Topo

Topo

terça-feira, 31 de maio de 2016



Brasileiros trabalham 153 dias por ano só para pagar impostos

Fonte: G1 - Portal de Notícias da Globo

O brasileiro trabalha cada vez mais para pagar impostos. Em 1996 eram 100 dias por ano, atualmente são 153 dias só para pagar os tributos. Esse aumento ao longo do tempo fez com que o brasileiro trabalhe mais dias para o governo do que em países como Alemanha, Estados Unidos e México.
Veja o que acontece em outros países:
França: 171 dias
Suécia: 163 dias
Brasil: 153 dias
Alemanha:139 dias
EUA: 98 dias
México: 91 dias
A França e a Suécia têm uma carga tributária maior, mas os serviços públicos deles são muito melhores do que os do Brasil. E se engana quem acha que o imposto de renda é o que dá a maior mordida no dinheiro do brasileiro. A maior parte dos impostos é para o consumo.
De janeiro ao começo de junho, todo o dinheiro ganho foi para pagar impostos. “Nós temos uma das maiores cargas tributárias do mundo, devemos estar entre a 12ª e a 15ª no mundo todo, mas o retorno é muito insatisfatório”, afirma João Eloi Olenike, presidente do IPBT.
Em São Paulo há um painel que mostra, em tempo real, quanto já foi pago para os governos federal, estaduais e municipais neste ano – a conta já está em mais de R$ 800 bilhões.
Atualmente, quase 35% (34,67%) do preço das roupas vão para o governo. A cada 10 rolos de papel higiênico, pelo menos três ficam para os impostos (32,55%). Além disso, 37% (37,3%) do pacote de biscoitos está na mesma e, a cada duas latinhas de refrigerante, quase uma inteirinha é do governo. Na conta de luz, 56% do valor pago é de impostos.

Controle bem o seu estoque

Por: Francisco Honório Pinheiro

Você já se perguntou a importância do estoque para o seu negócio? Quem atua no varejo sabe o valor de uma boa gestão neste departamento. Administrá-lo de maneira eficiente é um grande desafio para muitos varejistas, principalmente em tempos de recessão, que há sempre imprevisibilidade em relação às vendas.

Recentemente, uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgou que 32,1% dos empresários de todo o país avaliaram o nível do estoque acima do adequado, este é o maior resultado desde 2011. O dado é preocupante e prova o entrave político econômico que estamos vivenciando. O temido “produto encalhado” é um problema para toda a economia, já que o varejo demanda menos da indústria, gerando assim a alta no desemprego que acompanhamos.

Mas, o que fazer para minimizar perdas em épocas difíceis? A minha sugestão, caros varejistas, é fazer com que seu estoque seja estratégico e competitivo. Há quase 40 anos lido com o setor supermercadista e, cada vez mais, contar com bons fornecedores, ter um curto tempo de reposição, conhecer bem o cliente e saber o produto que está disponibilizando são essenciais para que não ocorram erros e sobras.

Estamos em um período que, naturalmente, o estoque tende a se manter alto devido ao baixo poder de aquisição do consumidor, por isso é fundamental que tenhamos a consciência na tomada de decisão da compra, mesmo nas datas mais importantes para o comércio como, Natal e Páscoa.

Vejo que muitas pequenas e médias empresas, reconhecendo a importância do controle do estoque, investem em automação, que é sem dúvida uma ferramenta que oferece a possibilidade de se ter um monitoramento completo do fluxo de saída e entrada, entre outros dados fundamentais para o maior sucesso do negócio. E não pense que este não é um investimento apenas para as grandes empresas, há muitas ferramentas disponíveis e de baixo custo.

Finalizamos o primeiro trimestre do ano e este é um bom momento para analisar o atual modelo de negócio da sua empresa. Olhe de dentro para fora e encare seu estoque como um grande aliado na obtenção de lucros e redução de prejuízos. O excesso ou a falta de um determinado produto são pontos críticos que o varejista deve se atentar, já que isto afetará as vendas e outras atividades interligadas. Faça com que o seu estoque esteja o mais perto possível das necessidades de seus consumidores e invista neste conhecimento. Afinal, o nosso grande desafio é ter o produto certo, na hora certa, para o consumidor certo.

