíveis no Portal Sebrae. Uma das cartilhas apresenta um tira-dúvidas sobre os aspectos legais do e-commerce e a outra esclarece dúvidas relacionadas ao tema da tributação .

A cartilha sobre aspectos legais do comércio eletrônico orienta que nem todo e-commerce é juridicamente igual e ressalta a importância dos empresários que comercializam produtos e serviços respeitarem o Código de Defesa do Consumidor (CDC), que regula as relações de consumo no Brasil, mesmo na internet. A cartilha também alerta os empresários sobre as exigências do Decreto nº 7.962/2013, que passou a ser, juntamente com o CDC, o principal regulamento do e-commerce no Brasil. A legislação criou, por exemplo, o direito de arrependimento, que permite que o cliente cancele online, a compra realizada até sete dias após a entrega do produto, sem que tenha que justificar o motivo para tanto.

O tira-dúvidas sobre a tributação explica que o e-commerce pode ser enquadrado em duas diferentes atividades: a de comércio varejista ou a de atacadista de bens (venda de produtos e bens próprios) e de prestação de serviços (incluindo as operações de marketplace, em que serviços de vários vendedores são ofertados e comercializados e recebem um valor pela intermediação dos negócios realizados nesse ambiente). Na cartilha, o empreendedor vai encontrar respostas sobre as diferenças na tributação de entre um estabelecimento físico e o e-commerce, esclarecimentos sobre o Simples Nacional, orientação sobre emissão de nota fiscal para as vendas via internet, entre outras.

I Concerto de Música Sacra será realizado em Santa Cruz do Capibaribe


Índice de Confiança do Comércio cai 7,3% no trimestre

Fonte: Agência Brasil
 Comércio

O Índice de Confiança do Comércio, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), recuou 7,3% no trimestre finalizado em agosto (período de junho a agosto) em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com a FGV, o recuo foi provocado por pioras nas avaliações dos empresários do setor sobre o momento presente e sobre o futuro.

O subíndice da Situação Atual, que avalia o presente, caiu 12,1% no trimestre finalizado em agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado. Já o subíndice de Expectativas, que analisa a confiança em relação aos próximos meses, teve queda de 4,3% no mesmo período.

Segundo a FGV, a aceleração das vendas em julho e agosto foi mais fraca do que o esperado para o período pós-Copa do Mundo. O desapontamento dos empresários com a fraca recuperação, aliada às chances pequenas de mudanças no curtíssimo prazo, mantém o cenário de baixo crescimento para o comércio até o final do ano.

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

No dia do Corretor de Imóveis, os profissionais são destaque no Bom Dia Pernambuco

27 de agosto: Dia do Corretor


Com atividade econômica estagnada, número de empresas inadimplentes cresce 7,11%

Fonte: Ascom CNDL e SPC Brasil

As empresas brasileiras estão com mais dificuldades para pagar suas contas. Segundo o novo indicador SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) de inadimplência da Pessoa Jurídica, lançado hoje, quarta-feira, dia 27, a quantidade de empresas com dívidas em atraso cresceu 7,11% no mês de julho, na comparação com o mesmo período do ano passado. Apesar da leve desaceleração em relação à alta de junho (7,80%), este é o quarto mês seguido em que o crescimento se mantém acima de 7%. Já na passagem de junho para julho, os dados do SPC Brasil mostram que houve uma ligeira aceleração e o crescimento ficou em 0,37%.


Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o atual cenário de estagnação da economia e custos maiores impactaram o fluxo de caixa das empresas. "O aumento do custo dos financiamentos com juros elevados, inflação no limite da meta e o ambiente de baixa atividade econômica estão impondo dificuldades à situação financeira das empresas. Além disso, a piora da confiança do consumidor e o crescimento da inadimplência da pessoa física são fatores que influenciam", explica a economista.

Na comparação anual, a região nordeste apresentou o maior crescimento do número de pessoas jurídicas inadimplentes (9,2%), seguida pelos Estados do Norte (6,9%), Sudeste (6,3%), Centro-oeste (4,6%) e Sul (4,0%). Apesar da variação abaixo da média nacional, os Estados da região Sudeste concentram 43,29% do total de empresas com dívidas em atraso no Brasil.


Dívidas em atraso

A alta do número de dívidas em atraso, que ficou em 6,17% na base anual de comparação, foi puxada principalmente pelo crescimento de compromissos financeiros atrasados em que o comércio é o setor credor. O segmento respondeu por 1,8 pontos percentuais da alta total, mesma contribuição do setor de bancos e pouco à frente da indústria, que contribuiu com 1,3 pontos percentuais do crescimento global das dívidas em atraso.

Na avaliação dos economistas do SPC Brasil, o levantamento de julho denota que as empresas estão com dificuldades para pagar seus compromissos financeiros no curto prazo. Exemplo disso é que na análise das empresas com dívidas pendentes por tempo de atraso, observa-se uma perda de fôlego das dívidas atrasadas em até 90 dias. Em junho, o crescimento desta faixa de atraso estava em 17,45% e desacelerou para uma alta de 8,23% em julho. Por outro lado, as empresas com dividas em atraso de 91 a 180 dias foram as que mais crescerem na comparação anual: partindo de um crescimento de 10,37% em junho para 11,07 em julho. O movimento do indicador mostra que as dívidas estão se mantendo na base de compromissos em atraso, passando da categoria de até 90 dias para a categoria de 90 a 180 dias.


Novo indicador

A partir deste mês de julho, o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) passam a divulgar o Indicador Mensal de Inadimplência da Pessoa Jurídica. O objetivo é proporcionar uma ferramenta de análise e indicador de tendências para as empresas brasileiras, a exemplo do que já acontece com o indicador de inadimplência da Pessoa Física, divulgado mensalmente pelas duas instituições.

Dificuldades de sair do vermelho

Por: Roque Pellizzaro Jr.

Uma estudo encomendado pela CNDL e pelo SPC Brasil em julho mostrou que quatro em cada dez (37%) consumidores inadimplentes admitem que não vão pagar suas dívidas nos próximos três meses. Isso porque não têm condições de arcar com o valor (28%) ou, então, por falta de interesse em regularizar o débito (9%).

O mais interessante é que quando indagados sobre as dificuldades enfrentadas para iniciar uma negociação e pagar a dívida, 36% dos consumidores admitem que o principal empecilho é abrir mão do atual padrão de consumo, ao deixar de comprar produtos que satisfazem desejos momentâneos.

Minha avaliação é que a resistência em cortar despesas e em mudar o padrão de consumo são alguns dos erros mais comuns para quem precisa ‘sair do vermelho’ e sinalizam a falta de preocupação com o futuro. Exemplo disso é que quase um quarto (24%) dos inadimplentes admite que costuma deixar de pagar alguns compromissos financeiros para adquirir um determinado produto que gostaria de ter. Entre os consumidores adimplentes entrevistados, o percentual cai para 9%.

Outro dado que reforça a conclusão de que os entrevistados com contas em atraso assumem posturas mais imprudentes é que 18% da amostra deste grupo não têm o hábito de pesquisar preços alegando “falta de tempo”. Entre os adimplentes o índice é de apenas 7%. Apenas dois em cada dez (20%) consumidores inadimplentes disseram ter alguma poupança para realizar um sonho no futuro, ao passo que 56% dos adimplentes consideram-se financeiramente determinados para realizar metas de longo prazo e 66% são mais dispostos a poupar para isto.

Acredito que a primeira atitude para organizar as finanças pessoais é reconhecer a necessidade de mudar hábitos que colocam o bolso em risco. Dois graves erros são subestimar os pequenos gastos, que passam despercebidos no dia a dia e fazer compras para que as demais pessoas tenham uma imagem positiva ao seu respeito, principalmente, pelas coisas que você possui ou veste. Fazer uma autoavaliação para entender o porquê de não estar honrando seus compromissos financeiros também é fundamental para que a experiência negativa sirva de aprendizado.

Outra opção é fazer um acordo para quem se está devendo. Ao propor um acordo com o credor, é possível conseguir bons resultados como reduzir o tamanho das prestações, obter juros menores e prazos mais alongados. Se a intenção do consumidor for pagar a vista, é possível até pedir um desconto no valor total da dívida. Essas condições são bem vantajosas e possíveis de negociação em boa parte dos casos.

O devedor precisa ser firme e demonstrar que quer pagar a dívida, pedindo os valores atualizados e oferecendo uma contraproposta dentro de suas reais possibilidades. Além disso, é necessário que o consumidor mantenha a disciplina e não realize novas compras, principalmente parceladas, enquanto estiver pagando as prestações da dívida.

* Roque Pellizzaro Junior | Presidente da CNDL 


SPC Brasil participa do 1º Congresso de Educação Financeira para crianças

Fonte: Ascom CNDL e SPC Brasil

Especialistas do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e do portal de educação financeira 'Meu Bolso Feliz' participarão, nesta quinta-feira (28/8), do 1º Congresso de Educação Financeira para Crianças (Conefinho). O objetivo do encontro é reunir professores, pais e crianças para discutir e promover conceitos de finanças, empreendedorismo e sustentabilidade voltados para o público infantil.


Entre 10h e 10h30, a economista-chefe do SPC Brasil Marcela Kawauti e o educador financeiro do Portal 'Meu Bolso Feliz' -- mantido pelo SPC Brasil -- José Vignoli, vão promover um debate sobre os desafios de como agir no dia a dia para contribuir com a educação financeira das crianças e transformá-las em adultos financeiramente responsáveis.

Desde março deste ano, o SPC Brasil mantém uma parceria com o cartunista Maurício de Sousa, que publica regularmente em seus gibis histórias cujos roteiros são desenvolvidos pela equipe do Portal 'Meu Bolso Feliz' e focadas na formação da consciência financeira de jovens e adolescentes. Todos os meses são publicadas quatro historinhas em diferentes edições da Turma da Mônica.

A programação do Conefinho também inclui outros especialistas em finanças que vão discutir e incentivar a prática de conceitos sustentáveis para que esses jovens aprendam a poupar e formar um patrimônio financeiro ao longo da vida, colaborando com o bom desenvolvimento da economia no país.



terça-feira, 26 de agosto de 2014

Entrevista Marcone Junior – Setor de tributação da Prefeitura de SCC


A Câmara Setorial dos Corretores Imobiliários da CDL Santa Cruz do Capibaribe, através do seu coordenador, Porfírio Junior, firmou uma parceria com a prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, através do Setor de Tributação, a fim de amenizar as filas para os contribuintes que desejam regularizar seu imóvel. Nós do Blog da CDL fomos ouvir o Diretor de Tributação da Prefeitura, Marcone Junior, onde o mesmo falou sobre a importância dessa parceria. Confira a entrevista!


Qual a importância de uma parceria como esta da prefeitura com os corretores de Santa Cruz do Capibaribe, no sentido de regularizar os imóveis da cidade?

Marcone Junior – Importante parceria porque trará tranquilidade para os contribuintes e para o município que irá ter no seu cadastro imobiliário, imóveis regularizados. Com isso terão facilidades no mercado imobiliário e a garantia que seu imóvel está devidamente regularizado.

Como vai funcionar a parceria?

Marcone Junior – A câmara setorial da CDL irá nos fornecer uma lista de todos os associados, corretores e empresas imobiliárias, onde poderão deixar um malote com os documentos necessários para os serviços que deseja, e será entregue no outro dia concluído. Os Serviços são: Emissão de ITBI Normal e Minha Casa Minha vida, Desmembramento, Remembramento, Cadastramento, Recadastramento de imóveis. Com isso os contribuintes que optarem pelos serviços das imobiliárias e corretores não terão mais que se dirigir até nosso departamento evitando assim “filas”. Um serviço a mais para esses profissionais que estão ganhando espaço no mercado competitivo.

O que a cidade pode esperar em termos de melhoria com a concretização dessa parceria?


Marcone Junior – Melhoria do tipo, seu imóvel estará cadastrado no município, recebendo sua correspondência no endereço correto, proprietários de terrenos receberão também correspondência relativa ao IPTU em seus imóveis em um único endereço de correspondência, poderão vender ou comprar imóveis sem imprevistos, reformar, construir sem problemas.

Semana da Pessoa com Deficiência de Santa Cruz do Capibaribe terá uma programação cheia de palestras e formação para educadores

Teve início neste sábado (23), a programação da Semana da Pessoa com Deficiência 2014, em Santa Cruz do Capibaribe. Com o tema “Educação, família e sociedade: unidos no processo de inclusão”, o evento teve abertura no Clube Ypiranga com formação continuada para professores da rede municipal, com palestra do professor Antônio Muniz, membro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência do estado de Pernambuco (CONED), que falou sobre a educação inclusiva e suas possibilidades.
Na abertura da Semana da Pessoa com Deficiência o secretário de educação, Joselito Pedro, falou da importância do evento para Santa Cruz. “Nós estamos envolvendo no evento diversas secretarias do governo e a população para mostrar que a pessoa com deficiência pode se inserir de forma competente na sociedade”, destaca. Joselito também agradeceu à equipe da Secretaria de Educação e ao prefeito Edson Vieira, que esteve presente no encerramento da formação e reforçou o apoio da gestão à temática da pessoa com deficiência.
A programação da Semana da Pessoa com Deficiência segue até o próximo dia 29. Nesta segunda-feira (25) haverá panfletagem dos paratletas no Moda Center Santa Cruz, sessão de cinema no Teatro Municipal e oficinas em educação inclusiva para profissionais da educação na Escola Especial Virgilina Pereira.

“Essa causa não é uma questão de assistencialismos, e sim uma questão de sensibilidade, de olhar, de enxergar a pessoa com deficiência como um cidadão normal que está lutado para que seus direitos sejam respeitados. A Semana da Pessoa com Deficiência será de mobilização social, cultural e esportiva, uma semana verdadeiramente inclusiva”, disse Clécia Lira Coordenadora de Inclusão.
O presidente do COMDEF, Renê Atleta, falou que os paratletas santa-cruzenses também irão participar da Semana da Pessoa Com Deficiência 2014. “Os paratletas estarão no Moda Center na próxima segunda-feira (25), fazendo panfletagem do evento, também será montada uma tenda com informações sobre a prática esportiva inclusiva”.
Confira a programação de palestras:


Empresas poderão usar prejuízo fiscal para quitar débitos com a União

Fonte: Agência Brasil

Publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (25) a portaria conjunta da Receita Federal e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional que permite empresas de grande porte usarem parte de prejuízos obtidos em anos anteriores para reduzir o valor de parcelamentos com a União. A portaria regulamenta a Medida Provisória 651, de 9 de julho de 2014, e permite o uso de créditos decorrentes de prejuízo fiscal e de base de cálculo negativa da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) para quitação antecipada de débitos parcelados.

Com a medida, as empresas que pagam tributos com base em estimativas mensais e em declarações de ajustes, categoria que abrange as grandes companhias, poderão quitar os saldos dos parcelamentos por meio do prejuízo fiscal do Imposto de Renda (IR) e da base de cálculo negativa da CSLL.

As empresas, no entanto, só poderão usar o mecanismo se quitarem pelo menos 30% da dívida total em dinheiro assim que aderirem ao parcelamento.

O benefício vale para todos os parcelamentos, tanto os ordinários (em que o contribuinte quita a dívida em até 60 meses) quanto os do Refis da Crise (pagamento em 15 anos, com desconto nas multas e nos juros).

De acordo com a Receita Federal, quem tiver aderido ao novo Refis da Crise e quiser usar a alternativa deverá ter quitado até o dia 28 de novembro a parcela mínima de adesão. O órgão esclarece que 30% de pagamento em dinheiro incidirão apenas sobre o saldo remanescente do parcelamento, após descontada a antecipação. Os contribuintes têm até a próxima segunda-feira para requerer o parcelamento.

Tanto o IR quanto a CSLL incidem sobre o lucro das empresas. Em caso de prejuízo, as companhias, tradicionalmente, podem usar o resultado negativo para obterem desconto nos tributos a serem pagos no ano seguinte. Com a portaria conjunta, a possibilidade foi estendida aos parcelamentos com a União.

