Topo

Topo

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Homenagem da CDL à Santa Cruz do Capibaribe pelos seus 63 anos de emancipação política

Todos os anos, quando chega 29 de dezembro, a CDL se prepara com um texto em homenagem a esta terra Santa, acolhedora e de bons ventos para o sucesso de todos que aqui chegam. Este ano, nos 63 anos de Santa Cruz do Capibaribe, a assessoria de comunicação da entidade escolheu um texto do professor Walter Vitti, para homenagear a Capital das Confecções.

Foto: Guaraci Baldi
CAPIBARIBE DOS IMIGRANTES
Terra da cruz que é santa
Do rio que corre pro mar
Teu seio alimenta aqueles
Que sonhando pousam por cá
És acolhedora e não abandonas
Aqueles ávidos a trabalhar
Tens a alma terna
E um abraço protetor
Já me vejo teu filho
A ti todo o meu amor
Lugar como ti não há
Chego e aqui fico
Motivo de partir não há
Sinto-me parte do teu chão
Por ti quero sempre lutar.
W. Vitti

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

CDL estará fechada no feriado de amanhã (29) e no último dia do ano, próximo sábado (31)

A CDL Santa Cruz do Capibaribe comunica a todos os associados e comunidade em geral que a entidade será fechada nesta quinta-feira (29), em decorrência do feriado da Emancipação Política da cidade. Em tempo, a CDL comunica ainda que não terá expediente no próximo sábado (31), último dia do ano. Desde já a CDL deseja a todos um bom feriado!

Empresas devem aderir ao parcelamento especial do Simples Nacional até 31 de janeiro

Fonte: Portal da Lei Geral

As micro e pequenas empresas notificadas pela Receita Federal para serem excluídas do Simples Nacional no dia 31 de dezembro ainda têm chance de regularizar suas pendências até o dia 31 de janeiro e voltar a esse regime tributário em 2017.

A orientação foi dada pelo coordenador-geral substituto de Arrecadação e Cobrança da Receita Federal, Frederico Faber. Pela previsão da Receita, pelo menos 460 mil empresas devem ser excluídas porque não fizeram a opção prévia ou opção definitiva pelo parcelamento especial em 10 anos ou providenciaram outra solução.

“Se foi notificado, ele [o contribuinte] tem duas chances: fazer a adesão até dia 30 de dezembro ou até 31 de janeiro. Agora, se ele deixou para depois de 31 janeiro, ele pode optar pelo parcelamento especial? Pode. E vai resolver os débitos? Vai. Mas não vai conseguir entrar no Simples em 2017”, explicou., afirmou Faber em entrevista ao Portal da Lei Geral.  

Segundo o auditor fiscal, os contribuintes que tentarem fazer a adesão nesta semana deverão ser excluídos porque é exíguo o tempo para o processamento da adesão e do pagamento da primeira parcela. Nesse caso, o auditor recomenda que procurem a unidade mais próxima da 

Receita para fazer a revisão e permanecer no Simples.

Quem deixar de se regularizar até janeiro sairá do Simples Nacional em 2017, passando a contribuir por regimes mais caro, a exemplo do Lucro Real ou Lucro Presumido. Atualmente, há cerca de 5 milhões de micro e pequenas empresas optantes do Simples.

De acordo com o coordenador, contribuintes não notificados também poderão aderir ao parcelamento especial, que permite a renegociação dos débitos tributários apurados até maio de 2016, em até 10 anos, o dobro do parcelamento convencional, nos termos do art. 9º da Lei Complementar nº 155, de 2016.  Foi esse um dos mais importantes avanços contemplados na mais recente revisão da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, sancionada no dia 27 de outubro. após quase dois anos de tramitação no Congresso.

Confira entrevista do auditor Frederico Faber:

Portal da Lei Geral – Das 580 mil empresas notificadas pela Receita Federal em setembro por dívidas de R$ 21,3 bilhões, apenas 124 mil fizeram a opção prévia ao parcelamento em até 120 meses. Quer dizer que 460 mil empresas poderão ser excluídas no dia 31 de dezembro. É isso mesmo?

Frederico Faber – Isso. Elas serão excluídas no dia 31.

PLG –  Há alguma oportunidade de reabertura do prazo de adesão prévia, que terminou no dia 11 de dezembro, para que essas empresas possam voltar a ter uma nova chande de poder aderir ao parcelamento especial?