* Francisco Honório Pinheiro é presidente da CNDL

segunda-feira, 30 de maio de 2016

CDL Santa Cruz do Capibaribe promove curso de vendas com a Coach Luiza Diniz

Colaboradores e empresários de Santa Cruz do Capibaribe vivenciaram dois dias de muito aprendizado com a Coach Luiza Diniz. Com o tema: “Vendas em Tempos de Crise”, a coach trouxe para o curso técnicas que mostram como os empreendedores devem se preparar para o sucesso, de modo a mostrar como conversar com o emocional do cliente, a fim de fazê-lo comprar cada vez mais e sair satisfeito do processo mercadológico.


No curso, os participantes viram também como fazer uma análise das competências do vendedor e técnicas para desenvolver um pensamento positivo. O curso durou dois dias e foi muito bem recebido pelos participantes que saíram revigorados de conhecimento para atender as demandas do mercado.



Curso de Avaliação de Imóveis e Perícias Judiciais será realizado na CDL Santa Cruz do Capibaribe


Como controlar as finanças de pequenas e médias empresas

Fonte: Portal Pequenas Empresas, Grandes Negócios

Mais do que uma solução de gestão, o ContaAzul se torna um parceiro para ajudar sua empresa a crescer (Foto:  )
Mais do que uma solução de gestão, o ContaAzul
se torna um parceiro para ajudar sua empresa a crescer

Você  já ouviu falar em algum empreendedor que decidiu abrir um negócio porque sempre sonhou em poder cuidar da gestão financeira da empresa? Provavelmente não. A maioria dos negócios começa em pequena escala, com o trabalho de apenas uma ou poucas pessoas e, por vezes, de maneira informal. O momento de priorizar a gestão das finanças costuma chegar depois que a pequena empresa já resolveu algumas questões essenciais, como desenvolver um produto ou serviço que faça sentido para o mercado, e, claro, depois que já começou a conquistar alguns clientes.

A essa altura, surgem os desafios sobre organização, planejamento financeiro, gestão de recursos, emissão de notas fiscais, entre outros. Essas tarefas demandam muito tempo, além de conhecimentos e habilidades que, em geral, são muito diferentes dos necessários para cuidar do negócio principal da empresa.

Contar com um sistema de gestão eficiente é um dos fatores cruciais para garantir o crescimento da empresa. A boa notícia é que existem soluções confiáveis e viáveis financeiramente para pequenas e médias empresas. A principal delas é o sistema de gestão online ContaAzul. Com ele, você controla seu financeiro, suas vendas, seu estoque e emite nota fiscal eletrônica sem complicação e a um preço justo: a partir de R$ 29 por mês.

Neste artigo, listamos 3 razões para sua pequena ou média empresa utilizar um sistema de gerenciamento online como o ContaAzul.

1. Pequenas empresas que querem ser grandes precisam ter uma boa gestão financeira desde o início

Os maiores desafios nos primeiros anos de uma empresa quase sempre estão ligados à baixa disponibilidade de recursos financeiros. Contratar profissionais para cuidar das finanças e da gestão de recursos nem sempre é uma opção possível quando um negócio está começando. Bons profissionais na área custam caro. Ainda mais considerando a burocracia e complexidade típicas do ambiente de negócios no Brasil, que exigem que o profissional responsável por essa área seja experiente e se atualize constantemente. Mas se seu objetivo é crescer, não vai ter como não se organizar para isso desde o início, o quanto antes.

Para ajudar empreendedores a superar esse dilema, o ContaAzul desenvolveu uma solução que cada vez mais pequenas e médias empresas no Brasil estão adotando: um sistema de gestão totalmente online. O ContaAzul integra em um único sistema sua gestão financeira, gestão de vendas, gestão de estoque, e emissão de notas fiscais eletrônicas (NFe).

O ContaAzul é um sistema robusto, sempre atual e totalmente confiável, exatamente como aquele profissional superqualificado que você ainda não poderia contratar por falta de recursos. A diferença é que custa apenas a partir de R$ 29 por mês. Para minimizar ainda mais o risco de optar por essa solução, sua empresa pode testar o sistema gratuitamente por sete dias, antes de decidir contratá-lo.

