Topo

Topo

terça-feira, 30 de junho de 2015

Audiência pública para retomada das obras da BR-104 conta com a representação da CDL de Santa Cruz do Capibaribe

Lutar pelo engrandecimento do comércio lojista da cidade de Santa Cruz do Capibaribe tem sido uma tarefa constante da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), a fim de fazer com que a cidade se desenvolva cada vez mais.

A entidade esteve mais uma vez se fazendo representar, através do seu presidente, Valdir Oliveira, na audiência pública, que aconteceu na última sexta-feira (26), na Câmara de Vereadores de Santa Cruz do Capibaribe, que contou com a participação dos senadores Humberto Costa e Douglas Cintra, além da participação de várias autoridades políticas da cidade e do coordenador geral do DNIT, Fábio Nunes.


Diante de muitas cobranças, o coordenador do DNIT Fábio Nunes, informou que a primeira medida a ser tomada será o recapeamento dos trechos que apresentem maiores problemas de conservação. O recapeamento será feito pela empresa responsável pela manutenção da via e deverá começar nos próximos dias.




75% dos empresários acreditam que ajuste fiscal tem impacto negativo na economia

Fonte: Ascom SPC Brasil

O recente ajuste fiscal e os cortes orçamentários anunciados pelo Governo Federal não foram bem recebidos pelos empresários brasileiros. É o que mostra uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) sobre o impacto que estas medidas terão para a economia do Brasil e para seus negócios, na percepção dos empresários. O estudo revela que 90,5% dos entrevistados já ouviram falar das medidas que estão sendo adotadas e 75,4% acreditam que os ajustes e cortes terão um impacto negativo na economia.

O pessimismo é igualmente expressivo quando os empresários são indagados sobre os desdobramentos das medidas e as consequências para a sua empresa: 70,6% acreditam que também haverá um impacto negativo, principalmente nas regiões Centro-Oeste (83,3%) e Sul (77,9%).

De acordo com o estudo, o ajuste fiscal proposto enfrenta resistência e desconfiança do empresariado. 61,4% das empresas afirmam não ser necessário e que as medidas são um retrocesso para o país, além de aumentar os problemas e retardar a volta do crescimento. Apesar da pesquisa demonstrar uma repulsa às novas medidas por parte dos empresários, os ajustes são importantes, segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

"É inegável que os ajustes e cortes terão efeitos de retração econômica no curto prazo, e que certamente serão sentidos pelos empresários e pela população", explica Kawauti. "Mas por outro lado, essas medidas servem para arrumar a situação da economia e são importantes para que a retomada do crescimento aconteça de maneira sustentável no médio e longo prazo", afirma a economista.

76% dos empresários acreditam que os cortes diminuirão as vendas

Além do impacto dos ajustes fiscais, também foram analisadas as consequências previstas para os empresários sobre os cortes orçamentários anunciados pelo governo. Três em cada quatro (75,7%) empresários acreditam que os cortes irão diminuir as vendas de sua empresa e 77,6% afirmam que o lucro diminuirá.

Outro reflexo dos ajustes fiscais e cortes orçamentários é o número de demissões. Para 66,1% dos entrevistados, os empregos serão mantidos, mas outros 26,0% afirmaram que farão cortes em suas equipes.

No Nordeste, o número de empresas que demitirão funcionários atinge 39,9%. No Centro-Oeste, o percentual atinge 28,4%; no Sul, 27,2%; Sudeste 21,7% e na região Norte, 14,5%.

74% acreditam na diminuição do faturamento da empresa

Para 67,5% dos empresários, os impostos irão aumentar até o final do ano. A consequência disso, para eles, será a diminuição do faturamento da empresa, citado por 73,6%. Aparecem ainda a retração do consumo e a diminuição das vendas (73,1%), e a diminuição do crescimento da empresa (54,6%).

Quando perguntados sobre o acesso a crédito, 74,6% dos empresários afirmaram que contratar empréstimos está mais caro, com juros mais altos nos últimos três meses. Para 51,5% dos entrevistados, essa modalidade é importante para o crescimento dos negócios, mas afirmam que agora não é a melhor hora para iniciar essa pendência, já que o cenário econômico está pouco favorável.

"Ainda que as medidas econômicas sejam importantes a longo prazo, é para o momento atual que boa parte dos empresários espera resultados e benefícios, e por isso talvez o ajuste não seja bem recebido", diz o presidente da CNDL, Honório Pinheiro. "Para esses empresários, o ajuste pode trazer graves consequências de imediato, diminuindo o consumo dos brasileiros, encolhendo os lucros e dificultando a capacidade de as empresas tomarem capital", conclui o presidente.

Participe do Qualipolo


segunda-feira, 29 de junho de 2015

Parabéns



Os parabéns de hoje vão para o Consultor Comercial da CDL Santa Cruz do Capibaribe, Pedro Douglas, ele que integra a equipe desde 2014 e tem desenvolvido um trabalho de acompanhamento junto aos sócios da entidade, além de trazer novos associados.