FF – A adesão prévia foi um paliativo que a gente adotou para essas empresas que foram excluídas.  É um prazo a mais que a gente deu, porque o sistema de adesão definitiva ele entrou no dia 12 de dezembro. Agora, então não tem sentido a gente falar em opção prévia. Esse contribuinte, que foi notificado e não fez a opção prévia, ele vai fazer a opção definitiva. Então ele pode fazer, do dia 12 ao dia 30 de dezembro, a opção definitiva. O que acontece é que o prazo para empresas regularizarem praticamente já se expirou. Se ele optou até semana passada, emitiu todas as autorizações dos débitos, os pagamentos dele, a chance é muito grande de que ele não vai ser excluído, porque deu tempo do sistema ler essa adesão definitiva, deu tempo de entrar o primeiro pagamento. Então,  esses contribuintes que fizeram no início do prazo a adesão definitiva não serão excluídos também. Entretanto, esses contribuintes que fizerem nesta semana, por exemplo, a adesão definitiva, esses aí serão excluídos, porque não há tempo hábil para o pagamento dele entrar. Esses contribuintes podem, na unidade da Receita, solicitar a revisão da exclusão. Ele vai lá e a gente torna sem efeito a exclusão.  Exatamente, ele tem 30 dias para fazer a revisão.
Agora, quem realmente não fizer até o dia 30 essa opção definitiva, aí esse não tem chance mesmo, será excluído no dia 31. E só vai ter oportunidade se fizer a opção novamente em janeiro. Eles renovam o Simples Nacional, mas aí é outra história.

PLG – Quem perdeu o prazo em dezembro poderá ainda fazer a adesão definitiva ao parcelamento especial em janeiro?

FF – Poderá, sim. A opção definitiva vai até março. Mas, para fins de evitar a exclusão, ele tem que fazer este ano ou pedir o reingresso em até o final de janeiro.

PLG – Mas nesse caso, ele pode fazer a revisão da exclusão e pedir novamente a adesão ao parcelamento especial?

FF – A opção do parcelamento especial ele faz uma vez só. Ele tem que ter feito a opção pelo parcelamento especial. Essa adesão definitiva é definitiva ao parcelamento especial do Simples Nacional. Ele já vai ter feito a adesão. Para subsidiar essa revisão, ele vai falar: “Olha, eu já fiz o parcelamento especial do Simples Nacional até o dia 30 de dezembro e, por isso, eu não posso ser excluído, porque cessei os efeitos”. Aí a gente vai proceder a análise, se realmente ele tiver razão, a gente procede a inclusão.

PLG – Se ele não tiver feito adesão definitiva até o dia 30, ele poder fazer parcelamento especial ?

FF – Vai poder. O parcelamento especial está aberto até março. Se ele foi notificado ou não, qualquer contribuinte pode aderir até março. Agora, quem foi notificado tem que ter a preocupação a mais. Porque, se ele não fizer agora em dezembro, ele vai ser excluído em 31 de dezembro.

PLG – Aí ele é excluído. Aí, pode voltar a participar do Simples Nacional, ele tem que ter regularizado suas pendências?

FF – Isso.

PLG – Pra ele regularizar suas pendências…

FF – Ele pode fazer o especial. Se ele não tiver feito ainda a adesão, ele pode fazer, em janeiro, por exemplo. Ele vai poder fazer a adesão ao parcelamento especial de 120 meses até março, não tem problema nenhum. Ele pode fazer adesão em janeiro, aí ele vai regularizar os débitos dele e vai pedir pra entrar no Simples Nacional até 31 de janeiro.
Perfeito. Só que a gente tem que frisar o seguinte: o parcelamento especial do Simples Nacional é débitos até maio de 2016. Se ele tiver débitos da competência de junho em diante, ele tem que regularizar pagando ou fazendo o outro parcelamento, o convencional. Então assim, não é só aderindo o parcelamento especial que eu resolvo o meu problema e volto pro Simples Nacional. Ele tem que resolver as pendências mais recentes também. Ou você paga a parcela ou compensa. Até março, pode aderir. O parcelamento especial vai ficar aberto, não problema nenhum até março ele pode aderir. Agora, dependendo da data que ele aderir, ele pode ter problemas. Se ele [contribuinte] foi notificado, ele tem duas chances:  fazer até dia 30 de dezembro ou até 31 de janeiro. Agora, se ele deixou para depois de 31 janeiro, ele pode optar pelo parcelamento especial? Pode. E vai resolver os débitos? Vai. Mas não vai conseguir entrar no Simples em 2017.

PLG – O que acontece quando sai do Simples Nacional?

FF – O Simples Nacional é um regime unificado e simplificado de arrecadações de tributos federais, estaduais e municipais. Você paga um bolo de tributos num único pagamento, o que você ganhou em um mês, por exemplo, um restaurante, você tira 5%, aí você paga desde de Imposto de Renda, PIS/Cofins, IPI, você paga o ICMS do estado, você paga o ISS do município, todos numa guia única, simplificada. O custo da empresa é bem mais barato e tributário também na grande maioria dos casos. Quando você sai do Simples Nacional, você paga cada tributo por fora, você tem que apurar cada tributo, aumentando seu custo em termos de controle contábil e também até financeiro. Então, para o contribuinte é ruim, você perde eficiência, você fica sujeito a uma tributação maior, então esse é o grande dano, o grande problema.

PLG – Essa dívidas que deixaram de ser pagas, elas serão cobradas quando?

FF – Já estão em cobrança. Ele está impedido de obter certidão negativa, de contratar com a União, os estados e os municípios. Esses débitos já estão sendo cobrados. A exclusão é mais uma ação de cobrança. Muitos desses débitos a gente vai escrever em Dívida Ativa ou já estão inscritos. Aí vai haver cobrança judicial, pode haver uma penhora. São os procedimentos padrão que a gente tem.

PLG – A empresa, quando é excluída do Super Simples, ela tem que fazer opção por outro regime?

FF – Ela entra ou Lucro Presumido ou no Lucro Real, são outros dois regimes de tributações.

PLG – Ela não pode ficar sem regime, ele tem que fazer uma opção obrigatoriamente?

FF – Não, ela não pode. Se  ficar sem regime, pode vir ser autuado novamente. A empresa fica impedida também de distribuir lucros, dividendos porque não pode distribuir lucros, a certidão negativa não tem. A gente vai inscrever no cadastro de inadimplentes. Esse cadastro de inadimplentes impede inclusive a licitação.

PLG – O presidente da Frente Parlamentar das Micro e Pequenas empresas, deputado Jorginho Mello (PR SC), diz que, se não for possível um prazo maior pra aderir ao parcelamento especial, ele calcula que 500 mil empregos serão perdidas. A Receita tem alguma avaliação sobre o que pode acontecer?

FF – Sobre essas empresas que não regularizaram pela adesão prévia, a gente fez um diagnóstico. E são muitas empresas que já não operam. São empresas que os sócios já não operam no mercado há dois anos, três anos, não têm interesse de regularizar mesmo. Enfim, a cobrança tem ser realizada, mas tem essas oportunidades ainda, principalmente no reingresso de 2017, em janeiro, para as empresas voltarem ao Simples Nacional.

Isac Aragão assumirá Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agricultura de Santa Cruz do Capibaribe


A CDL de Santa Cruz do Capibaribe parabeniza o seu presidente do Conselho Consultivo e presidente do Sindilojas, Isac Aragão, pela nomeação a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agricultura do município. O empresário tem uma história ligada ao movimento lojista da cidade, o qual tem contribuído para crescimento de Santa Cruz do Capibaribe. A ele, nós que fazemos a CDL desejamos sucesso absoluto nesse novo desafio a partir do dia 1º de janeiro de 2017.

Em tempo, a CDL felicita ainda o seu diretor jurídico, Marcelo Lima, pela recondução ao cargo de Procurador do município.




terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Circo Irmãos Power realiza espetáculo da solidariedade


Mais de 900 mil têm até dia 29 para sacar abono salarial nas agências bancárias

Fonte: Diário de Pernambuco

O prazo para sacar o abono salarial de 2014 termina no próximo dia 29 de dezembro, quinta-feira. Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), pouco mais de 900 mil pessoas têm direito a receber o dinheiro e ainda não efetuaram o saque. A retirada do benefício pode ser feita nas agências bancárias até o dia 29, mas se o trabalhador tem o cartão cidadão com senha, poderá sacar em um terminal de autoatendimento da Caixa Econômica ou em casas lotéricas até sexta-feira.

O abono salarial ano-base 2014 está disponível para trabalhadores inscritos no Programa de Integração Social (PIS) ou Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) com pelo menos 30 dias de trabalho com carteira assinada naquele ano. O PIS é destinado aos trabalhadores do setor privado e o Pasep, aos do setor público. O trabalhador pode consultar no site do MTE a relação de pessoas com direito ao benefício.

O prazo original de saque do abono expirava no final de junho, mas 1,2 milhão de pessoas ainda não tinha feito o saque. Até 19 de dezembro, o MTE registrou 284,8 mil trabalhadores sacaram o benefício. Ou seja, 76% dos beneficiários que perderam o prazo inicial ainda não efetuaram o saque. São R$ 802 milhões disponíveis, considerando o valor médio de saque individual, de R$ 874,84.

O estado de São Paulo é aquele com mais saques pendentes. Dos 395.188 trabalhadores com direito ao abono, 353.054 ainda não retiraram o dinheiro. No Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais, mais de 60% dos que têm direito ao benefício ainda não sacaram.  “Em um cenário de dificuldades e restrições pelo qual passam as pessoas, esse abono salarial poderá ser alento para muitos chefes de família em todo o País”, disse o coordenador-geral do Seguro-Desemprego, Abono Salarial e Identificação Profissional do Ministério do Trabalho, Márcio Borges.

O Ministério do Trabalho recomenda que os trabalhadores não deixem o saque para o último dia, pois caso haja problemas na operação não haverá tempo hábil para a resolução. 

Segundo o ministério, é comum os atendentes bancários pensarem que se trata do benefício referente a 2015 e, após checar os dados do trabalhador, informar que ele não tem direito ao saque. Nesse caso, a orientação é explicar que se trata do abono salarial do ano-base 2014. Caso ainda assim os dados não sejam localizados, é possível pedir para fazer uma atualização cadastral no próprio banco.

Lojistas da Cabo Otávio Aragão e João Francisco Aragão ornamentam ruas para receber clientes

Lojistas da Rua Cabo Otávio Aragão e da Avenida João Francisco Aragão se uniram em ação para tentar aquecer o comércio nestas festividades de Natal e Ano Novo. Quem passou pelo local identificou uma ornamentação diferente, tudo para chamar a atenção do consumidor.

A ação conta com o apoio da CDL de Santa Cruz do Capibaribe que unificou a ação natalina, onde os clientes que comprarem acima de 30 reais ganham cupons para concorrerem a uma moto 0km. Os clientes que comprarem nas lojas das referidas ruas, além dos cupons para concorrerem as motos, concorrem ainda a vales compra.




segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Comunicado Sindilojas - Feriado 29 de Dezembro

O Sindicato das Empresas do Comércio de Bens e Serviços de Santa Cruz do Capibaribe (Sindilojas) informa a todos os empresários que no dia 29 de dezembro, próxima quinta-feira, é feriado municipal, alusivo a emancipação de Santa Cruz do Capibaribe, aniversário da cidade. O Sindilojas informa ainda que, caso o empresário deseje abrir sua loja deverá fazer o acordo coletivo de trabalho. Basta se dirigir até a sede do sindilojas, que funciona na CDL para solicitar autorização de funcionamento até as 12 horas da quarta-feira (28).

Para funcionar neste dia, o empresário precisa fazer solicitação junto ao SINDILOJAS, fazer o preenchimento do requerimento e pagar a taxa da contribuição sindical. Mais informações: (81) 3731-7162.

Receita Federal simplifica exportações de micro e pequenas empresas

Fonte: Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios

A Receita Federal simplificou as exportações para micro e pequenas empresas. Instrução Normativa publicada nesta terça-feira, 6, permite às empresas optantes do Simples Nacional escolherem um operador para cuidar de todo o processo de exportação, como empresas de transporte expresso habilitadas pela Receita Federal.

Hoje, a facilidade já é permitida para exportações remetidas pelos Correios, que continuam sendo um dos operadores autorizados pelo fisco. Sem o operador autorizado, as empresas têm que cuidar de toda a burocracia para exportar, como cadastros e solicitações de licenças. “O que queremos é que a empresa mantenha o foco em seu ramo de atuação e não na burocracia. É uma grande desburocratização”, afirmou o coordenador-geral de Administração Aduaneira, Ronaldo Feltrin. Ele disse ainda que as exportações via operador autorizado terão ainda prioridade na inspeção aduaneira e desembaraço mais ágil. De acordo com Feltrin, o objetivo do governo é ampliar as exportações das micro e pequenas empresas, que hoje correspondem a 0,8% do total, para cerca de 5%.