2. Pequenos e médios empreendedores precisam dispor do máximo de tempo possível ao que realmente importa: a atividade principal do negócio.

O ContaAzul é um sistema de gestão totalmente online. Os dados da empresa podem ser acessados pelos administradores da empresa a partir de qualquer computador com internet. Com um foco muito grande em melhorar constantemente a experiência do usuário, o ContaAzul prima pela simplicidade de suas funcionalidades e ferramentas.

É possível começar a usar o sistema em apenas alguns minutos, sem a necessidade de treinamentos longos e períodos de implementação de software. Mesmo assim, caso tenham qualquer dúvida ou problema, os clientes do ContaAzul têm acesso a suporte gratuitamente, por telefone ou online. Além disso, o sistema é totalmente seguro. Todas as informações sobre a empresa ficam armazenadas em nuvem, protegidas por senha personalizada.

A simplicidade de uso do ContaAzul permite que o empreendedor possa dedicar mais tempo para o que realmente importa: desenvolver e aprimorar seus produtos e serviços e conquistar clientes.

3. Novos empreendimentos crescem mais rápido e com mais segurança quando contam com grandes parceiros


Mais do que uma solução de gestão, o ContaAzul se torna um parceiro para ajudar sua empresa a crescer (Foto:  )Mais do que uma solução de gestão, o ContaAzul se torna um parceiro para ajudar sua empresa a crescer.

Uma boa rede de contatos é indispensável para qualquer empreendedor decidido a se desenvolver cada vez mais, levantar recursos e aprimorar seus conhecimentos sobre seu setor e sobre o mercado. Mais do que uma solução de gerenciamento online, o ContaAzul também se torna um grande parceiro das empresas clientes. Mais de 500.000 pequenas e médias empresas já foram atendidas pelo ContaAzul, o que o torna uma das maiores redes de informações sobre empreendedorismo no Brasil.

Graças ao banco de dados sobre empresas dos mais diversos setores que utilizam o ContaAzul, os clientes contam com informações agregadas do Termômetro ContaAzul, um conjunto de índices, de periodicidade trimestral, que tem como objetivo ampliar a informação disponível sobre o desempenho e os desafios das micro e pequenas empresas brasileiras.

Outras vantagens de ter o ContaAzul como parceiro de negócio são suas integrações com os principais bancos do país, como Banco do Brasil, Caixa, Santander, Sicoob, Banrisul, Itaú, Bradesco e Sicredi. Configurando a conta bancária da empresa no sistema, é possível visualizar e gerar extratos e relatórios automaticamente sobre as movimentações financeiras.

Dica SPC Brasil

Ao promover um funcionário a uma função de gerência, você pode estar trocando um técnico nota 10 por um líder nota 1. E essa falta de experiência do novo gestor pode deixar a equipe desmotivada!
Antes da promoção, avalie se o profissional já está apto ou se ainda precisa passar por uma capacitação para a nova função.

Foto de SPC Brasil.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Dia da Liberdade de Impostos: Campanha da CDL Jovem gera filas em posto de combustível


Os brasileiros terão de trabalhar 154 dias somente para pagar os tributos exigidos pelos governos federal, estadual e municipal este ano. Com o objetivo de chamar atenção para essa data, a CDL Jovem realizou mais uma edição do Dia da Liberdade de Impostos (DLI), no entardecer desta quinta-feira (25). A cada ano, o período que marca o dia em que a população deixa de trabalhar apenas para pagar os impostos é superada. No ano passado, o brasileiro trabalhou até o dia 31 de maio. Agora, de acordo com pesquisa da CDL Jovem Nacional, entra no sexto mês do ano, dia 2 de junho. A Campanha é desenvolvida em nove estados e Em Santa Cruz do Capibaribe, a programação aconteceu em parceria com o Posto Dom Bosco, (antiga Gapel).


A ação mobilizou mais de 200 veículos, entre carros e motos. Ao todo foram abastecidos 2 mil litros de gasolina ao preço de R$ 2.30, valor sem a incidência dos impostos. Segundo o presidente da CDL Jovem, Alan César, a fila começou a ser organizada no finalzinho da tarde. “Nós fazemos essa campanha, não como uma forma de dizer que não queremos pagar impostos, sabemos que a máquina pública sobrevive dos nossos impostos, o problema é que esse imposto não está sendo revertido em políticas públicas em prol do bem comum. Então, nós nos organizamos para tentar conscientizar a população a fim de que a mesma cobre mais pelos seus direitos em detrimento a alta carga tributária que se paga nesse país”, explicou Alan.
 






