Topo

Topo

sábado, 21 de outubro de 2017

CDL presta homenagem a personalidades que contribuíram e contribuem para o desenvolvimento da cidade

A sociedade de Santa Cruz do Capibaribe esteve reunida a convite da CDL do município para prestar uma justa homenagem à pessoas que compõem a sociedade santa-cruzense e contribuíram e contribuem para o seu desenvolvimento. Pessoas como: João Barroso Azevedo, Israel Dantas De Farias (Disraele), Áurea Xavier, Bruno Bezerra, Fábio Lopes, Arnaldo Xavier, Valdir Oliveira, Isac Aragão, Katyane Amaral, Manoel Paulino, João Pereira Filho, Fernando Silvestre – Conhecido Noronha, Margarida Monteiro e Raymundo Francelino Aragão Filho – Aragaozinho. Assim, cada ambiente da entidade, recebeu o nome dos homenageados acima citados.

A cerimônia aconteceu na noite desta sexta-feira (21), onde contou com a presença de autoridades do município, presidentes de entidades representativas e convidados, além dos diretores da entidade.

Veja os homenageados da noite

Arnaldo Xavier
O empresário Arnaldo Xavier foi representado pelas irmãs
 Áurea e Alessandra

Natural de Santa Cruz do Capibaribe, Arnaldo Xavier Alves da Rocha, nasceu em outubro de 1966, tendo como mãe a senhora Adalva Olinda Xavier Rocha e como pai o senhor Pedro Alves da Rocha (In Memorian). É casado com Marta Gerusa Ramos Rocha com quem tem três filhas: Beatriz, Isabel e Alice. Com 14 anos de idade, Arnaldo Xavier começou a trabalhar ajudando a sua mãe na empresa familiar do segmento de confecções. No ano de 1994, Arnaldo despertou o interesse de sair da empresa familiar e caminhar por conta própria. Com esse sentimento, em 1996 ele funda a empresa Rota do Mar, organização que cresce diariamente e tornou-se o sucesso que é, orgulhando a todos de Santa Cruz do Capibaribe.  Sobre o nome da empresa, ele conta: Produzindo uma confecção e imprimindo a marca Rota do Mar, a partir de então, as vendas começaram a aumentar. No início, quando Arnaldo decidiu trabalhar dissociado da família, ele relata que algumas empresas tinham fechado e ele começou a garimpar os melhores profissionais que teriam saído dessas empresas. A partir daí dava-se início a Rota do Mar, empresa que cresce continuadamente fomentando emprego e renda para Santa Cruz do Capibaribe e região.

Aragaozinho



Ele tem como profissão médico, mas é filho de político, Raymundo Francelino Aragão Filho, herdou do seu pai o gosto pela política e o nome. Foi prefeito de Santa Cruz do Capibaribe no início da década de 1990. Como prefeito deu sua contribuição para o desenvolvimento da Capital das Confecções, sendo o prefeito que doou o terreno para a construção da sede Própria da CDL, pois já enxergava no movimento lojista um importante segmento que ajudaria a cidade crescer ainda mais. A doação do terreno se deu através de projeto de lei, onde o mesmo foi doado no ano de 1993, onde a CDL está implantada até hoje.

João Pereira



João Pereira Filho, comerciante, tornou-se um empresário bem sucedido e ainda no início da década de 1990, viu a necessidade de um movimento lojista forte. Como ele mesmo diz, na época existiam muitos golpes, vendas que não eram recebidas e o empresário na época sofria muito com isso. Então, o mesmo viu a necessidade da implantação da CDL na cidade, a fim de que o empresariado pudesse ter na entidade um apoio na questão da concessão de crédito, através de consultas ao SPC Brasil. Surgiu aí, a garra e a luta pela implantação da CDL, onde unido com outros amigos e empresários, criou o movimento lojista e trouxe a CDL para o município, onde fora o primeiro presidente da CDL, quando da sua implantação na década de 1990.


Isac Aragão



Isac Teodoro Aragão é um entusiasta do associativismo na cidade e na região. No movimento Lojista ele está desde o início da CDL, onde passou pela presidência por duas vezes, contribuindo para o fortalecimento da entidade na cidade e região, além da sua forte atuação junto ao Moda Center Santa Cruz. O seu trabalho a frente da entidade rendeu cargos na FCDL-PE e até mesmo na confederação, tendo o mesmo disputado cargos de destaque nas entidades. Seu Isac continua na CDL, exercendo seu papel de conselheiro consultivo e contribuindo para com o movimento lojista de Santa Cruz do Capibaribe.


Áurea Xavier




A história de Áurea Maria Xavier Félix da Rocha, Aurinha, se confunde como a de muitas mulheres batalhadoras de Santa Cruz do Capibaribe. Marcada por dificuldades, de família humilde, Aurinha ficou órfã de pai aos 5 anos de idade, juntamente com mais 4 irmãos. Ainda criança, ela relembra que um senhor vendeu um fardo de tecido à sua mãe, sem data para pagar. Com apenas 8 anos de idade, Áurea Xavier já era vendedora, onde aprendeu todos os macetes da venda, desenvolvendo grandes habilidades para negociações. Ainda na adolescência já tinha como meta ter o seu próprio negócio, onde iniciou uma micro confecção, onde exercia todas as atividades da empresa. Áurea tornou-se uma empreendedora de sucesso, onde colaborou para o desenvolvimento de Santa Cruz do Capibaribe, chegando a ser reconhecida nacionalmente com o Prêmio Mulher de Negócios do SEBRAE. Ao longo de sua trajetória, atuou como diretora em várias associações, enfatizando o seu apoio ao desenvolvimento empreendedor da região.