CNDL debate novo código comercial

Fonte: Ascom CNDL

O presidente da CNDL, Honório Pinheiro, participou do debate sobre o novo Código Comercial, proposta que estabelece normas para regulamentar direitos e obrigações das empresas. O evento, que foi promovido pelo jornal Correio Braziliense em parceria com a União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS), também contou com a participação do secretário de Comércio e Serviços do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcelo Maia; do diretor da Associação Brasileira de Direito e Economia (ABDE), Bruno Bodart; do especialista em direito tributário Otávio Yazbek e do relator do texto, o deputado federal Paes Landim (PTB-PI).

O Projeto de Lei 1.572, que cria o código, tramita desde 2012 na Câmara dos Deputados e suscita discussões acaloradas. A proposta, que foi debatida em audiências públicas e recebeu diversas contribuições de entidades representativas, tinha votação prevista para este ano, mas, por um pedido do governo, o assunto acabou adiado para o ano que vem.

Honório Pinheiro destacou que o projeto se encontra firmado em três pilares: simplificar a vida das empresas e dos empresários, dar maior segurança jurídica às empresas e adequar a legislação ao nosso tempo, permitindo que o Brasil reconheça os tratos internacionais de comércio e as evoluções tecnológicas do comércio eletrônico. “ Isso permite fortalecer a autorregulação e melhorar o ambiente de negócios no país, sendo que alguns pontos precisam de melhor análise e discussão, como por exemplo, a insegurança jurídica”, afirmou.

“É preciso se debruçar e até reduzir o tamanho da proposta. O projeto tem que ser do mercado, que não está sendo ouvido”, acrescentou o deputado Paes Landim.

O secretário do MDIC, Marcelo Maia, ressaltou que acha importante uma modificação nas atuais legislações.  “Temos que entender as demandas de cada setor, em função da velocidade e do dinamismo da economia”, enfatizou.

Para o representante da ABDE, Bruno Bodart, o PL tem um impacto de grandes proporções na economia e deve ser discutido com cautela.” Como está vai gerar insegurança jurídica e tornar o Brasil menos atrativo ao investidor estrangeiro”.

O especialista em direito comercial, Otávio Yazbek, acrescentou que o Código Comercial não precisa de uma renovação total. Nós precisamos de reforma tributária, da reforma fiscal, previdenciária, trabalhista e nós precisamos de muitas reformas pontuais, que vão liberando o ambiente de negócios aos poucos em várias áreas. Precisamos ajustar a legislação e não de novas regras”, finalizou.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Ascont promove palestra sobre mudanças no ICMS voltado para o setor têxtil



O Polo de Confecções de Pernambuco passará a vivenciar uma nova dinâmica empresarial. É que o governador do Estado, Paulo Câmara sancionou recentemente o Projeto de Lei nº 1071/2016, que simplifica a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) a empresas do setor têxtil em Pernambuco.

Com isso, haverá o recolhimento antecipado de valor relativo ao imposto correspondente à saída subsequente, a exemplo do tecido, fios e outros artigos ligados a produção têxtil. Este fator da tributação diferenciada irá influenciar positivamente no processo de formalização dos micro empreendedores do Polo de Confecções.

Para entender melhor como ficará toda essa sistemática tributária, a Associação Santacruzense de Contabilistas – Ascont, promoveu em parceria com a CDL, na noite desta quinta-feira (23), uma palestra com o professor Benedito Santos, ele que também é Diretor Geral da Secretaria da Fazenda de Pernambuco – SEFAZ. Benedito fez um amplo esclarecimento acerca da mudança da Lei.

Para o presidente da Ascont, Jacks Barros, a palestra foi mais voltada aos contadores, pois os mesmos precisarão entender dessas mudanças, porque são eles quem fazem toda parte operacional. “Houve uma mudança na Lei que sistematiza a tributação de tecidos e confecções que era tributada de uma forma e a partir de agora vai ser tributada de outra. Então, é muito importante para nós, porque a SEFAZ-PE veio até nossa cidade demonstrar aos contadores como é que deve ser feita agora com essa nova sistemática, na parte operacional, assim como também todos os prazos que teremos para se adequar a toda essa sistemática”, explicou.


Em tempo: Para que essa lei tenha sido possível, as entidades de Santa Cruz do Capibaribe a exemplo do Sindilojas, Moda Center, CDL, ASCAP e ASCONT, além da articulação do deputado estadual, Diogo Moraes, tiveram fundamental importância para que esta Lei fosse aprovada e sancionada, beneficiando a todos os confeccionistas e atacadistas do Polo de Confecções.

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

É hoje, na CDL


Juiz de Direito, Dr. Tito é homenageado pela CDL de Santa Cruz do Capibaribe

Com um significativo trabalho prestado à população de Santa Cruz do Capibaribe, o Juiz de Direito, Dr. Tito Lívio, teve esse trabalho reconhecido pela CDL da cidade. A entidade, através do seu presidente, Valdir Oliveira, diretores, Bruno Bezerra, Marcelo Lima, Severino Pedro, Elias Ferreira, Luiz Carlos, Hideraldo Abrantes, além da executiva, Katyane Amaral, estiveram entregando, na manhã desta quinta-feira (22), uma placa de reconhecimento do trabalho prestado pelo Juiz.


De acordo com o presidente, Valdir Oliveira, Dr. Tito sempre foi um parceiro da entidade, desde que chegou em Santa Cruz e, agora que está de mudança, nada mais justo do que receber o reconhecimento da CDL. Dr. Tito, agradeceu pela homenagem e disse que sempre acreditou na seriedade da CDL. “Desde que cheguei aqui e conheci o trabalho da CDL eu já me tornei parceiro. Quantas ações, nós juntos não desenvolvemos, como a exemplo das reuniões do Conselho da Paz? Mas, eu quero destacar aqui a questão da Central de Conciliação, que hoje é referência em agilidade dos processos nesta cidade. Muitos dos casos são resolvidos na Central sem precisar ir para as varas, isso é engrandecedor. Quero dizer que estou indo embora, mas levarei comigo o exemplo de todos da CDL e quando voltar, voltarei como amigo de vocês”, disse Dr. Tito.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Entrevista CDL

Ações que fortalecem o comércio de Santa Cruz do Capibaribe são desenvolvidas, sobretudo, nas datas comemorativas. Este ano, lojistas da Rua Cabo Otávio Aragão e da Avenida João Francisco Aragão se uniram e, em parceria com a CDL, desenvolveram uma ação que, além de participarem da Campanha de Natal da CDL, ainda vão dar até 10 mil reais em vales compras. Uma das organizadoras, a empresária Cíntia Valéria, da Trakids, conversou com o Blog da CDL e falou da campanha e de suas expectativas. Confiram!

Cíntia, você é uma das lojistas que articulou essa ação para a João Francisco e Cabo Otávio. Como foi que surgiu essa ideia?

Cíntia Valéria - Nós fizemos a ação do São João, eu e Fátima, deu muito certo. Fomos convidadas pelo CDL para reunião e na ocasião nos juntamos com a Cabo Otávio e colocamos no papel e em algumas reuniões decidimos a ação e colocamos em prática.

Em outras datas comemorativas, a JF se mobilizou e realizou outras ações. Surtiu efeitos?

Cíntia Valéria - Surtiu muitos efeitos, tanto que ficamos unidos e fortes e ficamos com uma boa imagem junto as redes sociais e os clientes.

Qual a importância de se juntar os empresários de ambas as ruas para esta ação natalina?

Cíntia Valéria - Para nós, o maior intuito é deixar o comércio do Centro forte e competitivo, além de influenciar a compra local no Centro de Santa Cruz do Capibaribe.

Como você observa a expectativa dos lojistas quanto a esta ação?

Cíntia Valéria - A expectativa e muito grande até mais do que o investido, pois é uma campanha longa de mais de 30 dias e muito pulverizada e eles queriam uma campanha muito forte, pontual e mais localizada, só que com pouco investimento. Somos heróis e, com pouco investimento, conseguimos desenvolver uma ação muito linda e elogiada pelos clientes e comunidade santa-cruzense.

Qual o papel da CDL nesta ação da João Francisco e Cabo Otávio?

Cíntia Valéria - A CDL tem um papel muito importante nesse contexto de fortalecimento do comércio local. Nossa parceria está sendo muito boa. É claro que todos sabemos que existem os percalços, mas com a CDL, sempre um apoiando ao outro e de forma organizada, a entidade fez a logística de pagamentos junto aos lojistas para aderir a Campanha. Obrigada CDL, Katiane. Nossa perspectiva é continuarmos essa parceria nos anos subsequentes.

O que o cliente pode esperar comprando nas lojas da João Francisco e Cabo Otávio?

Cíntia Valéria - Bom atendimento, excelentes preços e variedades, além de sorteios de até 10 mil reais em vales compras. Aproveitar para desejar um Feliz Natal a todos em 2017 cheio de paz.



Compre no comércio local e concorra a prêmios e muitos vales compra



Neste Natal, compre no comércio local


Confira as vagas de emprego da Agência do Trabalho de Santa Cruz do Capibaribe

A Agência do Trabalho de Santa Cruz do Capibaribe 12 vagas de emprego para esta quarta-feira (21):

Ocupação
Escolaridade
Experiência
Vagas
Auxiliar de linha de produção
Não pede
6 meses
1
Serralheiro
Não pede
6 meses
1
Costureiro
Não pede
6 meses
4
Enfestador
Não pede
6 meses
1
Modelista
Não pede
6 meses
1
Operador de Máq. bordar
------------
6 meses
1
Propagandista
------------
6 meses
1
Representante Comercial

6 meses
1
Design Gráfico
2º grau completo
6 meses
1


A Agência do Trabalho de Santa Cruz do Capibaribe fica localizada na Rua Capitão Pedrosa, Nº 306, bairro de São Cristóvão. Telefone: 3759-8235.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Colaboradores da CDL se confraternizam em jantar natalino

Troca de presentes em amigo secreto, jantar e boas conversas marcaram a confraternização dos colaboradores da CDL de Santa Cruz do Capibaribe. O evento aconteceu na última sexta-feira (16), na Churrascaria Novilho Grill. Na oportunidade, o presidente da CDL, Valdir Oliveira, falou da importância dos colaboradores cedelistas e desejou que em 2017 os trabalhos aconteçam com a mesma garra que foram desempenhados em 2016. A secretária executiva, Katyane Amaral, aproveitou a oportunidade, falou da satisfação de compor e liderar a equipe de colaboradores e deixou uma lembrança, uma caneca personalizada para cada um da equipe.







Presidente da CDL Santa Cruz do Capibaribe fala sobre Lei referente ao ICMS

O presidente da CDL Santa Cruz do Capibaribe, Valdir Oliveira, fala sobre o encontrou do dia 16 de dezembro de 2016, o qual abordou aconteceu a solenidade de assinatura do Projeto de Lei referente ao ICMS incidente nas operações com fios, tecidos, artigos de armarinho e confecções. O evento foi realizado no Palácio do Campo das Princesas, localizado no Centro do Recife (PE). 

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016


Salário mínimo vai passar de R$ 880 para R$ 945,80 a partir de janeiro

Fonte: Diário de Pernambuco


Em uma votação relâmpago, o Congresso Nacional aprovou ontem, no fim da tarde, o Orçamento da União para o ano que vem. O texto, que vai agora à sanção do presidente Michel Temer, prevê que o salário mínimo passará dos atuais R$ 880 para R$ 945,80 a partir de janeiro. O reajuste cobre estritamente a variação estimada do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para 2016, de 7,5%, sem nenhum aumento real.

A regra em vigor para a correção do piso salarial prevê que o valor seja corrigido pelo INPC do ano anterior, acrescido da taxa de crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) apurada pelo IBGE de dois anos antes. Como em 2015, o PIB caiu 3,8%,  não houve alta além da inflação. A votação ocorreu de forma rápida porque houve acordo entre governo e oposição. O projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) prevê que a União poderá terminar o próximo ano com deficit primário (sem contar despesas com juros) de R$ 139 bilhões, em conformidade com a meta que havia sido anunciada pelo governo em julho passado.

O texto já obedeceu às novas regras fixadas pela emenda constitucional que limita os gastos públicos à variação da inflação pelos próximos 20 anos, promulgada na manhã de ontem pelo Congresso. A exceção fica por conta das áreas da saúde e de educação, que só entrarão na regra a partir de 2018. Para 2017, a despesa total da União foi fixada em R$ 3,5 bilhões. No caso da saúde, o texto amplia os recursos em aproximadamente R$ 10 bilhões, para um total de R$ 115,3 bilhões.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Receita libera pagamento do último lote de restituições do Imposto de Renda

Fonte: Agência Brasil

A Receita Federal libera hoje (15) o crédito bancário do sétimo e último lote regular de restituição do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física de 2016. Restituições dos exercícios de 2008 a 2015 de declarações que deixaram a malha fina estão também no banco. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte terá que acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone, no número 146. O Fisco disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones que facilita a consulta às declarações e à situação cadastral no CPF.

Os contribuintes que não foram relacionados terão que aguardar a liberação de lotes residuais no próximo ano. Para evitar ficar em malha, o contribuinte deve consultar a página da Receita, serviço e-CAC , a fim de verificar o extrato da declaração. No endereço é possível saber se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita Federal libera anualmente sete lotes regulares de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física a partir de junho. O último lote é sempre programado para dezembro. Os valores são corrigidos  pela taxa básica de juros (Selic).

Malha Fina

A Receita Federal informou que 771.801 declarações do Imposto de Renda permaneceram retidas na malha fina. O número corresponde a 2,61% do total de 29.542.894 declarações Pessoa Física apresentadas neste ano. Dessas declarações 75% apresenta imposto a restituir, 22% tem imposto a pagar e 3% não apresenta imposto a restituir ou a pagar.

As principais razões pelas quais as declarações foram retidas são omissão de rendimentos do titular ou seus dependentes (409.054) , divergências entre o imposto informado na declaração e o informado pela fonte (293.284), dedução indevida de previdência oficial ou privada, dependentes, pensão alimentícia e outras (277.848), além de despesas médicas que não correspondem (162.078).

A CDL de Santa Cruz do Capibaribe, através da sua Câmara Setorial de Arquitetos e Engenheiros da Construção Civil, parabeniza a todos os arquitetos pelo seu dia!


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Guarda Municipal reforça segurança no Centro Comercial de Santa Cruz do Capibaribe

Os comerciantes de Santa Cruz do Capibaribe estão vivenciando mais uma vez a experiência da segurança no centro comercial da cidade. A pedido da Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, a Guarda Civil Municipal iniciou um trabalho de reforço na segurança no Centro da cidade, a fim de promover mais tranquilidade aos clientes e lojistas nesse movimento no comércio no período de Natal e Fim de Ano.





terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Confira o calendário das feiras no Moda Center Santa Cruz para este mês de dezembro


CDL parabeniza seus sócios aniversariantes do mês de Dezembro


57% dos consumidores vão participar de amigo secreto neste fim de ano, aponta SPC Brasil

Fonte: Ascom SPC Brasil

Tradicional brincadeira do mês de dezembro, o ‘amigo secreto’ (ou amigo oculto, dependendo da região do país) fará parte das comemorações neste fim de ano da maior parte dos brasileiros. De acordo com um levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) 57,2% dos consumidores pretendem participar desse tipo de confraternização. Dois em cada dez (20,4%) consumidores disseram que irão entrar no jogo para gastar menos. Outros 28,5% o fazem por gostarem da brincadeira, ao passo que, 9,6% sempre participam para não serem vistos como antissociais.

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o amigo-secreto é uma opção cada vez mais usada para driblar os efeitos da crise sem abrir mão do ato de presentear. “É uma confraternização coletiva que resolve a obrigação de comprar presentes para várias pessoas, já que cada um se encarrega de presentear apenas um participante e, no fim, ninguém fica sem presente. Neste tipo de brincadeira, todos presenteiam e saem presentados e é bastante comum estabelecer um limite para o valor a ser gasto”, destaca a economista. Considerando os 42,8% de consumidores que não vão participar de amigo secreto neste fim de ano, a principal justificativa é o receio de ganharem presentes indesejados ou ruins (22,5%), seguido da falta de dinheiro (20,3%).

Gasto médio por presente é de R$ 55

Na média, cada consumidor participará de um ou dois amigos secretos no final do ano. Os mais citados são da família (61,1%) e grupos de convivência, como amigos (43,8%) e colegas de trabalho (29,3%). Neste ano, o gasto médio deve ficar em R$ 55,18, o que representa uma queda de 0,5% na comparação com 2015 (R$51,10), já descontando a inflação acumulada no período. “A estratégia de estipular uma quantia acessível a ser gasta pelos participantes faz com que o
foco esteja na criatividade e no desejo de agradar o presenteado, e não necessariamente no valor financeiro”, explica a economista Marcela Kawauti.

Para o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli, o amigo secreto é um meio de facilitar a troca de presentes, mas as pessoas não devem se sentir constrangidas em não participar, caso estejam em situação financeira desconfortável. “O amigo secreto é uma brincadeira acessível a diversos perfis financeiros. Ainda assim, nem todos podem fazer parte. Se a pessoa estiver com o orçamento apertado ou endividada, a prioridade deve ser quitar as contas e manter as despesas em dia, pois mesmo a compra de um item mais barato poderá fazer falta. O importante é compreender que o Natal e o ano novo são ocasiões para estar na companhia de amigos e familiares e expressar afeto. Se as finanças estão desorganizadas, a compra de um presente não deve ser algo obrigatório”, oriente Vignoli.