Mesa Redonda: Ascont reúne empreendedores com histórias de sucesso

Uma boa história é sempre motivo de reunir os amigos para conta-la. Com o objetivo de apresentar o sucesso empreendedor no Polo de Confecções, a Associação Santacruzense de Contabilistas – ASCONT, reuniu na noite desta quarta-feira (25), na Câmara de Vereadores, os empresários Arnaldo Xavier (Rota do Mar), Allan Carneiro (Síndico do Moda Center Santa Cruz), Madellon Leite (Dândi Boutique) e Bruno Bezerra (Secretário de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Meio Ambiente de Santa Cruz do Capibaribe). O motivo: cada um contar sua história de sucesso no empreendedorismo, no formato de mesa redonda.

Com o tema: "Histórias de Sucesso, Vencendo Momentos de Crise", a entidade conseguiu reunir o que há de melhor na forma de contar cases de sucesso. “O evento foi montado neste formato, porque nós queríamos mostrar ao público de nossa cidade que aqui tem boas histórias que precisam ser contadas. São empreendedores que já admiramos, mas que suas histórias são empolgantes, cheias de desafios e o melhor, são gente próximo a gente, pessoas do nosso convívio e que muitas vezes deixamos de apreciar esses relatos de vencedores que merecem todos os aplausos, pois mesmo nas adversidades, conseguiram vencer”, explicou o presidente da ASCONT, Jacks Barros.


O evento contou com um público estimado em 150 pessoas, dentre eles, profissionais da contabilidade e alunos do curso de administração da FACRUZ-CESAC, além dos alunos da Empresa Jr. da FADIRE. A realização do evento contou com apoio da CDL, ASCAP, Moda Center, Câmara de Vereadores, CESAC, FADIRE. Toda renda do evento será revertida para a construção da sede própria da Ascont.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Comunicado Sindilojas


O Sindicato das Empresas do Comércio de Bens de Santa Cruz do Capibaribe – SINDILOJAS, comunica a todos os seus associados e lojistas em geral que o feriado de Corpus Christi, nesta quinta-feira (26), não é feriado para o comércio. Trata-se de um ponto facultativo onde as empresas podem abrir normalmente, sem necessidade de acordos trabalhistas.

CDL Jovem de Santa Cruz do Capibaribe realiza campanha DLI na tarde de hoje


Os munícipes de Santa Cruz do Capibaribe vão poder vivenciar na prática o que seria comprar um produto sem a incidência de impostos sobre o mesmo. É que a CDL Jovem da cidade estará realizando mais uma edição da Campanha do Dia da Liberdade de Impostos – DLI. O evento faz parte do conjunto de ações desenvolvidas pela CDL Jovem Nacional e representa o dia em que o brasileiro deixa de pagar impostos, pois de acordo com os estudos da entidade nacional, os brasileiros passam em média 150 dias pagando impostos.


“A campanha de hoje será desenvolvida, na Avenida Prefeito Brás de Lira, no Posto da Gapel, onde vai ser utilizado a gasolina como produto sem impostos, onde os consumidores poderão ir abastecer livre de todos os impostos, exclusivamente com o preço apenas de custo do produto. Os automóveis poderão abastecer até 12 litros e as motos até cinco litros”, explica o presidente da CDL Jovem, Alan César.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Reunião na Sefaz-PE estabelece canal de diálogo para criação de regime tributário especial no Polo de Confecções

Após a reunião, que terminou no inicio na noite, guias de excursões e representantes do Polo de Confecções avaliaram o encontro como positivo
  
Aconteceu na tarde desta segunda-feira (23), na Secretaria da Fazenda de Pernambuco (Sefaz-PE), uma reunião para tratar da problemática fiscal envolvendo clientes do Polo de Confecções, comerciantes e o órgão estadual.

Participaram do encontro diretores da Associação Empresarial de Santa Cruz do Capibaribe (ASCAP), CDL Santa Cruz, Associação Santa-Cruzense de Contabilistas (ASCONT), Moda Center Santa Cruz, Parque das Feiras de Toritama, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, deputado Diogo Moraes (PSB), prefeito Edson Vieira (PSDB), além de representantes da Associação dos Guias de Turismo Comercial do Norte e Nordeste (AGTURCO-MA/PA).

O grupo foi recebido pelo coordenador da Administração Tributária Estadual, Oscar Victor Vital dos Santos, e pelo diretor de Operações Estratégicas, Anderson de Alencar Freire.

Antes da reunião na Sefaz-PE, grupo se reuniu com o deputado Diogo Moraes (PSB) na Assembleia Legislativa de Pernambuco - Alepe

Um dos assuntos principais da reunião na Sefaz-PE foi a retomada das discussões iniciadas há alguns anos sobre a criação de um regime tributário especial para os pequenos confeccionistas, assim como a instalação do “Expresso Cidadão da Moda” nas feiras do Polo de Confecções, cuja proposta deverá ser apreciada pela Fazenda nos próximos dias.

O “Expresso Cidadão da Moda” seria uma espécie de trailer onde tanto os comerciantes quanto os clientes poderiam usufruir de vários serviços, como a emissão de notas fiscais mediante a criação desse regime tributário especial que começa a ser discutido com mais ênfase por parte da Sefaz-PE e entes ligados à cadeia da confecção no Estado.

Confiança do Consumidor sobe 3,5 pontos em maio, mostra FGV

Fonte: Agência Brasil
dinheiro
O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) avançou 3,5 pontos de abril para maio, ao passar de 64,4 para 67,9 pontos. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV) divulgados hoje (24), pela primeira vez desde dezembro de 2013, o consumidor não está pessimista em relação à evolução da economia nos meses seguintes. O resultado de maio do ICC reverte o resultado negativo de 2,7 pontos de abril para março. Em relação a fevereiro, a queda foi de 1,4 ponto.

“Embora a alta do ICC somente compense a queda dos dois meses anteriores, houve expressiva melhora das expectativas em maio e, pela primeira vez desde dezembro de 2013, o consumidor não está pessimista em relação à evolução da economia nos meses seguintes”, explicou a coordenadora da Sondagem do Consumidor, a economista da FGV Viviane Seda Bittencourt.

Na avaliação da economista, os números foram influenciados pelo processo de afastamento da presidenta Dilma Rousseff. “[O aumento deve-se] ao desfecho da primeira fase do processo de impeachment, que alterou positivamente o humor de uma parcela dos consumidores, talvez em função da percepção de redução das incertezas.”

O resultado do mês tem como destaque a melhora das perspectivas em relação aos meses seguintes, com o Índice de Expectativas (IE), que avançou 5,3 pontos de abril para maio – maior alta desde outubro de 2011, quanto o índice subiu 6,2 pontos. Com a alta, o IE atingiu 71,1 pontos, o maior desde junho de 2015 (73,1). O Índice da Situação Atual (ISA) teve resultado positivo, apesar de menor: 0,8 ponto, atingindo 65,5 pontos.
Segundo a FGV, entre os quesitos que integram o ICC, a maior contribuição para a alta no mês foi dada pelo indicador que mede o otimismo com relação à economia nos meses seguintes, que subiu 14,4 pontos ao passar de 86 para 100,4 pontos, o melhor resultado desde dezembro de 2013 (100,4). A parcela de consumidores projetando melhora avançou de 20% para 29,9%; enquanto a dos que preveem piora recuou de 35,2% para 24,4%.

Momento presente

Em relação ao momento presente, o Índice de Confiança do consumidor mostra alta de 2,7 pontos em maio no indicador que mede o grau de satisfação dos consumidores em relação à situação financeira da família.

Segundo a FGV, o resultado reflete certa acomodação após o indicador ter recuado nos dois meses anteriores e atingido o mínimo histórico em abril, ao descer a 56,9 pontos.

Classe de renda

Foi verificada ainda alta da confiança em todas as classes, com melhora mais expressiva entre os consumidores de maior poder aquisitivo (renda familiar superior a R$ 9,6 mil mensais). Para esses consumidores, o Índice de Confiança do Consumidor chegou a aumentar 9,3 pontos, “com perspectivas mais otimistas em relação à economia, às finanças pessoais e até quanto à intenção de compra de bens duráveis”.