Parabéns Pedro, tudo de bom na sua vida que Deus te ilumine sempre, e que todos seus sonhos e objetivos se realizem. São os sinceros votos de todos que fazem a CDL de Santa Cruz do Capibaribe.

sexta-feira, 26 de junho de 2015


Brasileiro gasta, em média, R$ 185 com produtos para animais de estimação na internet

Fonte: CNDL

O mercado pet, com a venda de produtos para animais de estimação, tem ocupado espaço relevante no mundo do consumo virtual. De acordo com um levantamento realizado em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira ‘Meu Bolso Feliz’, em 2014, 9% dos brasileiros com acesso á internet realizaram ao menos uma compra de itens como coleiras, ração, acessórios, roupinhas, produtos de higiene e brinquedos para seus animais domésticos, principalmente as mulheres (12%) e pessoas acima de 50 anos (13%).

Segundo dados oficiais calculados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o número de cães no Brasil (55 milhões) já supera a população de crianças com até 14 anos de idade (45 milhões). “Com a crescente demanda pela personalização de produtos, principalmente, voltados à estética e ao bem-estar animal, este é um mercado bastante promissor. Uma das melhores vantagens de se comprar pela internet é poder pesquisar entre uma variedade maior de produtos e encontrar o menor preço”, afirma Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

O estudo do SPC Brasil mostra ainda que o gasto médio na última compra do brasileiro com produtos para animais de estimação chega a R$ 185 e cresce para R$ 222 entre os consumidores da classe C. A maior parte das aquisições foi em sites nacionais (mencionado por 67% dos entrevistados), seguidos pelos sites de compras coletivas (16%). Os consumidores mostram-se satisfeitos em relação a sua última compra, já que apenas 5% relatam ter enfrentado problemas, como defeitos no produto, problemas na entrega ou recebimento de um produto diferente do anunciado no site.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Qualipolo oferece 21 opções de cursos para capacitação profissional


Empresária de Santa Cruz e o Moda Center são destaques em Reportagem da TV Brasil

No último dia 18 de junho, o programa Caminhos da Reportagem, da TV Brasil do Rio de Janeiro, destacou um tema muito pertinente a nossa economia: o empreendedorismo.

O síndico do Moda Center Santa Cruz, Allan Carneiro, e a empresária Margarida Monteiro, foram entrevistados e falaram da importância empreendedora de Santa Cruz do Capibaribe.

Assista aqui à reportagem “Brasileiro, profissão empreendedor”:

150 confecções fecharam as portas em São Paulo neste ano

Fonte: Diário do Comércio

Ele chegou a fabricar 500 mil peças de lingerie por mês, entre 2008 e 2010, com um time de 400 costureiras. Hoje, produz 250 mil peças mensais e emprega 200 costureiras.
“Estou apavorado. O setor de confecção não dura mais do que oito anos no Brasil”, desabafa Ronald Masijah, sócio-diretor da Darling, uma das mais tradicionais marcas de lingerie do país.
Fundada pelo pai, Iso Masijah, e pelo tio, Moises Castro Nahum, em 1949, a Darling, segundo afirma, nunca havia passado nem perto de um período de retração semelhante ao atual.
“É algo absurdo o que estamos vivendo. Acabamos de passar pelo Dia dos Namorados e o ritmo de vendas se manteve como se o evento não tivesse existido”, afirma. Nos meses de maio e junho, religiosamente, as vendas de lingerie costumavam aumentar 20%.
Fundada por Izidoro Knobloch, a Nutrisport, fundada há 64 anos para produzir casacos de pele, é outra empresa que está bem longe de fornecer, como no passado, 250 mil peças para cada estação do ano.
“A produção atual é 60 mil peças, 20% inferior à do ano passado e, ainda assim, não está fácil vender”, afirma Sidney Knobloch, sócio-diretor da confecção, que comercializa as marcas Nutria e Lilla Ka.
Para Knobloch, as confecções brasileiras não suportam mais dois a três anos. Os preços dos tecidos são dolarizados, uma vez que boa parte deles é importada, considerando que a indústria têxtil nacional também sucumbiu. “Fora isso, os custos dispararam”.
De janeiro a abril passado, a alta mensal do dólar acumulou 16,1%, o preço da energia elétrica subiu 38,2%; o dos combustíveis, 8,4% e o da água tratada, 2,3%, segundo cálculo da GO Associados.
Os juros também estão mais elevados. A taxa básica de juros da economia que, em janeiro, era de 12,25% ao ano, hoje é de 13,25% ao ano. E todos esses aumentos acontecem em um ambiente em que o consumidor está mais endividado e sem confiança na economia e no emprego.
“A situação vai piorar, nem começou a recessão. O governo vai cortar investimentos, os impostos vão subir e a desoneração sobre a folha de pagamento, que havia até agora, está sendo revista”, afirma.
Muitas confecções já entregaram literalmente os pontos. Levantamento do Sindivestuário, sindicato que reúne os fabricantes de roupas femininas, masculinas e infanto-juvenis, revela que, nos quatro primeiros meses deste ano, 500 confecções fecharam as portas no país, das quais 150 no Estado de São Paulo.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Mês de junho, faça suas compras no Moda Center Santa Cruz


E continuam as feiras de junho no Moda Center Santa Cruz. Até o final deste mês, venha fazer suas compras de domingo a terça.

A partir de julho, não abriremos aos domingos – os dias de feira voltarão ao normal: segundas e terças. Só voltaremos a abrir aos domingos em novembro e dezembro.


Boas festas juninas a todos!

Participe do maior programa de capacitação profissional de Santa Cruz do Capibaribe e região


Dívidas em atraso crescem em todas as regiões brasileiras, mostra indicador do SPC Brasil

Fonte: Ascom SPC Brasil

No último mês de maio, o indicador regional de inadimplência do consumidor calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) registrou crescimento na quantidade de dívidas atrasadas em todas as regiões brasileiras. As regiões Norte, Centro-Oeste e Nordeste apresentaram crescimentos mais expressivos – de 7,81%, 7,03% e 6,86% respectivamente – se comparados à média nacional (6,70%), na base anual de comparação, ou seja, frente à maio do ano passado. Já as regiões Sudeste (6,09%) e Sul (6,06%) registraram percentuais menos elevados no crescimento de dividas não pagas.

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, explica que o fato de as cinco regiões apresentarem crescimento no volume de dívidas não pagas corrobora a desaceleração da atividade econômica do país em conjunto com a piora dos indicadores macroeconômicos, o que reflete na capacidade de pagamento dos consumidores. “Fatores como a alta dos preços, o aumento do desemprego e as taxas de juros em patamares elevados devem apertar ainda mais o orçamento dos consumidores e manter as variações da inadimplência positivas até o fim do ano”, afirma a economista.

Dívidas por setor

Na comparação com maio do ano passado, o segmento de Água e Luz foi o setor que apresentou as variações mais acentuadas de dividas em atraso em duas das cinco regiões avaliadas pelo SPC Brasil: Centro Oeste, com alta de 29,18% e Sudeste, com crescimento de 17,49%. “O crescimento da inadimplência observado no segmento de serviços básicos em algumas regiões se explica pelo fato de que mais companhias de água e luz passaram a utilizar a negativação de CPFs como forma de recuperar pendências financeiras de seus consumidores, antes mesmo de realizar os cortes no fornecimento do serviço”, analisa Marcela.

Já no Norte e Nordeste, destacaram-se as variações das pendências de serviços de comunicação, como telefonia móvel e fixa, TV por assinatura e internet, com crescimento de 37,35% e 19,38%, respectivamente. “Os chamados ‘combos’, que unem internet, telefone e TV por assinatura, têm se popularizado no Brasil, mas muitos consumidores ainda não se planejam financeiramente para lidar com essas despesas e a quantidade de atrasos tem sido cada vez maior em várias partes do país”, explica a economista.

O crescimento das dívidas bancárias, que englobam cartão de crédito, financiamentos, empréstimos e seguros, foi mais expressivo na região Sul (11,39%), enquanto a alta dos atrasos no comércio se destaca no Centro-Oeste (2,70%).



Sudeste concentra mais inadimplentes

De acordo com os economistas do SPC Brasil, a participação de cada região no total de dívidas no país tem relação direta com a representatividade da região junto a população brasileira como um todo. A região sudeste, que responde pela maior parte do PIB e se destaca pela alta concentração populacional, é quem detém a maior fatia do número total de consumidores inadimplentes no país: 39,95%. Em seguida surgem as regiões Nordeste (25.94%), Sul (12,95%), Norte (8,84%) e Centro-Oeste (7,78%) no ranking de participação.

No dia de São João (24), a CDL será fechada


segunda-feira, 22 de junho de 2015

Se qualificar para manter-se no mercado



Dicas SPC Brasil


Chamar a atenção dos clientes é essencial.
A dica é usar decorações, bonecos, animadores e até distribuição de brindes na porta da sua loja para chamar os consumidores e aumentar as vendas.

Campanha de valorização de Santa Cruz do Capibaribe

A CDL Santa Cruz do Capibaribe, através da Câmara Setorial de Varejistas de Vestuários e Acessórios de Moda, está promovendo uma campanha de valorização da cidade. O intuito da campanha é conscientizar os moradores do município a consumir produtos e serviços oferecidos em Santa Cruz do Capibaribe.


A Campanha está começando e nós precisamos de você para escolher o nome da mesma. Vote na enquete que está do lado direito da sua tela, no Blog da CDL e escolha o nome que você quer ver na campanha de valorização da cidade.

Outras Câmaras setoriais da CDL também estão aderindo a Campanha.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Santa Cruz tem tudo de melhor: Rua Cabo Otávio Aragão

Foto: Tonny Hill
Um local que vem tomando proporções de um grande centro de comércio em Santa Cruz do Capibaribe é a Rua Cabo Otávio Aragão, que está situada bem no Centro da cidade. Com lojas de confecções produzidas no município, joalherias, boutiques, hotéis, lanchonetes, restaurantes, enfim, tudo que um centro comercial tem.


Atualmente a rua Cabo Otávio tem sido destaque para a população santa-cruzense, pois tudo o que o consumidor precisa, ele encontra lá. De serviços variados a produtos mais sofisticados, de móveis a lojas de tecidos, escritórios de advocacia e de contabilidade, enfim, a Rua Cabo Otávio está completa para atender aos anseios e necessidades do consumidor. Ótima iniciativa dos lojistas da rua, que se uniram para convocar a população a visitar ainda mais a bela Cabo Otávio.

Micro e pequenos empresários estão pouco dispostos a tomar crédito

Fonte: Ascom SPC Brasil

A atividade econômica enfraquecida e o cenário de juros em alta e inflação persistente têm refletido na baixa disposição dos micro e pequenos empresários (MPE) em tomar crédito. De acordo com um novo indicador lançado hoje pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a demanda por crédito pelos próximos três meses dos micro e pequenos empresários registrou um baixo patamar de 16,36 pontos. Quanto mais próximo de 100, maior é a probabilidade de os empresários procurarem crédito e, quanto mais próximo de zero, menos propensos eles estão para tomar recursos emprestados para os seus negócios.

Na avaliação do presidente da CNDL, Honório Pinheiro, o baixo apetite ao crédito é justificado não somente pelo difícil momento econômico pelo qual o país atravessa, mas também por um componente comportamental dos empreendedores brasileiros. “Grande parte dos empresários desconhece a existência de linhas de financiamento adequadas aos perfis de seus negócios. Some-se a isso, a falta de profissionalização dentro das empresas. Como muitos dos micro e pequenos empresários misturam a gestão do caixa do empreendimento com as contas pessoais, é comum que eles acabem utilizando os próprios recursos financeiros como alternativa aos empréstimos e financiamentos”, explica Honório.

“A burocracia e a falta de conhecimento sobre o tipo de crédito mais adequado acabam forçando as empresas de menor porte a buscarem maneiras mais caras e menos convencionais para aportar recursos”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. Segundo a pesquisa, um terço (32,9%) dos empresários consultados consideram que está “difícil” ou “muito difícil” conseguir credito atualmente no Brasil. Dentre o universo de empresários pessimistas, quase a metade (49,0%) aponta a burocracia como a razão principal do impedimento e outros 30,4% apontam as altas taxas de juros praticadas no mercado.

Levando em consideração os micro e pequenos empresários que demonstram a intenção de contrair crédito nos próximos 90 dias, obter recursos para formar capital giro aparece em primeiro lugar, com 36,7% de respostas. Outras finalidades também mencionadas são o pagamento de dívidas (26,7%), reforma da empresa (22,3%) e compra de máquinas e equipamentos (21,1%).

Empresário retraído para investir

A intenção dos micro e pequenos empresários em promover investimentos em seus empreendimentos também é baixa, se considerados os próximos 90 dias. Numa escala de zero a 100 – sendo que quanto mais próximo de 100, maior é a propensão ao investimento – o indicador do mês de maio calculado pelo SPC Brasil atingiu apenas 32,06 pontos. Ainda que em patamar baixo, o resultado do indicador de investimento foi praticamente o dobro do indicador de procura por crédito. “Com a demanda do consumidor retraída e a atividade econômica estagnada como um todo, o empresariado brasileiro tem se mostrado reticente para aumentar investimentos”, afirma Marcela.

Dentre o universo de empresários que pretendem investir, os recursos financeiros pessoais aparecem com força. Seis em cada dez entrevistados (63,3%) citam os recursos poupados por eles mesmos como fonte de financiamento, ao passo que 24,9% mencionam empréstimos em bancos e financeiras como o recurso a ser utilizado para a ocasião. 

“No caso dos micro e pequenos empreendedores, no entanto, é preciso considerar, que nem todo investimento é um investimento no sentido clássico que visa aumentar a capacidade de produção. Para empresas deste porte, a ação pode incluir benfeitorias e gastos com manutenção, por exemplo”, pondera a economista do SPC Brasil.

De acordo com os empresários ouvidos, no que diz respeito aos investimentos a serem adotados, os mais mencionados são a reforma e aplicação da empresa (46,0%), compra de equipamentos, como maquinário e computadores (32,9%), ampliação do estoque dos produtos (12,2%) e investimento em propaganda e comunicação (9,7%).

Venha se qualificar com quem entende de Educação Profissional


Benefícios CDL - Parcerias em prol da qualificação profissional


Atualmente os colaboradores de uma empresa precisam estar constantemente atualizados. Profissionalmente falando, quem não busca se atualizar para o mercado de trabalho e com a crise que vem assolando a economia, a tendência é que o desemprego aumente e só os melhores ficarão no mercado. Para isso, faz-se necessário uma educação profissional que promova essa qualificação atualizada para empresários e colaboradores.


A CDL Santa Cruz do Capibaribe mantem parcerias com Instituições de renome nacional para trazer os melhores treinamentos, cursos, palestras e seminários para os seus associados e comunidade em geral da Capital das Confecções.


quinta-feira, 18 de junho de 2015

Participe dos cursos Qualipolo


Dica SPC Brasil


Ensinar seus vendedores a ouvir os clientes pode impulsionar suas vendas. 
Pois antes de sair “empurrando” os produtos, é necessário ouvir a real necessidade de cada um dos clientes. Assim seus vendedores saberão exatamente o que oferecer.

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Calendário de Feriados


Vendas parceladas no dia dos namorados caem 7,82%, mostra indicador do SPC Brasil

Fonte: Ascom SPC Brasil

Pelo segundo ano consecutivo houve uma forte queda nas consultas para vendas a prazo na semana do Dia dos Namorados. De acordo com o indicador calculado pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), o volume de vendas parceladas na semana anterior ao Dia dos Namorados (entre 5 e 11 de junho)  caíram 7,82% em relação aos sete dias que antecederam a mesma data comemorativa no ano passado.
15.06


















Vale ressaltar que a queda de 2015 se segue a um forte recuo de 8,63% verificado em 2014, intensificado na época pelo início da Copa do Mundo, o que já prejudicou nas consultas para vendas a prazo no ano passado.

21 cursos para você qualificar a sua equipe!


O Projeto Qualipolo consiste na qualificação profissional de colaboradores e empresários do Polo de Confecções. O Qualipolo é uma realização da CDL e SENAI e conta com vários parceiros para o desenvolvimento dos cursos. Moda Center, Ascap, SEBRAE, SENAC, FADIRE, CESAC e Unopar estão envolvidos na questão de ajudar na divulgação dos cursos, que são todos voltados para o aperfeiçoamento dos profissionais que atuam nas empresas da região.

As inscrições já começaram e os cursos serão aplicados no CESAC e no SENAI, a partir do dia 20 de julho. Associados ou pessoas ligadas às empresas parceiras pagarão apenas 60 reais e quem não for sócio ou alunos das entidades parceiras pagarão 65 reais.

O Qualipolo, em suas quatro edições anteriores já qualificou 1500 pessoas e a meta para este ano é qualificar mais 500 colaboradores, chegando a marca de 2 mil pessoas.


Os interessados já podem pegar sua ficha de inscrição em uma das empresas parceiras, preencher e efetuar o pagamento, exclusivamente, na CDL. Mais informações, liguem (81) 3731-2850.

Veja o conteúdo e o instrutor de cada curso clicando aqui!

terça-feira, 16 de junho de 2015

Empreendedorismo: Moda Center será destaque no “Caminhos da Reportagem” da TV Brasil

Caminhos da Reportagem mostra que quem arregaça as mangas para se tornar patrão de si mesmo encontra menos dificuldades que há algumas décadas.

Ser dono do próprio negócio está no imaginário de três em cada dez brasileiros. É o maior desejo dos trabalhadores, atrás apenas de comprar a casa própria e viajar, descobriu uma pesquisa do Sebrae. Segundo a instituição, concretizar essa vontade é cada vez mais possível: em 2014, registrou-se a maior taxa de empreendedorismo do país. Já são mais de 45 milhões de pessoas empreendendo. É gente como Raphael Krás, o irreverente dono da rede Hareburguer, que começou vendendo sanduíche na praia e descobriu sua vocação: “amo fazer hareburger.”

Com mais facilidades para obter crédito e uma legislação que protege o pequeno empresário, de Norte a Sul do país, o empreendedorismo se firma como alternativa para favorecer o crescimento econômico e gerar empregos. É o que acontece nos locais que o programa visitou: Florianópolis, Rio, São Paulo, Rio Branco, Recife e Santa Cruz do Capibaribe (PE).

No agreste pernambucano, a Feira da Sulanca começou na década de 1940 com um grupo de pessoas que precisavam buscar seu sustento. Hoje, é parte de um polo de confecções que movimenta a economia do Nordeste, graças à perseverança e o espírito empreendedor de seus criadores. Margarida Monteiro tem uma das maiores lojas de tecido da região e quer mais. “Ainda tenho muitos planos”, diz, aos 83 anos.

Pensar grande, como Dona Margarida, foi um dos ensinamentos que a jovem e premiada empreendedora Bel Pesce, autora do livro A menina do Vale, aprendeu cedo e hoje passa à frente.

“Se o empreendedor é alguém que quer criar soluções, criar produtos e serviços para suprir uma necessidade que ainda não exista e tocar vidas, é algo que eu sempre quis fazer na minha vida”, revela.

Ficha Técnica:
Reportagem: Flávia Grossi
Imagens: Eusébio Gomes
Auxiliar técnico: Caio Araújo
Edição de texto: Luciana Góes e Renata Cabral
Edição de imagem e finalização: Fábio Melo
Produção de Conteúdo: Carolina Pessoa, Luciana Góes, Márcio Parente e Renata Cabral
Produção executiva: Linei Lopes
Arte: Dinho Rodrigues
Direção: Rafael Casé

Fonte: TV Brasil


O programa vai ao ar na próxima quinta-feira (18), às 22h.

Sobre o programa

O Caminhos da Reportagem é um programa semanal, com 52 minutos de duração. No ar toda quinta-feira, às 22h, leva o telespectador para uma viagem pelo país e pelo mundo atrás de grandes histórias, com uma visão diferente, instigante e complexa de cada um dos assuntos escolhidos. Temas atuais e polêmicos são tratados com profundidade e seriedade. Há reprises também às segundas, terças, quintas e sábados, às 5h30, e aos domingos à 1h45.

Sobre a TV

A TV Brasil veio atender à antiga aspiração da sociedade brasileira por uma televisão pública nacional, independente e democrática. Sua finalidade é complementar e ampliar a oferta de conteúdos, oferecendo uma programação de natureza informativa, cultural, artística, científica e formadora da cidadania.

Criada em dezembro de 2007, a TV Brasil é gerida pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC), também responsável pela Agência Brasil, Radioagência Nacional, TV Brasil Internacional, Rádios MEC AM e FM, além das Rádios Nacional do Rio de Janeiro, Nacional AM e FM de Brasília, Nacional da Amazônia e Nacional do Alto Solimões.

A TV Brasil é transmitida para todo o Brasil e diversos países por meio de canal aberto, parabólicas e TV’s por assinatura.

SKY: Em todo o Brasil – Canal 166;
OI TV: Em todo o Brasil – canal 20;
CLARO TV: Em todo o Brasil – canal 9;
GVT: Em todo o Brasil – canal 234;
VIVO TV: Em todo o Brasil – o canal depende da região.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Receita libera primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2015

A Receita Federal liberou nesta segunda-feira (15), na rede bancária, os valores do primeiro lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2015 (IRPF 2015). Ao todo, 1.495.850 contribuintes terão direito à restituição nesse lote, com correção de 1,9%, totalizando mais de R$ 2,3 bilhões.

Contribuintes idosos, com doença grave ou deficiência física, que não tenham cometido erros ou omissões na hora de enviar os dados, são a maioria no lote.

Serão liberadas também restituições dos exercícios de 2008 a 2014 que foram retiradas da malha fina, elevando para R$ 2,4 bilhões o valor total de liberações.

As informações sobre o primeiro lote estão disponíveis na página da Receita na internet ou por meio do Receitafone 146. Por meio de aplicativo para tablets e smartphones com sistemas Android e iOS também é possível consultar o lote.

O supervisor do Programa do Imposto de Renda, Joaquim Adir, tem alertado para que os contribuintes que não são listados nos lotes de restituição verifiquem sempre o extrato da declaração para ver se não há pendência ou inconsistências no documento enviado à Receita e realizar a correção para evitar cair na malha fina. O procedimento pode ser feito no Centro Virtual de Atendimento da Receita Federal (e-CAC). Se não for cadastrado, é só informar os números dos recibos de entrega das declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (Dirpf) dos exercícios referentes às declarações ativas das quais o contribuinte seja titular.

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la por meio do Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF, na página da Receita Federal na internet.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800 729 0001 (demais localidades) e 0800 729 0088 (telefone especial exclusivo para pessoas com deficiência auditiva), para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Participe do maior programa de qualificação profissional do Agreste de Pernambuco


Comércio em alta no Moda Center Santa Cruz

E continua a alta temporada de vendas no maior centro atacadista de confecções do Brasil. Durante este mês de junho, é grande a movimentação de clientes e vendedores, fazendo bons negócios no Moda Center Santa Cruz.

Centenas de ônibus, vans e carros de passeio lotam os estacionamentos, assim como os corredores dos boxes e lojas ficam tomados por pessoas em busca de novidades e preços baixos.

É gente de todas as regiões do país em Santa Cruz do Capibaribe. Esta é a segunda melhor temporada do comércio na capital da moda, perdendo apenas para o período que antecede o Natal.

A administração deseja excelentes negócios a todos.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

CDL realiza lançamento do Projeto Moda e Negócios

O Projeto Moda e Negócios da CDL Santa Cruz do Capibaribe, que está sendo posto em prática através da Câmara Setorial de Representantes da Confecção, foi lançado na noite desta quarta-feira (10), no Teatro Municipal. O projeto visa promover um ambiente de negócios onde todos os agentes da cadeia de vestuário do polo de confecções do agreste pernambucano possam mostrar seus produtos e serviços com criatividade e profissionalismo, através de exposição e showroom. Sempre valorizando a cultura empreendedora e visando o fortalecimento do associativismo através da Câmara Setorial dos Representantes Comerciais de Confecções e da cooperação entre as empresas da cadeia produtiva do setor de confecções.


Na oportunidade, os empresários da confecção já puderam escolher a localização dos seus estandes. Toda apresentação foi feita pelo Consultor Antônio Sérgio. O evento contou com a participação de vários membros da Câmara Setorial, do Presidente da CDL, Valdir Oliveira, Síndico do Moda Center, Janilton Allan e do Secretário de Desenvolvimento Econômico de Santa Cruz do Capibaribe, Bruno Bezerra, ele que também integra a diretoria da CDL, como diretor de Empreendedorismo e Desenvolvimento. 

Lembrando que ainda restam alguns estandes para negociação e os interessados podem entrar em contato com a CDL, pelo telefone (81) 3731-2850. O evento está previsto para acontecer de 27 a 29 de agosto em Santa Cruz do Capibaribe.




BC defende determinação para impedir que inflação permaneça alta

Fonte: Agência Brasil

Determinação e perseverança são necessárias para impedir que a inflação permaneça alta por períodos longos, segundo avaliação do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC). Neste ano, o comitê reconhece que a inflação deve permanecer elevada, mas diz que a perspectiva de convergência para o centro da meta ao final de 2016 tem se fortalecido. A informação consta da ata da última reunião do Copom, divulgada hoje (11).
No último dia 3, o Copom elevou a taxa básica de juros, a Selic, pela sexta vez seguida para 13,75% ao ano. Com o reajuste, a Selic retornou ao patamar de janeiro de 2009.

As elevações da Selic são tentativas do BC de conter a inflação, que deve estourar o teto da meta para o ano. A projeção do próprio BC indica inflação este ano acima da meta, em 7,9%. A meta de inflação tem como centro 4,5% e margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Ou seja, o limite superior é 6,5%.

A taxa básica é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve como referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando reduz os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas alivia o controle sobre a inflação. Embora ajude no controle dos preços, o aumento da taxa Selic prejudica a economia, que atravessa um ano de recessão, com queda na produção e no consumo.

Para o Copom, a inflação está em patamares elevados, principalmente, devido ao processo de ajustes de preços relativos na economia, ou seja, realinhamento de preços domésticos em relação aos internacionais e de administrados em relação aos livres. “O comitê considera ainda que, desde sua última reunião, entre outros fatores, esses ajustes de preços relativos na economia tornaram o balanço de riscos para a inflação desfavorável para este ano”, destacou o comitê.

“Nesse contexto, conforme antecipado em notas anteriores, esses ajustes de preços fazem com que a inflação se eleve no curto prazo e tenda a permanecer elevada em 2015, necessitando determinação e perseverança para impedir sua transmissão para prazos mais longos”, acrescentou. O comitê destacou ainda que pode e deve conter os efeitos dos ajustes de preços. Nesse cenário, o comitê reafirmou que a política monetária deve manter-se vigilante.

REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS RECUA 8,72% NA COMPARAÇÃO ANUAL, MOSTRA SPC BRASIL

Fonte: Ascom SPC Brasil

De acordo com os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o Indicador de Recuperação de Crédito recuou 8,72% em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado - a quarta queda consecutiva. O número mostra que a situação da economia segue refletindo no orçamento dos consumidores e uma das principais consequências é a dificuldade encontrada para quitar as contas em atraso.
No acumulado do ano, ou seja, nos meses de janeiro a maio de 2015, houve uma queda de 4,65% na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, a desaceleração econômica  impacta diretamente a regularização de dívidas: "A situação atual é de inflação elevada, taxas de juros altas, dificuldade em conseguir crédito e aumento de desemprego", diz. "O cenário ainda afeta a renda das famílias e assim dificulta a recuperação de crédito por parte das empresas", explica Kawauti.

Na comparação com abril de 2015, o número de pessoas inadimplentes que regularizaram suas pendências aumentou 2,36%. Para Kawauti, essa variação não representa uma melhora da economia, já que não compensa as consecutivas quedas do início do ano: "O volume de consumidores inadimplentes acumula uma alta de 4,63% de janeiro a maio de 2015, e as dívidas atrasadas entre 91 e 180 dias são as que tiveram um crescimento maior, o que sugere que novos inadimplentes adquiriram dívidas no período de festas do final do ano passado", diz a economista.

"Com tantas incertezas no cenário futuro, agora é hora do consumidor guardar dinheiro para imprevistos e organizar seu orçamento, evitando, assim, contrair novas dívidas e até mesmo ficar inadimplente", conclui.

Moda Center recebe clientes de Cabo Verde

Empresários do setor de confecções cabo-verdiano ficaram encantados 
com a estrutura do centro de compras

Nesta terça-feira (09), o Moda Center Santa Cruz começou a receber os primeiros empresários vindos de Cabo Verde, na África, com o início do voo semanal que interliga Pernambuco àquele país, inaugurado no último dia 05 de junho pela TACV – Cabo Verde Airlines.

O grupo, formado por quatro lojistas do setor de confecções, foi recebido pelo síndico Allan Carneiro, diretores da Associação Empresarial de Santa Cruz do Capibaribe (ASCAP) e da Câmara de Dirigentes de Santa Cruz do Capibaribe, o prefeito Edson Vieira (PSDB), o secretário de Desenvolvimento Econômico do município, Bruno Bezerra, a vereadora Narah Leandro (PSB), além de empresários locais. O representante do Correios Internacional, Rosangelo Xavier também participou da visita.

Acompanhados da gerente de comercio exterior da Agência de Desenvolvimento de Pernambuco (AD Diper), Ivone Malaquias, os empresários assistiram a uma apresentação do Moda Center Santa Cruz e foram conhecer in loco a grandiosidade do empreendimento. A qualidade da confecção comercializada no centro de compras chamou a atenção dos clientes internacionais, que já conheciam parte da confecção brasileira, especialmente da que é comercializada em Fortaleza (CE).

Cabo-verdianos assistem a uma apresentação do Moda Center Santa Cruz
Antonio Cardoso, compra no mercado cearense desde 2001. Ele, que é proprietário de duas lojas, a Boutique Brasil, na Ilha do Sal, disse que ficou impressionado com a receptividade e o apoio que teve no Moda Center.
Antonio Cardoso - Boutique Brasil

“Depois de tantos anos vindo para cá (Brasil), essa foi a primeira vez que fomos recebidos perfeitamente pelos empresários. Foi muito diferente do tratamento que tivemos em Fortaleza, onde fomos recebidos por corretores, que ganham muito em cima de nós – eles ganham uma comissão de 10% do que compramos e ganham até no câmbio. Aqui, foi totalmente diferente. Estou me sentindo muito feliz, estamos em casa e eu tenho certeza de que vamos voltar para comprar”, disse Cardoso.

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Santa Cruz do Capibaribe, Bruno Bezerra, frisou que a parte do poder público estadual e municipal foi feita, e que a partir de agora começa o trabalho de relacionamento comercial por parte dos empreendedores.

Bruno Bezerra - Sec. Mun. de
Desenv. Econômico
“Nesse momento inicia o trabalho de corpo-a-corpo do empresariado – o empresário de lá com o empresário de cá. O poder público vai continuar dando suporte, mas agora fundamentalmente é o trabalho do empresário, do empreendedor, do industrial aqui de Santa Cruz, seja ele do Moda Center ou do Calçadão, para que essa conexão de negócios possa ser duradoura, e eu tenho certeza de que ela vai ser muito boa para as duas partes”, ressaltou.
Allan Carneiro - Moda Center



“O Moda Center já está sendo divulgado na edição de junho/julho da Fragata, a revista de bordo da TACV, como o principal destino para o turismo de compras. Mas nós ainda vamos mais além. Com o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Santa Cruz, vamos fazer uma promoção do Moda Center lá em Cabo Verde para atrair a cada voo mais clientes internacionais para o Polo de Confecções de Pernambuco”, disse Allan.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

Qualipolo oferece 21 opções de cursos para qualificação profissional

O Projeto Qualipolo consiste na qualificação profissional de colaboradores e empresários do Polo de Confecções. O Qualipolo é uma realização da CDL e SENAI e conta com vários parceiros para o desenvolvimento dos cursos. Moda Center, Ascap, SEBRAE, SENAC, FADIRE, CESAC e Unopar estão envolvidos na questão de ajudar na divulgação dos cursos, que são todos voltados para o aperfeiçoamento dos profissionais que atuam nas empresas da região.

As inscrições já começaram e os cursos serão aplicados no CESAC e no SENAI, a partir do dia 20 de julho. Associados ou pessoas ligadas às empresas parceiras pagarão apenas 60 reais e quem não for sócio ou alunos das entidades parceiras pagarão 65 reais.

O Qualipolo, em suas quatro edições anteriores já qualificou 1500 pessoas e a meta para este ano é qualificar mais 500 colaboradores, chegando a marca de 2 mil pessoas.


Os interessados já podem pegar sua ficha de inscrição em uma das empresas parceiras, preencher e efetuar o pagamento, exclusivamente, na CDL. Mais informações, liguem (81) 3731-2850.

Veja o conteúdo e o instrutor de cada curso clicando aqui!