Inscrições para o Empretec seguem abertas até a próxima sexta-feira (29)


Donos de pequenos negócios se preparam para as Olimpíadas 2016

Fonte: Agência SEBRAE

As Olimpíadas e Paralimpíadas Rio 2016™ devem movimentar, segundo o Comitê Organizador, cerca de R$ 7 bilhões com a contratação de produtos e serviços voltados para a realização dos jogos. Desse total, o Sebrae estima que aproximadamente R$ 700 milhões envolverão a participação direta de micro e pequenas empresas. Para qualificar os pequenos negócios para atuarem nos dois eventos, a instituição vem desenvolvendo uma parceria com o Comitê Olímpico Internacional (COI) e já cadastrou cerca de dois mil empresários que estão aptos a se tornarem fornecedores para os jogos. É a primeira vez na história dos jogos olímpicos que o COI, oficialmente, estabelece esse tipo de acordo para beneficiar apenas as micro e pequenas empresas do país-sede.

Entre as demandas já apresentadas pelo Comitê estão a compra de mais de um milhão de itens que incluem 24 mil bolas de tênis, 40 mil camas e 12 mil computadores, além dos serviços de especialistas em logística e fornecedores de grandes equipamentos. Nesse universo, o Sebrae identificou, dentro de seu Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, cerca de 90 itens que podem ser atendidos por pequenas empresas.

Para o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, ser selecionado como fornecedor da Rio 2016 significa uma importante conquista, principalmente pelas oportunidades que se abrem para o futuro.  “A empresa precisa estar preparada para entregar os produtos e serviços no prazo e com a qualidade contratada, além de obter todas as certificações necessárias. Com isso o empreendimento ganha experiência e competitividade e passa a integrar a cadeia produtiva de grandes empresas”, afirma Barretto.

Barcos de apoio, brindes, cabeamento elétrico, uniformes, construção civil, design de interiores e decoração, equipamentos de segurança, gráficas, lavanderia, móveis, produção audiovisual e software estão entre os segmentos que devem ser beneficiados com o evento. As ações desenvolvidas pelo Sebrae para os jogos olímpicos estão acontecendo não apenas no Rio de Janeiro e no interior fluminense, mas também em outras cidades brasileiras.

É o caso do empresário Renato Soares de Paula que se prepara para aproveitar mais essa oportunidade gerada por um megaevento no Brasil. Ele espera fornecer crachás e credenciais para as delegações e equipes que estarão nas Olimpíadas. Renato tem uma pequena fábrica de cartões magnéticos em São Paulo há 17 anos e, há três anos, criou e colocou em prática um programa para o pós-consumo dos cartões de PVC. O empreendedor montou uma fábrica de reciclagem de cartões, que funciona no município de Elias Fausto, a 130 km da capital paulista, e desenvolveu uma linha de produtos feitos com o plástico reciclado que inclui cadernos, agendas, relógios, porta-lápis, caixas, chaveiros, além de crachás e credenciais. Para a Copa do Mundo FIFA 2014, ele criou, com o apoio do Sebrae, uma série de portas-copo com o desenho das arenas do mundial, que foram vendidos na loja Mosaico Brasil do Rio de Janeiro no Parque da Bola, instalado no Jóquei Clube.

A experiência deu ao empresário a oportunidade de conhecer um novo mercado que ele pretende aproveitar também nas Olimpíadas. “Quero criar produtos inspirados nos esportes dos Jogos Olímpicos. O Parque da Bola está sendo importante, porque é meu primeiro contato com o varejo. Sempre fiz brindes e vendi diretamente para o mercado corporativo, não sabia como seria a aceitação do meu produto junto ao público. Enxergo uma possibilidade infinita de negócios que vai me manter no futuro”, afirma.

Outra empresária que não quer perder essa oportunidade é Solange Mello, dona de um escritório de design que nasceu do sonho de duas amigas de faculdade no Rio de Janeiro. Solange desenvolveu e patenteou o Slim Plastt, produto para ser usado na decoração de interiores e que, desde 2009, trabalha com o revestimento feito em polipropileno (plástico de alta resistência mecânica) para ornamentar ambientes. Com incentivo do Programa Sebrae 2014, ela inovou e desenvolveu um jogo de porta-copo com desenhos de ícones cariocas feito com o mesmo material. O produto faz parte do catálogo Rio Show de Bola e também foi vendido na loja Mosaico Brasil, no Jóquei Clube. “Só trabalhava com o Slim Plastt para fazer decoração, mas o Sebrae me aconselhou a desenvolver um produto que fosse fácil para o turista transportar”, diz.

A empresária aproveitou a oportunidade de participar do Sebrae 2014 para diversificar seus produtos e acessar novos mercados. Agora, ela espera fazer negócios também durante as Olimpíadas. “A Copa foi uma ótima experiência para diversificarmos nossa produção. Além do mercado de decoração, passamos a conhecer melhor o mercado de souvenirs, mais uma oportunidade de negócios para a empresa”, afirma Solange, que já começou a desenvolver uma linha de jogos americanos para bares e restaurantes utilizarem durante as Olimpíadas. Ela espera ser beneficiada pela parceria entre o Sebrae e o COI. “Recebemos a visita de integrantes do Comitê que se interessaram pelo revestimento para usar na construção das Vilas Olímpicas e também em usar o porta-copo como produto oficial. Ainda não tivemos confirmação, mas é um bom começo”, conta.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014


Conheça a história do Empretec

Empretec: fortaleça suas habilidades como empreendedor

O Empretec é uma metodologia da Organização das Nações Unidas - ONU voltada para o desenvolvimento de características de comportamento empreendedor e para a identificação de novas oportunidades de negócios, promovido em cerca de 34 países. No Brasil, o Empretec é realizado exclusivamente pelo Sebrae e já capacitou cerca de 200 mil pessoas, em 8.500 turmas distribuídas pelos 27 Estados da Federação. Todo ano, o Empretec capacita em torno de 10 mil participantes.

Segundo pesquisa do Sebrae, os empreendedores que fizeram Empretec registraram um acréscimo de R$ 24,6 mil por mês no faturamento de suas empresas. Mais de 90% dos entrevistados confirmaram o aumento dos lucros após a conclusão do seminário e que aplicaram imediatamente mudanças em seus produtos e serviços com base nos conhecimentos adquiridos.

O Empretec pode proporcionar aos seus participantes a melhoria no seu desempenho empresarial, maior segurança na tomada de decisões, a ampliação da visão de oportunidades, dentre outros ganhos, aumentando assim as chances de sucesso empresarial.

Se você gosta de desafios e quer aprimorar ou abrir o seu próprio negócio, a CDL Santa Cruz do Capibaribe tem a ferramenta certa para você. Venha fazer o Empretec. As inscrições serão só até a próxima sexta-feira (29). Mais informações ligue: (81) 3731-2850.

Concerto de música Sacra será realizado em Santa Cruz do Capibaribe


INSS começa a pagar parcela do 13º salário a aposentados

 INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) inicia nesta segunda-feira (25) o pagamento da primeira parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas que recebem até um salário mínimo. Os depósitos seguem até 5 de setembro, de acordo com a tabela de pagamento disponível no endereço http://zip.net/bmpmSG.

Para quem recebe acima do mínimo, o pagamento começa a ser depositado no dia 1º de setembro.
A primeira parcela corresponde a até 50% da gratificação. O valor será calculado com base no total de meses em que a pessoa recebeu o benefício previdenciário, a partir de janeiro deste ano.
Para quem começou a receber a aposentadoria em janeiro, o cálculo será feito sobre os 12 meses do ano e o valor depositado será correspondente a 50% do benefício. Quem começou a receber em março, o cálculo será sobre dez meses, e assim por diante.
Não haverá desconto de IR (Imposto de Renda) na primeira parcela. O desconto será feito somente sobre a segunda parcela do benefício, cujo pagamento é realizado entre os meses de novembro e dezembro.
A consulta do extrato mensal de pagamento de benefícios pode ser feita no site http://zip.net/bxpnVw e também nos terminais de autoatendimento dos bancos pagadores.
Não tem direito ao 13º salário quem recebe amparo previdenciário do trabalhador rural, renda mensal vitalícia, amparo assistencial ao idoso e ao deficiente, auxílio-suplementar por acidente de trabalho, pensão mensal vitalícia, abono de permanência em serviço, vantagem do servidor aposentado pela autarquia empregadora e salário-família.

Dica SPC Brasil


Quando você precisa ganhar tempo em uma reunião evite chamar uma multidão, isso só prolongará a conversa. 
Chame as pessoas mais importantes para os assuntos apontados e ganhe foco e produtividade.


Foto: Quando você precisa ganhar tempo em uma reunião evite chamar uma multidão, isso só prolongará a conversa. 
Chame as pessoas mais importantes para os assuntos apontados e ganhe foco e produtividade.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014


Impressão digital é tendência no mercado têxtil


Durante a Febratex, Feira Brasileira para a Indústria Têxtil, a Roland DG apresenta uma geração de impressoras digitais que possibilitam melhorar a qualidade de impressão e contribuir com o aumento da produtividade no setor

Produção de estampa para confecção, decoração e personalização de produtos são algumas das áreas que ganham com a entrada da impressão digital no mercado têxtil. A procura dos empresários do setor por esta tecnologia mostra o caminho e a tendência da moda, que dominada pela importação chinesa busca alternativas para aumentar a competitividade nacional e a geração de negócios entre a manufatura e o varejo.
Foi pensando nas possibilidades deste mercado que a Roland DG tem investido cada vez mais em impressoras sublimáticas. “A procura por esta tecnologia é tão grande no país, que desenvolvemos modelos exclusivos para o mercado brasileiro”, diz Anderson Clayton, gerente de marketing e novos negócios na Roland DG Brasil.
Um dos destaques da empresa nesta área e que será apresentado de 12 a 15 de agosto durante a Febratex, é a impressora VersaArt RE-640S que segue a tendência mundial e crescente demanda por impressão sublimática. Desenvolvida com exclusividade para o mercado nacional, possui largura de 1.60m, alta velocidade, ótima qualidade de impressão e excelente custo-benefício, além de contar com a garantia integral Roland DG Brasil e acesso ao programa Roland DG Care, uma solução mundial, onde os clientes podem contar com uma ampla assistência que atende a todos os detalhes do funcionamento do equipamento, passando pela instalação, treinamentos e manutenção, por toda a vida útil.
Outro equipamento exclusivo para a indústria têxtil - vestuário ou moda casa - é a XF-640S, com qualidade de impressão excepcional de até 720 dpi, velocidade de 122m²/h, a impressora possui um sistema de rebobinador de mídia integrado e é direcionada para o mercado que precisa de um equipamento para produção de grandes volumes. Equipada com duas cabeças de impressão Roland Gold Head, dispõe de um exclusivo modo de impressão espelhado das cores CMYK, além do software RIP para gestão de impressão, ajustando automaticamente a cor, quantidade de tinta e outros fatores críticos, resultando cores vibrantes, gradações suaves e qualidade de imagem.
Para as pequenas empresas a Roland DG leva a impressora solvente de mesa BN-20 que possui preço extremamente acessível. O equipamento é versátil, compacto e produz tudo que uma impressora Roland de grande formato desenvolve. Abastecida com a premiada tinta ECOSOL-MAX, a BN-20 permite a impressão e o recorte de transfer para aplicação em camisetas, bonés, entre outros produtos.
Os visitantes do evento ainda poderão conferir a tecnologia dos equipamentos EGX-350, gravadora de mesa 3D para personalização de produtos, a GX-24, uma das principais plotters de recorte da Roland DG ideal para transfers para camisetas, personalização de objetos, decoração de ambientes entre outras aplicações e a RF-640, projetada para atender às exigências do competitivo mercado de comunicação visual, com excelente custo benefício, possui um sistema de rebobinamento que estabiliza a produção em velocidades de até 48.5m²/h e permite resolução da imagem em até 1440 dpi.
Sobre a Roland DG
Com sede em Cotia, São Paulo, a Roland DG Brasil é uma unidade de negócios da Roland DG Corporation. Empresa japonesa líder mundial em soluções industriais para sinalização, artes gráficas, envelopamento de veículos, impressão UV, fotografia, gravação e modelagem 3D.
Fundada em 1981 e listada na Bolsa de Tóquio, a Roland DG é a número um no mundo em fornecimento de impressoras de grande formato a jato de tinta.
A Roland DG Corporation conquistou as certificações ISO 9001:2008 e 14001, que garantem a consistência na qualidade de fabricação, distribuição e serviço ao cliente. Além de atuarem com o Roland DG Care, uma solução mundial, onde os clientes podem contar com uma ampla assistência que atende a todos os detalhes do funcionamento do equipamento, passando pela instalação, treinamentos e manutenção, por toda a vida útil.

quinta-feira, 21 de agosto de 2014


Após quatro meses em queda, regularização de dívidas volta a subir em julho

Fonte: Ascom CNDL

O número de dívidas regularizadas, calculado a partir das exclusões dos registros de inadimplência do banco de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) interrompeu a trajetória de queda registrada entre março e junho e apresentou uma leve alta de 0,97% no mês de julho deste ano em relação a 2013. Na comparação com junho de 2014, sem ajuste sazonal, o volume de quitações de dívidas em atraso também teve um resultado positivo e subiu 2,24%. O dado é do Indicador Mensal de Recuperação de Crédito do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas).


Na avaliação da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, apesar dos números mais positivos para o último mês, ainda não é possível afirmar que os dados sinalizam uma reversão da tendência de piora no indicador de recuperação de crédito. Exemplo disso é que na comparação do dado acumulado nos sete primeiros meses de 2014 com o mesmo período do ano passado, a quantidade de pessoas que conseguiram regularizar dívidas em atraso caiu 0,97%.

Para a economista do SPC Brasil, com o atual cenário de alta da inadimplência e perda da confiança dos consumidores e dos empresários, a recuperação de crédito não deve apresentar melhoras significativas até o fim do semestre. "O enfraquecimento da atividade econômica, aliado a níveis elevados de inflação e taxas de juros, nos fazem crer, no entanto, que a melhora verificada em julho é apenas uma acomodação após pioras consecutivas nos indicadores de recuperação de crédito. Com o rendimento dos trabalhadores crescendo menos e a inflação e juros em alta, o consumidor vê a sua capacidade de pagamento se deteriorar, o que torna ainda mais difícil quitar ou renegociar as dívidas em atraso", explica Marcela.


Logo mais a tarde, Santa Cruz vai vivenciar um dos maiores evento do segmento de E-commerce da região. Clique na imagem e faça a sua inscrição, ainda dá tempo!


Verba liberada pelo BC tem eficácia limitada, diz CNDL

Fonte: Ascom CNDL

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) consideraram a liberação de R$ 10 bilhões em recursos para a economia feita pelo Banco Central uma medida válida, porém com efeitos limitados. O anúncio do BC foi feito em Brasília (DF), na manhã desta quarta-feira (20/8).
Para o movimento varejista, os recursos vão permitir uma maior oferta de crédito e, consequentemente, uma redução das taxas de juros cobradas pelos bancos aos seus tomadores. No entanto, na avaliação do presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, os efeitos são limitados, porque o orçamento das famílias brasileiras já está muito comprometido com financiamentos passados e corroído pelos efeitos da alta dos preços.
"A media é boa, mas não é milagrosa. Dificilmente haverá um retorno desse dinheiro para a economia brasileira, porque o nível de comprometimento do salário dos trabalhadores já está muito alto. Além disso, o aumento real dos salários está muito pequeno em função da alta da inflação. Tudo isso contribui para que o consumidor tenha o poder de compra reduzido e não recorra ao crédito como quer o governo", disse Pellizzaro Junior.
Além dos R$ 10 bilhões anunciados hoje (20/8), o Banco Central poderá permitir a entrada de outros R$ 15 bilhões, o que já resultaria em R$ 70 bilhões injetados para estimular a estimular a oferta de crédito no país.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Biblioteca do Conhecimento de Santa Cruz do Capibaribe promove mais uma palestra para empreendedores

Compreender a importância de praticar atitudes empreendedoras no seu negócio e reconhecer as atitudes empreendedoras praticadas no seu negócio, de modo a atribuir a si mesmo a responsabilidade pelas decisões tomadas, além de descobrir e aplicar o seu potencial empreendedor para o fortalecimento do seu negócio. Com esse objetivo a Biblioteca Indústria do Conhecimento de Santa Cruz do Capibaribe realizou mais uma palestra, com a consultora do SEBRAE, Andréa Braga, onde participaram vários empreendedores e estudantes.

De acordo com a coordenadora, Eronilda Paiva, a biblioteca tem como objetivo promover mais conhecimento em termos de saber diferenciar o tratar bem, dever do cidadão, do atender bem superando as expectativas do cliente, trazendo-lhe satisfação.

A Biblioteca Indústria do Conhecimento de Santa Cruz do Capibaribe é uma das mais visitadas em todo Estado e foi implantada na cidade através de uma parceria da Rota do Mar com o SESI e apoio da CDL local.






Dica SCP Brasil


A famosa “dor do dono” mostra o quanto os funcionários estão envolvidos com a empresa, pois tratam os problemas do negócio como se fossem os próprios donos.
Se você tem funcionários com essa dor, reconheça-os, assim terá mais pessoas de confiança.

Ex-consultor da ONU faz palestra na Rodada de Negócios

Ter informações privilegiadas sobre o mercado em que se atua é importante para o empresário manter seu negócio competitivo. De olho em tal necessidade, o Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções de Pernambuco (NTCPE) leva o palestrante Marcelo Prado, ex-consultor da ONU, para dar um rico panorama da indústria de vestuário no Brasil na 18ª Rodada de Negócios da Moda Pernambucana. A palestra ocorre no dia 21 de agosto, às 19h, no espaço de eventos do Polo Caruaru. A Rodada ocorre de 20 a 22 de agosto. 
Marcelo Prado vai apresentar as dimensões e evolução recente do mercado de vestuário no país, explicando a oferta e demanda de artigos do vestuário, perfil da indústria nacional, demanda interna, canais de distribuição, o perfil socioeconômico dos consumidores locais. “Ele quem melhor fala sobre a cadeia do vestuário no Brasil. Consideramos importante para o empresariado porque vivemos um momento de desafios no mercado”, diz Edilson Tavares, presidente do NTCPE. A entidade patrocina a realização da Rodada de Negócios.
Tavares diz que o desafio para o empresariado consiste em se manter competitivo enquanto à produção e o consumo de vestuário, no Brasil, vem apresentando uma tendência à queda. “Neste cenário, as informações que o Marcelo trará se tornam ainda mais especiais”, completa. O palestrante também vai explanar sobre o perfil e comportamento de compra do consumidor brasileiro de vestuário, considerando os principais aspectos relacionados às suas decisões de compra e de sua relação com a categoria do produto.
Marcelo Prado é sócio-diretor do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI), uma das empresas que integram os serviços fornecidos pela plataforma SIM, lançada pelo NTCPE em Recife e no Agreste para dar informações diferenciadas em apoio ao desenvolvimento dos mercados têxtil, de confecção e de design. O IEMI é uma empresa especializada em inteligência de mercado, proporciona o acesso às tendências de consumo segmentadas e sua aplicação a negócios.
Marcelo Prado - Economista, especialista em marketing, com 23 anos de experiência no desenvolvimento de projetos de pesquisa e assessoria em inteligência de mercado. Atuou como consultor da ONU no Brasil para o desenvolvimento do comércio internacional, como professor convidado em instituições de renome; é palestrante em eventos no Brasil e no exterior.
Rodada de Negócios –  A 18ª Rodada de Negócios da Moda Pernambucana acontecerá de 20 a 22 de agosto das 9h às 19h, no Polo Caruaru. Nela,  120 expositores - fabricantes de roupas e acessórios pernambucanos -  receberão 300 lojistas convidados e mais de 500 visitantes espontâneos para conhecer mais de 4,5 mil itens expostos em oito segmentos: moda masculina, feminina, infantil, jeanswear, bebê, íntima, surf, streetwear e praia & fitness.
Sobre o NTCPE - O Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções é uma organização social (O.S.) criada em agosto de 2012 para ser a executora de diversas ações para esta cadeia em Pernambuco, que atualmente gera mais de 150 mil postos de trabalho e é a segunda mais expressiva do Brasil. Possui um Conselho de Administração composto por 13 instituições públicas e privadas, entre elas: Banco do Nordeste (BNB) e as Secretarias de Desenvolvimento Econômico (Sdec) e de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).
As ações do Núcleo têm por objetivo fomentar novos negócios, explorar novos mercados e elaborar estudos e pesquisas sobre a cadeia. Atualmente, dois projetos estão em foco: o Marco Pernambucano da Moda e o Programa de Inteligência Mercadológica. Todas as ações são desenvolvidas nas cidades do Polo de Confecções do Agreste (Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe) e no Recife, no Marco Pernambucano da Moda – espaço gerido pelo NTCPE, que funciona desde março passado, a partir de uma ação integrada com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico.
Palestra com Marcelo Prado na Rodada de Negócios da Moda Pernambucana
Dia 21 de agosto de 2014, às 19h
No espaço de eventos do Polo Caruaru (BR 104, km 62, Caruaru)
Local: Polo Caruaru
Rodovia BR 104 – Km 62 – Nova Caruaru – Caruaru – PE
Informações: www.rodadamodape.com

Semana da Pessoa com Deficiência será realizada em Santa Cruz do Capibaribe

A prefeitura de Santa Cruz do Capibaribe, através da Secretaria de Educação e do Conselho Municipal de Direitos da Pessoa com Deficiência (COMDEF), realiza a Semana da Pessoa Com Deficiência que acontece entre de 23 a 29/08. O evento apresenta o tema: “Educação, família e sociedade: unidos no processo de inclusão”, e vai trazer uma programação voltada para toda a sociedade santa-cruzense, contará com seis oficinas para professores, auxiliares, coordenadores e todos os profissionais da educação.

“Essa causa não é uma questão de assistencialismos, e sim uma questão de sensibilidade, de olhar, de enxergar a pessoa com deficiência como um cidadão normal que está lutado para que seus direitos sejam respeitados. A Semana da Pessoa com Deficiência será de mobilização social, cultural e esportiva, uma semana verdadeiramente inclusiva”, disse Clécia Lira Coordenadora de Inclusão.

O presidente do COMDEF, Renê Atleta, falou que os paratletas santa-cruzenses também irão participar da Semana da Pessoa Com Deficiência 2014. “Os paratletas estarão no Moda Center na próxima segunda-feira (25), fazendo panfletagem do evento, também será montada uma tenda com informações sobre a prática esportiva inclusiva”.


As inscrições para participar da Semana da Pessoa com Deficiente estão sendo feitas na Secretaria de Educação, na Avenida 29 de Dezembro, n° 55, até o dia 22 de agosto, das 8 às 17 horas, no departamento de Inclusão.

Confira a programação:

terça-feira, 19 de agosto de 2014


Confiança do empresário industrial para de cair pela primeira vez em cinco meses

Fonte: Agência Brasil

Pela primeira vez em cinco meses, a confiança do empresário industrial parou de cair. Segundo números divulgados hoje (18) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) ficou em 46,5 pontos em agosto, apenas 0,1 ponto percentual acima do nível registrado em julho.

Apesar da melhora, os empresários continuam receosos em relação à economia brasileira. Os valores do Icei variam de 0 a 100. Indicadores abaixo de 50 pontos revelam falta de confiança do empresário.


Nos últimos 12 meses, o Icei continua a apontar deterioração das expectativas do setor industrial. Em agosto do ano passado, o indicador tinha ficado em 52,5 pontos. Em relação à média histórica, a disparidade ainda é maior. Desde agosto de 2011, o índice costuma registrar 57,4 pontos mensais.

Segundo a pesquisa, a confiança é menor na indústria de transformação, que registrou Icei de 45,2 pontos. O índice ficou em 48,2 pontos na indústria de construção e superou 50 pontos somente entre os empresários da indústria extrativa (50,2 pontos).

Entre os 27 setores da indústria de transformação, somente as indústrias farmacêutica, de alimentos e de bebidas registraram confiança em relação à economia do país. Nos três segmentos, o índice ficou acima de 50 pontos.

Em relação ao tamanho das empresas, a falta de confiança é generalizada. O melhor índice foi registrado nas grandes indústrias, com 47,5 pontos. Mesmo assim, o indicador permaneceu abaixo de 50 pontos. O Icei alcançou 46,5 pontos nas pequenas indústrias. Nas médias empresas, a falta de confiança é maior, com índice de apenas 44,7 pontos.

O CNI fez o levantamento entre 1º e 12 de agosto com 2.763 empresas de todo o país, das quais 1.056 são de pequeno porte, 1.049 são médias e 658 são de grande porte. A CNI não revelou os motivos da falta de confiança, apenas perguntou aos empresários se eles estão otimistas com a economia do país.

Na próxima quinta comerciantes de Sta. Cruz terão oportunidade de participar de seminário de comércio eletrônico, totalmente grátis


Indústria dialoga sobre o futuro da gestão de resíduos

Fonte: Agência SEBRAE

O Rio de Janeiro será palco nesta quarta-feira (20) do terceiro encontro do Projeto CNI Sustentabilidade. Neste ano, terá como tema Resíduos Sólidos: Inovações e Tendências para a Sustentabilidade. Organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com patrocínio do Sebrae, o evento discutirá três grandes temas relacionados à Política Nacional de Resíduos Sólidos: o ecodesign, a requalificação dos resíduos como nova fonte de recursos para a indústria e a valorização energética e seu papel na gestão de resíduos.

Os debates reunirão palestrantes brasileiros e estrangeiros, entre eles o norte-americano Thomas Heller, especialista em política climática e vencedor do Prêmio Nobel da Paz de 2007, que integra o Conselho de Liderança da Rede de Soluções em Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ONU). A expectativa de publico é de mais de 500 participantes, entre representantes da indústria, de universidades, do governo e da sociedade civil.

O primeiro painel tratará da transformação dos resíduos sólidos em subproduto ou matéria-prima. Para atingir tal classificação, o material não pode trazer prejuízos à saúde humana e ao meio ambiente. Também deve, entre outros requisitos, reduzir o consumo de recursos naturais e o uso de aterros, além de gerar benefícios econômicos. No segundo painel, especialistas debaterão o ecodesign, a partir de boas práticas de empresas que incorporaram a sustentabilidade ao processo produtivo. Uma das principais contribuições do ecodesign para o meio ambiente é a otimização do reaproveitamento ou da reciclagem do produto, depois da devolução pelo consumidor. O uso dos resíduos sólidos como fonte de energia será discutido no terceiro painel, sobre valorização energética.