Apesar dos dados positivos, no entanto, o resultado geral da pesquisa mostra “que a confiança do consumidor continua baixa em termos históricos e com tendência indefinida para os próximos meses”.

A edição de maio do Índice de Expectativa do Consumidor de 2016 coletou informações em 2.049 domicílios, entre os dias 2 e 19 de maio.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Dica SPC Brasil

Hoje, mais da metade (51%) dos lares no Brasil já consomem diretamente tinturas capilar porém em 30% deles, não há ninguém que saiba pintar cabelo.
Oferecer esse tipo de serviço em domicílio ou dar desconto em dias menos movimentados em seu salão têm grandes chances de fidelizar esse público e fazer seu faturamento crescer.

Foto de SPC Brasil.

CDL Jovem de Santa Cruz do Capibaribe realizará campanha DLI próxima quarta-feira (25)



Empresas reduzem procura por crédito em abril

Fonte: Agência Brasil

A procura das empresas por crédito caiu 11,6% em abril de 2016 na comparação com março. Em relação a abril do ano passado, a demanda caiu 4,2%. No acumulado do primeiro quadrimestre de 2016, a busca das empresas por crédito recuou 8,1% em relação ao mesmo período de 2015, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Demanda das Empresas por Crédito.

Na análise das empresas de acordo com o porte, a queda da demanda por crédito foi maior entre as micro e pequenas empresas, com 12% de decréscimo. Nas grandes empresas, o recuo foi de 0,8% e nas médias, a demanda por crédito caiu 2%. No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, a procura por crédito nas médias empresas caiu 18% e nas grandes empresas caiu 14,2%. Nas micro e pequenas empresas, a demanda por crédito aumentou 7,6% nesse período.

Todos os setores econômicos pesquisados apresentaram retração na demanda por crédito em abril ante março: indústria (-11,4%); comércio (-10,8%); e serviços (-12,4%). De janeiro a abril a indústria teve a maior queda (-10,1%). No comércio, a retração no primeiro quadrimestre foi de 8,9% e no setor de serviços, de – 6,9%.

Segundo os economistas da Serasa Experian, o aprofundamento da recessão econômica, o grau deprimido da confiança empresarial e as elevadas taxas de juros dos empréstimos são fatores explicam a retração da demanda das empresas por crédito.

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Agência do Sicoob é inaugurada em Santa Cruz do Capibaribe

O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil - Sicoob chega a Santa Cruz do Capibaribe com uma proposta diferenciada para a oferta dos mais variados serviços bancários. A agência foi, oficialmente, inaugurada na tarde desta quinta-feira (19), e funciona no prédio da CDL local. Na oportunidade, vários cooperados, autoridades, como o prefeito do município Edson Vieira e o presidente da Câmara, Afrânio Marques, assim como alguns vereadores da cidade se fizeram presentes, além de associações como CDL, representada pelo presidente Valdir Oliveira e Vice-presidente Fábio Lopes, ACIETAQ, representada pelo presidente Adriano Costa e a executiva Thayse Pereira, ASCONT, pelo presidente Jacks Barros, Moda Center, pelo Síndico Allan Carneiro, e ASCAP, pelo diretor administrativo, Josivan Oliveira, e da Coordenadora da JUCEPE, Michelle Lira e do Secretário de Desenvolvimento Econômico, Agricultura e Meio Ambiente, Bruno Bezerra.


Da diretoria do Sicoob, além do gerente da agência local, Sandro Macedo, Roberto Lima, Maria Aguinalda, João Romildo Lima, ele que é diretor executivo do Sicoob-PE e do presidente geral do conselho executivo do Sicoob e da cooperativa central do Nordeste, Evaldo Campos.


O Sicoob é o maior sistema financeiro cooperativo do país é composto por cooperativas financeiras e empresas de apoio, que em conjunto oferecem aos associados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, aquisição de meios eletrônicos de pagamento, dentre outros. Ou seja, tem todos os produtos e serviços bancários, mas não é banco. É uma cooperativa financeira, onde os clientes são os donos e por isso os resultados financeiros são divididos entre os cooperados.


Confira mais imagens do evento: