Topo

Topo

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Confiança da indústria sobe 1,2 ponto, segundo prévia de julho da FGV

Fonte: Agência Brasil

O Índice de Confiança da Indústria teve um crescimento de 1,2 ponto na prévia de julho, na comparação com o resultado consolidado de junho. Assim, o indicador medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV) chegou a 90,7 pontos em uma escala de zero a 200 pontos. Segundo a FGV, mesmo se o resultado da prévia for confirmado no dado consolidado do mês não será o suficiente para recuperar a perda do mês anterior (-2,8 pontos).

A confiança em relação ao momento presente, medido pelo Índice da Situação Atual, subiu 1,4 ponto e chegou a 88,4 pontos. Já o otimismo, avaliado pelo Índice de Expectativas, teve uma alta de 1,2 ponto e atingiu 93,3 pontos.

O resultado preliminar de julho indica que o Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria avançou 0,7 ponto percentual e chegou a 74,9%. Para a prévia de julho de 2017, foram consultadas 788 empresas entre os dias 3 e 18 deste mês. O resultado final da pesquisa será divulgado na próxima quinta-feira, dia 27.

Ainda há tempo para você participar da 25ª Convenção do Comércio Lojista de Pernambuco


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Opinião

Por Bruno Bezerra

Tudo precisa ter um limite… Calamidade pública, essa é a real situação da segurança pública em Pernambuco. É fato, não é politicagem mesquinha e improdutiva não, é calamidade pública mesmo. Calamidade que em Santa Cruz do Capibaribe ganha um desespero extra com a liderança dessa lista nefasta.
Será que foi pra isso que trabalhamos duro durante décadas e fizemos acontecer o polo de confecções e empreendedorismo do agreste pernambucano? Será que precisamos pagar esse preço por puxarmos o desenvolvimento de uma região no que diz respeito à geração de emprego, renda e oportunidades para empreender? E tudo isso numa das regiões mais pobres e menos favorecidas de recursos hídricos do país.
Mesmo em meio a uma das mais severas secas de todos os tempos e de uma das maiores crises econômicas da história do Brasil, a arrecadação de ICMS em Santa Cruz do Capibaribe cresceu de maneira expressiva nos seis primeiros meses de 2017.
Já passou da hora de algo ser feito para mudar essa perigosa realidade que compromete nosso futuro. Temos autoridade cívica e, sobretudo, autoridade enquanto cidade-mãe do maior polo de confecções do Norte/Nordeste para cobrar providências do Governo de Pernambuco.
Qual cidade queremos no futuro? Como estaremos daqui a 10 anos? Como estaremos em 2030? Em 2040?
O futuro não acontece a esmo, o futuro é consequência de tudo que estamos fazendo e, principalmente, de tudo que estamos deixando de fazer no presente. Atitudes, ações e omissões constroem futuros.
*Bruno Bezerra é Diretor de Desenvolvimento e Empreendedorismo da CDL Santa Cruz do Capibaribe-PE.

Os ingressos para a palestra de Rossandro Klinjey já estão a venda. A procura está bem intensa. Se você ainda não comprou, corra, pois as vagas são limitadas. Compre seu ingresso na CDL. Informações: 3731-2850


terça-feira, 18 de julho de 2017

CDL promove curso de visual mershandising


Sucessão Empresarial na Micro e Pequena Empresa

Por Cleto Paixão, analista do Sebrae em Pernambuco

Há algum tempo você teve uma ideia: vou montar meu próprio negócio! Pensou, relutou, mas decidiu transformar essa ideia em realidade e, assim, nasceu sua empresa.

Encontrou dificuldades como recursos escassos, lidar com clientes, fornecedores e empregados. Estes obstáculos iniciais o fizeram se capacitar, buscar instituições que lhe proporcionasse melhores condições de gestão e conhecimento, fazendo você viver situações que estavam, até então, longe do seu dia a dia.

Durante os anos que se passaram você consolidou seu nome, o nome de sua empresa e de seus produtos. Mas, e agora? O que vai acontecer com minha empresa?  Como posso passar meu legado adiante? Quem vai assumir a empresa, dando continuidade e melhorando-a ainda mais? Como deve ser feita essa sucessão? Como devo passar o bastão ao próximo comandante da empresa? De onde ele virá?

Estas perguntas só são lembradas pelos empresários de micro e pequenas empresas quando ele já está próximo da sua aposentadoria, mas deveria vir o quanto antes visando proporcionar a possibilidade de transição do legado com o menor esforço e conflitos possíveis.

Mas o que é sucessão?

Sucessão é a passagem do poder entre a atual geração de dirigentes e a que está chegando, proporcionando, desta forma, a perpetuação da empresa e o seu legado.

A sucessão empresarial pode ser dividida em dois grupos: sucessão corporativa e sucessão familiar. A sucessão corporativa acontece quando a empresa busca, entre seus colaboradores, sucessor para os dirigentes que estejam saindo. Já para a sucessão familiar, um ente familiar é selecionado para sucessão. 

Questões Legais

Antes de entrarmos no nosso assunto é importante salientar que a sucessão deve estar prevista no contrato social da empresa, principalmente quando é uma empresa em sociedade, e mesmo quando essa sociedade for familiar.

Este procedimento oferece segurança e legitimidade ao sucessor.

Empresas familiares
Alguns dados interessantes: segundo pesquisa do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE, até setembro de 2015, 57% das micro e pequenas empresas, em média, possuem parentes entre seus sócios e/ou empregados/colaboradores (com ou sem carteira assinada), sendo que no Nordeste esse percentual chega a 52%. Desta forma, a possibilidade do sucessor ser da família é muito grande.

Com esses percentuais, a entrega da sua empresa para alguém de sua família, que manterá acessa a chama do negócio, é muito grande.

Pensando nisso, é importante que o empresário busque o quanto antes estratégias para transição sucessória, dando continuidade a empresas com elementos de sua família. Essa sucessão deve ser trabalhada com um tempo de maturação, lembrando que o empresário sucedido também deve ser preparado a passar o bastão.

Abaixo, seguem 8 dicas que todo empresário de micro e pequena empresa deve pensar para uma sucessão sem traumas:

1. Planeje a Sucessão

Mesmo com a certeza de uma sucessão futura, nem todos os empresários, principalmente de micro e pequena empresa, consideram preparar a empresa, o sucessor e ele próprio para esse momento. Em muitos casos, consideram algo tão distante que deixam esse fato em segundo plano e, quando menos esperam, estão às portas da sucessão, e ai, as chances de insucesso são muito grandes.

2. Identificando o sucessor

Dentre os seus familiares sempre há um ou mais que demonstra interesse maior pela empresa, busca informações e soluções. Esse pode ser um forte candidato. Sendo assim, traga-o para a empresa, para que logo cedo ele entenda o legado que você irá deixar

3. Prepare o sucessor para a empresa

Não prepare uma empresa para ser sucedida. Prepare um sucessor para sua empresa. Essa frase é interessante, principalmente, quando se trata de micro empresa familiar. Nós, latinos, temos a cultura de preparar uma boa vida para nossos filhos e ai, esquecemos que é ele quem deve estar preparado para a vida.

Com esta visão, fazemos de tudo para que a vida de nossos filhos seja a mais confortável possível, e esquecemos que o nosso sucesso veio dos intemperes por nós sofridos.

Desta forma, o sucedido deve preparar o sucessor e não a empresa.

4. Faça-o(a) compreender a empresa

Faça com que o escolhido se misture com os funcionários, entenda o processo e a sistemática da empresa. Faça-o passar pelos setores para que ele entenda  quais as contas a pagar, contas a receber, fluxo de caixa e estoque.

5. Capacitação/atualização

Invista em conhecimento teórico, faculdade, cursos de aperfeiçoamento em instituições especializadas, mas sem deixar de lado o conhecimento prático que ele deve adquirir no dia a dia de sua empresa. A soma desses dois processos trará inovação ao negócio

6. Participação em tomadas de decisões

Faça-o participar de negociações, compras e decisões importantes. Ouça-o e busque sincronizar os pensamentos dele ao modelo de gestão da empresa. Esse procedimento enriquece a tomada de decisão, assim como fortalece o sucessor.

7. Desapego ao Poder

O empresário que está passando o bastão deve buscar se desapegar do comando, de forma gradual, porque umas das maiores dificuldades do empresário, principalmente de MPE, é se desprender daquilo que levou muito tempo de sua vida para construir, mesmo sabendo que é necessário.

8. Mitigação de Conflitos Familiares

Um dos aspectos a serem observados é a possibilidade de uma disputa interna familiar sobre o controle da empresa, por isso a antecipação pode mitigar muitos desses problemas uma vez que a definição do sucessor se dá com os demais herdeiros em comum acordo, assim como os demais sócios se houver.

 Conclusão

Segundo pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2015, o Brasil possui aproximadamente 52 milhões de brasileiros abrindo seus próprios empreendimentos ou conduzindo negócios já instalados. E a preocupação principal desses empreendedores está na relação entre abertura, oportunidades para crescimento e maturidade das empresas.

Por isso, é bom ressaltar que a falta de sucessor é um dos fatores de mortalidade das Micro e Pequenas Empresas no país. Precisamos quebrar paradigmas quanto a transferência da titularidade da empresa para a nova geração. A sucessão na empresa proporciona também uma forma de inovação, que associada aos objetivos do seu criador, contribui, sobre maneira, ao sucesso de uma marca, proporcionando êxitos futuros e expansão do negócio, transformando-o quem sabe em média ou grande empresa.

Inscrições abertas para o MBA em Gestão Industrial


segunda-feira, 17 de julho de 2017

Receita começa a pagar hoje o 2º lote de restituição do Imposto de Renda

Fonte: Agência Brasil

Receita Federal começa a pagar hoje (17) o segundo lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas 2017. Este lote também incluirá restituições residuais de 2008 a 2016, segundo informou o órgão. Cerca de 1,3 milhão de contribuintes que declararam Imposto de Renda neste ano vão receber dinheiro do Fisco.

Ao todo, serão desembolsados R$ 2,533 bilhões. A Receita também pagará R$ 467,2 milhões a 148,2 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2016, mas estavam na malha fina. Considerando os lotes residuais e o pagamento de 2016, o total gasto com as restituições chegará a R$ 3 bilhões.

As restituições terão correção de 2,74%, para o lote de 2016, a 97,03% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Os dois últimos lotes regulares serão liberados em novembro e dezembro. Se estiverem fora desses lotes, os contribuintes devem procurar a Receita Federal porque os nomes podem estar na malha fina por erros ou omissões na declaração.

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser feita por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC , no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet. Para quem não sabe usar os serviços no e-CAC, a Receita produziu um vídeo com instruções.

sábado, 15 de julho de 2017

Presidente da CDL participa de lançamento do Estilo Moda Pernambuco

O Estilo Moda Pernambuco (EMP), promovido pelo Moda Center Santa Cruz, é um evento que evidencia a cultura econômica de Santa Cruz do Capibaribe, de modo que venha a fortalecer o comércio da cidade e região. O lançamento da segunda edição do EMP aconteceu na última quinta-feira (13), onde empresários, apoiadores e entidades prestigiaram o evento em um jantar, no Cellebre Recepções. Dentre as entidades participantes e que apóiam o evento, a CDL de Santa Cruz do Capibaribe se destaca, sobretudo, pelo seu engajamento para o fortalecimento do comércio local.

O presidente da CDL, Valdir Oliveira, esteve presente e demonstrou sua satisfação em poder contribuir com um evento do porte do EMP. O mesmo, através da CDL, estará junto ao Moda Center Santa Cruz, para fortalecer ainda mais a cultura empreendedora da cidade e região.

Desfiles, shows e palestras estarão no rol de atividades no EMP, que além de ser um evento que evidencia o empreendedorismo, comemora o aniversário do Moda Center Santa Cruz. Para o síndico do Moda Center, Alan Carneiro, o EMP demonstra a grandiosidade do Moda Center, mesmo em meio a crise. O síndico apresentou como será a dinâmica do evento e ressaltou as metas do EMP para o fortalecimento do Polo de Confecções de Pernambuco.


sexta-feira, 14 de julho de 2017

Tratamento e reuso de efluentes no setor têxtil é tema de palestra para empresários que vão expor no 3º Moda e Negócios

O desenvolvimento sustentável é um dos temas mais presentes em todas as atividades econômicas. Não poderia ser diferente para o setor têxtil. Afinal, o desenvolvimento sustentável precisa ser capaz de suprir as necessidades da empresa sem comprometer as futuras gerações. Ou seja, o que se usa hoje não pode ser usado em demasia a ponto de esgotar os recursos para o futuro.

Foi com essa pegada que o Consultor Técnico Ambiental, Pablo Ricardo, palestrou para os empresários do setor de confecções de Santa Cruz do Capibaribe e região. O encontro aconteceu na noite desta quarta-feira (13), no auditório da CDL da cidade. O intuito é conscientizar os empresários do segmento para tratamento e reuso de efluentes no setor têxtil, por sinal, tema da palestra de Pablo.


O público, basicamente empresários que vão expor na 3ª Edição do Moda e Negócios, demonstrando, assim, a preocupação da CDL e da Câmara Setorial dos Representantes em promover o conhecimento acerca do Desenvolvimento Sustentável.




quinta-feira, 13 de julho de 2017

Aprenda como atrair o cliente para a sua boutique


Empresário santa-cruzense está mais cauteloso na concessão de crédito

Os dados do SPC Brasil revelam que os lojistas de Santa Cruz do Capibaribe estão mais cautelosos na hora da concessão de crédito. Em análise aos dados de consultas do mês de junho, a CDL da cidade constata um elevado percentual em 85%, em consultas em junho de 2017 em relação a junho de 2016.

Os dados analisados revelam que houve um aumento de clientes na cidade, no entanto, esses dados não podem ser revertidos em vendas, pois a consulta em si não revela a efetivação da venda. No entanto, é possível vislumbrar um cuidado maior, por parte do empresário, quando o assunto é vender a prazo ou no cheque.


Para o presidente da CDL, Valdir Oliveira, a concessão de crédito é um assunto que tem sido bastante discutido entre os empresários da cidade, sobretudo, pelo aumento da inadimplência. “Com o avanço da crise os cuidados devem ser redobrados e o SPC é uma ferramenta poderosa quando a questão é a concessão de crédito. Isso, nós temos observado o aumento de consultas por parte do empresariado, pois esse cuidado ajuda a reduzir a inadimplência e, por consequência, o nosso comércio tende a se desenvolver melhor”, explicou.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Fortalecendo o Polo de Confecções

Organizadores da 3ª Edição do Moda e Negócios esperam vender R$ 15 milhões nos três dias do evento



O Moda e Negócios é um evento planejado e desenvolvido pela CDL de Santa Cruz do Capibaribe, através da sua Câmara Setorial dos Representantes Comerciais da Confecção.  Em sua 3ª Edição, o Moda e Negócios vai acontecer entre os dias 26 e 28 de julho, na quadra do Rota do Mar Club. Ao todo serão 120 expositores com marcas produzidas no Polo de Confecções de Pernambuco, nos segmentos de moda praia, jeans wear, moda infantil, streetwear, fitness e moda masculina e feminina.

Estão sendo esperados 200 compradores de todo Brasil. “Estes compradores, além de serem clientes dos representantes comerciais, eles passam por uma minuciosa análise de crédito, feita pela CDL, pois o nosso intuito é movimentar e aquecer a economia da nossa cidade e da região e esse aquecimento precisa ser de forma positiva, no sentido de possibilitar uma venda segura para os expositores do evento”, destaca o presidente da CDL, Valdir Oliveira.


A expectativa da organização do evento é uma movimentação de R$ 15 milhões em vendas. A 3ª Edição do Moda e Negócios vem se consolidando na região, pois não é apenas mais uma Rodada de Negócios, mas um evento que visa formar uma rede de contatos entre fornecedores e compradores que geram vendas futuras, a partir desse contato iniciado no evento. O Moda e Negócios conta com apoio do Banco do Nordeste, ADDiper, SEBRAE e Prefeitura Municipal.


terça-feira, 11 de julho de 2017

Rota do Mar promove Semana Maluca, com descontos de até 70%

Entre 22 e 30 de julho, a Rota do Mar, maior indústria de confecções de Pernambuco, realiza a terceira edição da Semana Maluca. São descontos que variam de 10% a até 70% para atacado e varejo nas peças masculinas e femininas de todas as linhas da marca (surf, street e sportwear, proteção solar e acessórios), incluindo as da última coleção de Inverno.
As ofertas acontecem na Megaloja, localizada em Santa Cruz do Capibaribe, e nas demais lojas que integram o Rota do Mar Complex: AB&C Moda Infantil, Medida Certa, Toda Bela e Camboriu.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

“A geração mimimi está criticando demais sem propor novas soluções”



LÚCIA COSTA, DIRETORA EXECUTIVA
DA STATO, DEFINE OS JOVENS ENTRE 23 E 30
ANOS COMO A GERAÇÃO MIMIMI(FOTO: DIVULGAÇÃO)
Os s jovens nascidos nas décadas de 80 e 90 são conhecidos como geração Y ou millennials. Alguns, no entanto, são um pouco mais polêmicos ao defini-los. Lúcia Costa, diretora executiva da Stato, consultoria de RH, refere-se a eles como geração mimimi. Para ela, o mimimi se justifica principalmente pelas constantes reclamações, falta de protagonismo e de responsabilidade desses jovens.

Nesta entrevista, ela explica porque acredita que essa geração, de jovens entre 23 e 30 anos, não está preparada para os desafios do mercado de trabalho e faz um alerta: “a reclamação em excesso gera falta de compromisso e até uma baixa no resultado. Ocupa espaço do pensamento construtivo, da solução. É preciso entender que a motivação vem de dentro de cada um e não é necessariamente o mundo que vai trazê-la”.

Você classifica a geração Y e dos millennials como geração mimimi. O que teria levado os jovens desse grupo a ter esse tipo de comportamento?
Primeiro, acho importante destacar que não é todo mundo dessa geração que é assim. Talvez essa geração, ou parte dela, tenha vindo para o mercado com um nível de exigência muito alto. Talvez porque depois de seus pais terem enfrentado muita dificuldade, essa geração conseguiu mais facilmente muitas coisas. Ela tem várias oportunidades, pode escolher fazer o que quer e ter uma vida mais equilibrada. É uma geração que tinha muitas possibilidades até se deparar com sua primeira crise.

Como você acha que essa geração deveria agir neste momento?
As pessoas que estão nesse caminho da reclamação deveriam ter em mente o seguinte: para progredir na carreira, é preciso buscar a solução mais dentro de você do que fora. Ter mais flexibilidade, aceitar o mundo como ele é, ter resiliência e protagonismo, assumir aquilo que é sua responsabilidade. Você deve deixar de culpar a empresa, o chefe, o outro, o cenário ou a falta de tempo e recursos. É hora de o profissional se apropriar de sua capacidade para poder realizar alguma coisa. Estamos vivendo um momento difícil no mercado de trabalho. As empresas estão operando com menos recursos. Todo mundo provavelmente está sobrecarregado. Quem se dedicar mais e se sobressair nesse cenário vai se dar melhor e crescer. O mercado está pedindo mais por menos e tenho certeza que se os jovens deixarem de focar naquilo que eles não têm em recursos, mas sim usar suas energias para trazer soluções, inovar e ajudar as empresas e os colegas a passarem por essa crise, eles serão protagonistas dessa história.

Atualmente, existe a percepção de que eles não estão ajudando?
Existe, sim, nas empresas e nos RHs a percepção de que a geração mimimi não está ajudando. São jovens que têm potencial, boa formação, têm tudo para dar certo, para ajudar a empresa, a área, mas em vez disso ficam focados no que não têm, no que não está dando certo.

O que as empresas esperam desses jovens?
A mudança de pensamento e atitude já é um grande começo, mas também esperam a mesma coisa que esperam das gerações anteriores: um pensamento fora da caixa, cooperação, entender o momento pelo qual todo mundo está passando e ajudar a empresa a passar por esse momento. É preciso arregaçar as mangas. As companhias querem a energia e a inovação que o jovem bem formado normalmente traz, mas que venha com o pé no chão e não com reclamações sem resolver o problema.

Então falta essa geração arregaçar a manga?
Exatamente isso. Ninguém quer ser executor, mas sim aquele que lidera, toma a decisão. Mas para fazer isso você precisa da experiência da execução. Não dá para pular etapas. Principalmente quando está faltando quem faça.

Mas também não está faltando diálogo entre as outras gerações e esses jovens?
Talvez a geração anterior tenha preparado essa para um momento mais sofisticado de trabalho, que é o que vinha acontecendo dos últimos 10 anos para cá. Mas, com a crise, algumas atividades mais elaboradas do mercado voltaram para o básico. As empresas precisam de quem faça e resolva, trazendo ideias novas, mas as executando também. Houve uma perda de sintonia entre o que estava para acontecer e o que de fato chegou a acontecer, gerando um certo retrocesso.

Como os jovens podem ajudar as companhias?
Eles precisam pegar o que trazem de novo e adicionar uma atitude mais positiva. Não só criticar. A crítica é boa quando se constrói algo a partir dela. A geração mimimi talvez esteja criticando demais sem propor novas soluções. A crítica pela crítica em um momento árido de mercado não vai resolver o problema. O profissional tem que se sentir dono da sua própria história. Se não há recursos, ele que tem que achá-los ou fazer acontecer sem.

Mas às vezes a própria empresa não incentiva uma atitude diferente ...
Sim, muitas empresas ainda operam em um modelo mais burocrático e não dão abertura aos jovens para eles exporem as suas ideias. Há reuniões muito engessadas e processos muito rígidos. Algumas companhias precisam se adaptar e ouvir mais. Porém, existem empresas que são geridas por profissionais mais sênior, mas que têm uma cultura mais aberta. Os jovens devem olhar para essas oportunidades.

Faça seu certificado digital na CDL


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Moda na Fenearte: saiba como vão ser os desfiles desta edição

Fonte: FolhaPE

Um incêndio na Comunidade Santa Luzia, na Torre, atingiu a casa de vários moradores, inclusive a de Luciene Soares, que perdeu tudo. Mas conseguiu salvar o que para ela tinha mais valor: seus croquis de moda. 
Através da mídia, muita gente soube que o sonho de Luciene era ser estilista e desfilar suas criações na 18ª Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte). Em parceria com a Faculdade Boa Viagem, Luciene virou a estilista Lukka, e não apenas mostrará sua coleção dentro da programação da Passarela Fenearte, no dia 11 de julho, às 19h, como também vai expor 100 croquis de sua autoria.

Coordenado pela estilista Andréa Tom, o evento terá 16 desfiles entre 8 e 15 de julho, com a participação de todos os cursos de moda de Pernambuco, além de um da Paraíba. A Faculdade de Desenvolvimento e Integração Regional (Fadire) fez um trabalho de upcycling juntando recortes de tecidos da Sulanca em peças de shape contemporâneo e cores vivas.
Do palco para a passarela, Lia de Itamaracá virou inspiração para a coleção "Odoyá, Lia, nossa Rainha", da Faculdade Senac, que focou no entrelaçado das peças e na mistura do azul-mar com bege-terroso. 
Integram a programação também projetos sociais como a Secretaria da Mulher e o Ária Social. Este último exibirá peças da marca Conceito Marina, com interferências de trabalhos manuais realizados pelas mães das alunas do espaço comandado por Cecília Brennand. 
Já a Secretaria da Mulher fez parceria com diversos municípios a partir de cooperativas, como a de Jurema (crochê), Lagoa do Carro (tapeçaria), Orobó (frivolité), Jaboatão dos Guararapes (algodão cru), Passira (bordados) e Paulista (acessórios de papel e tecido).

"Meu objetivo sempre foi fazer com que o estilista integrasse o artesanato ao seu processo criativo. A alta costura tem ido em busca disso constantemente. No caso dos estudantes de moda, quando eles chegam ao mercado, já chegam com esse olhar. Isso faz a cadeia da moda girar", declara a estilista. 

Andréa também ressalta a importância de um espaço como o da Fenearte para a moda local. "Nenhum projeto de moda aqui do Estado tem durado tanto", ressalta Andréa.
Entre os nomes autorais escolhidos por Andréa, a Bresha Moulagerie, de Lela Correia, de Vitória de Santo Antão, mistura bordados com pedrarias, muita renda e estampas. Jaqueline Deodato também investiu nas pedrarias, só que aliada aos acessórios. 

Novamente as pedrarias aparecem na coleção de Carol Monteiro, que fez uma imersão no Sertão do Cariri, na Paraíba, de onde trouxe pedras semi-preciosas, dentes e ossos de animais encontrados pelo caminho parar criar maxi colares.
Novidades
Para comemorar a maioridade do evento, uma exposição com a linha do tempo rememora edições anteriores em iconografia como cartazes, fotos e peças vencedoras dos últimos Salões de Arte Popular. 

Facilitando a vida dos visitantes, os estandes foram agrupados por tipologia. Assim fica mais fácil na hora de pesquisar preços e depois voltar para comprar. No intervalo do lanche, os food trucks, que fizeram o maior sucesso ano passado, continuam por lá.

No palco musical, Patrimônios Vivos e grupos dos quatro cantos de Pernambuco, como Maracatu Leão Coroado, Aurinha do Coco, Lia de Itamaracá e o Homem da Meia Noite.
Confira programação completa no site.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Qualipolo 2017: colaboradores e empresários vivenciam semana de muito aprendizado

Teve início nesta terça-feira (04), os minicursos da 4ª Edição do Projeto Qualipolo. O projeto oferece cursos rápidos de férias na Escola Técnica SENAI Santa Cruz do Capibaribe e Centro de Ensino Superior Santa Cruz (Cesac), voltados para a qualificação de profissionais no Polo de Confecções do Agreste. O Qualipolo é uma proposta de articulação entre as instituições representantes da classe na região.





Rossandro Klinjey apresentará palestra em Santa Cruz do Capibaribe


Certificados Prontos

A CDL comunica a todos que participaram da Semana do Microempreendedor Individual (MEI), que aconteceu entre os dias 9 e 11 de maio, deste ano, já estão disponíveis na CDL. Os participantes deverão procurar por Taynara Azevedo, Consultora de Eventos da CDL, para pegar o seu certificado. A CDL funciona no horário das 8 às 18 horas. Mais informações (81), 3731-2850.

Trabalhador nascido em dezembro pode sacar FGTS inativo a partir de sábado

Fonte: Agência Brasil

Trabalhadores nascidos no mês de dezembro poderão sacar, a partir de sábado (8), o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de contas inativas. De acordo com a Caixa Econômica Federal, mais de 2,5 milhões de brasileiros têm direito ao saque a partir deste mês. O valor disponível para saque ultrapassa R$ 3,5 bilhões e equivale a aproximadamente 8% do total.

O prazo para saque das contas inativas do FGTS termina dia 31 de julho. Valores até R$ 1,5 mil podem ser sacados no autoatendimento, somente com a senha do Cartão Cidadão. Para valores até R$ 3 mil, o saque pode ser feito com o Cartão do Cidadão e a senha no autoatendimento, em lotéricas e correspondentes Caixa. Acima de R$ 3 mil, devem ser feitos nas agências da instituição.

A Caixa orienta que, para facilitar o atendimento, os trabalhadores tenham em mãos o documento de identificação e a Carteira de Trabalho, ou outro documento que comprove a rescisão de seu contrato. Para valores acima R$ 10 mil é obrigatória a apresentação desses documentos.

Em regime de atendimento especial, a Caixa abrirá cerca de 2 mil agências no sábado em todo o país, entre as 9h e as 15h. As agências selecionadas terão atendimento exclusivo para fazer pagamento de contas vinculadas do FGTS, solucionar dúvidas, promover acertos de cadastro dos trabalhadores e emitir senha do Cartão Cidadão. A relação das agências está no site da Caixa.

Também está prevista a abertura antecipada, duas horas antes, de todas as agências no dia 10 de julho para pagamento exclusivo de contas inativas do FGTS. Nas regiões em que os bancos abrem às 9h, as agências da Caixa abrirão às 8h e terão o horário de atendimento prorrogado em uma hora.

Contas inativas

Os saques das contas inativas do FGTS foram anunciados no final do ano passado. No total, a liberação abrange 49,6 milhões de contas, com saldo total de R$ 43,6 bilhões. Os saques vão beneficiar 30,2 milhões de trabalhadores que pediram demissão ou foram demitidos até 31 de dezembro de 2015. De acordo com a Caixa, 90% das contas inativas têm saldo de até R$ 3 mil.

Até o dia 28 de junho, a Caixa registrou o pagamento de mais de R$ 38,2 bilhões relativos às contas inativas do FGTS. O número de trabalhadores nascidos até novembro e que já sacaram alcançou 22,6 milhões de pessoas.

O valor equivale a 95,38 % do total inicialmente previsto, que era de R$ 40 bilhões, e a aproximadamente 81% dos trabalhadores, o equivalente a 27,7 milhões, nascidos entre janeiro e novembro, beneficiados pela MP 763.

Os trabalhadores podem consultar o saldo a receber na página da Caixa. Outra opção é o Serviço de Atendimento ao Cliente pelo 0800 726 2017.

Encontro de Notáveis: 5 motivos para participar desse evento

1 - Conhecer a visão de Empreendedorismo, Motivação e Instinto trabalhador na perspectiva de um dos mais conectados palestrantes brasileiros da atualidade.

2 - Debater quando as mudanças são necessárias e inevitáveis nas organizações privadas e públicas. Quem controla a mudança? Como eu me torno um gestor de mudanças? Mudar é sair da zona de conforto?

3 - Entender quais atitudes e valores precisam ser identificados e reforçados na crise ética estrutural que vivemos.

4 - Interpretar quais os limites entre ética e moral. Na sociedade brasileira e nas organizações, quais as práticas que dificultam ou facilitam a prática ética?

5 - Assimilar como a microfísica da ética cotidiana, das pessoas e organizações, dialoga com a grande ética pública.


Erik Penna realizou palestra em Santa Cruz do Capibaribe

Erik Penna foi o palestrante escolhido para fazer a abertura do Qualipolo 2017. Projeto que tem como intuito qualificar os profissionais de Santa Cruz do Capibaribe. A abertura do evento aconteceu na segunda-feira (03), às 19 horas, no Cellebre, onde o palestrante Erik Pena apresentou um show de motivação com uma abordagem diferenciada.

A palestra de abertura dos cursos acontece no dia 3 de julho e vai ser ministrada por Erik Penna, o renomado palestrante motivacional internacional, considerado um dos “25 Gigantes da Motivação” pela Landscape.

Segundo a diretora da Escola Técnica SENAI Santa Cruz do Capibaribe, Cristina Barbosa: “os cursos são oferecidos de acordo com o levantamento das demandas em pesquisas realizadas pelo SENAI e CDL Santa Cruz, e também pelos resultados das avaliações nas edições anteriores”. A diretora ainda revela que, nos últimos anos, houve uma média de 2 mil pessoas qualificadas para o mercado e, somente em 2017, a previsão é qualificar 450 pessoas.

O Qualipolo é uma realização do SENAI, CDL e CESAC e conta com o apoio do Moda Center, Ascap, SEBRAE, SENAC, FADIRE, ASCONT e Unopar.



terça-feira, 4 de julho de 2017

Alerta CDL: Nome da CDL de Santa Cruz do Capibaribe está sendo usado indevidamente

A CDL de Santa Cruz do Capibaribe vem por meio desta nota alertar a todos os associados e comunidade em geral que tomou conhecimento por meio de matéria veiculada na Rádio Comunidade FM, do repórter Jota Lima, onde o mesmo entrevistou pessoas do Bairro Oscarzão, de modo que estas pessoas procuraram a delegacia de Santa Cruz do Capibaribe para prestar queixa sobre o fato de um homem pegar seus documentos, falando de parcerias com a CDL e abrindo empresas no nome dessas pessoas.

Na matéria veiculada, uma das denunciantes relata que assinou uns documentos na CDL. A CDL esclarece que oferta vários serviços em sua sede, dentre eles, o Certificado Digital, que pelo teor da matéria, onde trata de abertura de empresas, nos leva a entender que possa ter sido a emissão de certificado digital.

A CDL afirma que todas as suas parcerias são amplamente divulgadas em seu site, blog, fanpage, Twitter e imprensa local. Desta forma, a CDL de Santa Cruz do Capibaribe comunica a todos que, ninguém que não seja da diretoria da CDL tem autorização de falar em nome da entidade, seja qual for o assunto e que todas as medidas legais serão tomadas em caso de uso indevido do nome da CDL.


Lembrando que, em casos de serviços na CDL, todo procedimento com solicitação de documentos é feito pessoalmente na própria CDL. Para tanto, a CDL pede a todos que fiquem atentos, e que, em caso de alguém que não seja da diretoria, ou do departamento comercial, representado por Pedro Douglas, tentar falar em nome da CDL querendo vender produtos, abrir firmas, ofertar serviços, desconfie, pois essa não é a prática da CDL de Santa Cruz do Capibaribe.

Presidente e vice-presidente da CDL de Santa Cruz do Capibaribe participam de visita técnica na CDL Fortaleza

Visando o aprimoramento da prática profissional do Movimento Lojista, o presidente e vice-presidente, Valdir Oliveira e Fabio Lopes, da CDL de Santa Cruz do Capibaribe, estiveram nesta segunda-feira (03), conhecendo o case de sucesso da CDL de Fortaleza – CE. Eles estiveram acompanhados da Secretária executiva, Katyane Amaral. A presidente da CDL de Timbaúba, Edileuza Pedrosa, também esteve presente na visita técnica.

A visita começou às 9 horas da manhã, onde na oportunidade os diretores da CDL de Santa Cruz do Capibaribe foram recebidos pelo Superintendente da CDL de Fortaleza, Antônio Carlos e pela coordenadora da Faculdade CDL, Marília Marinho, além da Gerente da Secretaria Geral e de Eventos da CDL Fortaleza, Francilene Macêdo.


Um dos cases de sucesso da CDL de Fortaleza, a Faculdade CDL, foi apresentada aos diretores da CDL de Santa Cruz do Capibaribe, o que entusiasmou o presidente Valdir Oliveira. “Esta visita que fizemos na Faculdade CDL é essencial para que possamos observar novas possibilidades de atuação. A nossa CDL é visionária, temos uma missão sólida e precisamos ampliar nossa atuação a fim de fortalecer ainda mais o nosso comércio e possibilitar desenvolvimento aos empresários associados, para que assim, estejamos contribuindo para o crescimento de Santa Cruz do Capibaribe”, finalizou.