Bruno Bezerra e Fábio Lopes


O empresário Bruno Bezerra, desde muito jovem atua como diretor da CDL, sendo o atual diretor de desenvolvimento e empreendedorismo da entidade. Bruno é um articulador nato e contribui de forma bastante ativa para o desenvolvimento da cidade. Juntamente ao seu sócio, Fábio Lopes, mantém empresas na cidade e, quanto a CDL, junto ao seu sócio, o empresário Fábio Lopes, que também é bastante atuante é um entusiasta do associativismo. O mesmo foi presidente da CDL durante 7 anos onde contribuiu para o fortalecimento da entidade, criando as câmaras Setoriais, possibilitando um trabalho direcionado junto as empresas de cada segmento. Fábio Lopes, enquanto presidente, atuou junto a outras entidades, como JUCEPE, Sindilojas, SICOOB, possibilitando sua implantação na cidade, fazendo da CDL, um Centro do Empreendedor. Diante de tudo isso, o empresário também recebe a homenagem da CDL, com a Sala Fábio Lopes / Bruno Bezerra.

Katyane Amaral













Katyane Michelle da Silva Amaral é uma dessas mulheres que não medem esforços para atingir seus objetivos. Há 15 anos como colaboradora cedelista, sua história se confunde com a história da CDL, pois ela é uma assídua executiva da entidade, que toca a administração da CDL com muita garra e afinco. Katyane, por toda sua contribuição para o crescimento e desenvolvimento do movimento lojista em Santa Cruz do Capibaribe, também recebe a homenagem da CDL, com a Sala Katyane Silva Amaral.
  
Manoel Paulino



O empresário Manoel Nunes Paulino é um visionário do movimento lojista da cidade. Disposto sempre a contribuir para o desenvolvimento e crescimento do associativismo em Santa Cruz do Capibaribe, além da sua forte atuação junto ao Moda Center Santa Cruz, esteve a frente da CDL nos anos 90, onde presidiu a entidade com muito afinco e continua até hoje dando a sua contribuição para o fortalecimento do movimento lojista na cidade e região.

Margarida Monteiro



Uma das primeiras mulheres a trabalhar com tecidos na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, Dona Margarida Monteiro introduziu no município uma forma de possibilitar ao pequeno confeccionista oportunidade de comprar uma matéria prima de qualidade para o manufaturamento de vestuário. Com isso, Dona Margarida Monteiro tornou-se uma ícone na cidade, pela sua garra empreendedora, contribuindo para o crescimento de Santa Cruz do Capibaribe. Uma empresária que merece o reconhecimento da CDL pelo seu profissionalismo e caráter empreendedor recebe a homenagem com o auditório Margarida do Nascimento Monteiro.

João Barroso Azevedo



Outro homenageado da noite de hoje, é o ex-gerente do Banco do Brasil de Santa Cruz do Capibaribe, João Barroso Azevedo, ele que soube como ninguém, entender a necessidade dos empreendedores da época, anos 80. Na época só existia crédito para agricultura, e Seu João Barroso, com sua sensibilidade, disponibilizou esse recurso disponível para financiar máquinas industriais para os pequenos confeccionistas, o que possibilitou um aquecimento na economia, despertando, inclusive, a curiosidade de fabricantes de máquinas para vir conhecer esse fenômeno de vendas de máquinas para esta região. Com essa sensibilidade, o senhor João Barroso Azevedo também recebe a homenagem da CDL com seu nome em um dos auditórios da entidade.

Valdir Oliveira




O atual presidente da CDL, Valdir Antônio de Oliveira, Neto de Zezinho da Farinha, de quem herdou o gosto pelo comércio, atua como diretor da entidade já algum tempo, tendo passado pela diretoria financeira da CDL e, posteriormente, assumindo a presidência, na qual está até os dias atuais. Valdir tem desenvolvido um excelente trabalho junto a entidade e o mesmo também merece o reconhecimento da entidade, onde foi saudado com a sala Valdir Antônio de Oliveira, sala esta onde funciona a sala da presidência.


Seu Disraele




Israel Dantas de Farias (carinhosamente conhecido por “Disraele”) foi um dos maiores empreendedores da história de Santa Cruz do Capibaribe, tendo ao longo de sua vida lançado empresas como Kital Calçados, Sorveteria Kital, Kital Eláticos, panificadora Kital, que era uma delicatessen em uma época em que essa palavra nem existia, na década de 80, mostra que era um visionário à frente de seu tempo, além da primeira loja de máquinas da cidade, que tinha o nome de “Comak”, hoje Makital e Makipeças.

Atualmente, a Makital é a maior distribuidora de máquinas industriais do Norte e Nordeste, sendo a loja Showroom de Bordados, localizada na entrada de Santa Cruz do Capibaribe, a maior loja do segmento no Brasil.

Os empreendimentos fundados por Israel são administrados, hoje, pelos filhos Roberval e Izabela Farias, que darão continuidade ao legado de sucesso e empreendedorismo que contribuiu com o crescimento do Polo de Confecções de Pernambuco.


Noronha



Também trabalhando com o segmento de vendas de tecidos, Fernando Silvestre da Silva, o conhecido Noronha, começou a trazer tecidos em suas mais variáveis formas, desde grandes proporções em peças como também a fardos de tecidos. O empresário abriu crédito para todos os confeccionistas que chegavam em sua loja, vendia retalhos ou tecidos com prazos longos, fator que possibilitava aos pequenos confeccionistas um bom tempo para cortar, costurar e poder negociar suas peças. Esse fator foi essencial para o crescimento e desenvolvimento de Santa Cruz do Capibaribe, fato relembrado por muitos confeccionistas da atualidade.


Nenhum comentário: